Os Campos do Quiriri - Primeira faixa de Ensaio Sobre A Liberdade

"Os Campos do Quiriri" já foi "Os Olhos d'´Água".

Já teve um verso assim:

"Tudo aconteceu e não tem jeito
Estou cansado de procurar defeitos
Saí caminhando triste, com o vento
E não há tarde de sol que faça o milagre
De fazer voltar o tempo"

Escrevi esse e outros trechos em 1997. A melodia é basicamente a mesma quando a canção é tocada ao violão. Coisa muito básica, apenas GCG / CGDC / GC. Sério, apenas três das mais básicas notas musicais.

Quando comecei a querer gravar esses registros com o auxílio da tecnologia de hoje, peguei estes três acordes e trabalhei em cima de diferentes linhas e frases de guitarra. E, com isso, em momento algum da música eu executo os acordes cheios. Mas sim estas frases que consegui criar pela primeira vez em uma canção. Um pouquinho de distorção, uma levada de bateria e um baixo marcante transformaram totalmente a obra. O que era um simples violão tocando três acordes, agora é uma música composta com o pouco de conhecimento que tenho.

E claro, merecia uma nova letra. Escrevi estas palavras em abril de 2015, dentro do ônibus que me leva de casa ao trabalho, de segunda a sexta. Sim, fácil assim. Em duas viagens estava tudo pronto. Falo da experiência de andar nos Campos do Quiriri. Meu primeiro contato com a região foi em 2004, mirando seus campos infinitos e suas trilhas vacilantes. Mas o que mais me marcou foi uma caminhada que fiz por lá em abril de 2014. Impossível registrar somente com imagens. Precisava descrevê-la ao meu modo. E aí está:


OS CAMPOS DO QUIRIRI 

(Pepe Volpão)



Sob o céu azul andei o dia inteiro
Sob o céu estrelado preparei meu leito
Não é o fim da linha nem o fim do mundo
O diabo perdeu as botas
O vento fez a curva
Tudo tem motivo

Nem sempre o melhor caminho é linha reta
Todos querem a certeza de estar na trilha certa
Eu carrego comigo tudo que é preciso
Vontade, coragem e canivete suíço
Nenhum desperdício
Tudo tem motivo

Um dia qualquer
Quando quiser acordar antes do sol nascer
Preparo um café o mais forte que puder
Pra encarar o que o dia tem pra oferecer

No desafio proposto, doze quilos e dois dias
Sem espaço na mochila pra lembranças vazias
Eu carrego comigo tudo que é preciso
O diabo perdeu as botas
O vento fez a curva
Tudo tem motivo


Um dia qualquer
Quando quiser acordar antes do sol nascer
Preparo um café o mais forte que puder
Pra encarar o que o dia tem pra oferecer

A noite chegando
As horas passando, parar pra ver o entardecer
Preparo o jantar, se achegue pra cá
Me abraça forte agora antes da gente dormir


Os Campos do Quiriri pela cãmera de Diocir Lopes, camarada montanhista que conheci naquelas bandas. Na foto, eu e a Ana Barbara à frente da turma que cruzava os campos do Quiriri. Abril 2014.


Ensaio Sobre a Liberdade

Bem, amigos.

O Ensaio Sobre a Liberdade está pronto. Um EP contendo 4 canções. São elas, por ordem de apresentação:

Só Mais um Dia;
Tudo ao Mesmo Tempo;
Opium.

Finalmente me decidi pelo formato EP para o lançamento. Sim, gostaria muito de um álbum. Mas as demais canções que tenho trabalhado fogem demais daquilo que está registrado neste primeiro "lote" das minhas experiências com composição e gravação.

Ouvindo a sequência de músicas com alguns poucos amigos que já tiveram acesso, a conclusão foi fácil: isso é pop rock :)

E é curioso como isso "brotou". Essa sonoridade veio bem natural mas é um reflexo muito grande do que eu ouvia na época da composição destas canções (década de 90). Hoje eu escuto outras e variadas coisas. O que criei musicalmente em tempos recentes é muito diferente do que será mostrado no "Ensaio Sobre a Liberdade". O EP tem coisas que gosto muito e que me fascinam pela alma e dedicação empregadas. A parte musical foi criada e pensada na década de noventa mas todas as gravações e arranjos são muito atuais. Ah, e as letras também, todas elas finalizadas e adaptadas poucas semanas atrás, exceção feita a "Tudo ao Mesmo Tempo", a qual fiz questão de manter a originalidade.

Vou escrever sobre cada uma delas nos próximos posts, junto com um trechinho de cada. O lançamento do "Ensaio Sobre a Liberdade", que seria em setembro de 2015 eu antecipo para junho.

Algumas coisas como "Estação Central" e "Aos Poucos" ficarão de fora. Foram escritas também na década de 90, mas a sonoridade delas não tem absolutamente nada a ver com o que será lançado agora. Nestas duas eu acho que "viajei" mais. Senti que as músicas pediam isso. Deixei me levar e elas soam muito melhor junto com novas composições como "Dumdum", "Liberdade" e "Primeiro de Maio".

Bora lá então, amigos!

Os Campos do Quiriri

Porra, que empenho!

Estar gravando um disco não é a parte mais difícil e complicada. Escrever, compor e tocar com o mínimo de qualidade é fácil.

Complicado mesmo é tornar isso tudo minimamente audível. Até 3 meses atrás eu mal sabia da existência de softwares de mixagem acessíveis a um notebook velho como este que escrevo.

Leio muito também em fóruns do assunto com pretensos especialistas falando que isso pode, isso não pode. O ser humano é assim, sempre com suas verdades absolutas.

Faço meu trabalho e estou gostando.

A primeira canção a ser finalizada é "Os Campos do Quiriri".

A música eu compus ao violão em 1997. Havia uma letra horrorosa então... Refiz a letra alguns dias atrás, falando de coisas da montanha.

Abaixo um primeiro trecho que já coloquei no youtube. Vai lá se inscreve! Ajuda pra caramba :)



Segue o trabalho de mixagem, agora com "Aos Poucos", "Tudo ao Mesmo Tempo" e "Opium". Devo finalizá-las ainda esta semana.

Abaixo, trecho da letra.

Beijos e abraços!


OS CAMPOS DO QUIRIRI 

(Pepe Volpão)



Sob o céu azul andei o dia inteiro

Sob o céu estrelado preparei meu leito

Não é o fim da linha nem o fim do mundo

O diabo perdeu as botas

O vento fez a curva

Tudo tem motivo



Nem sempre o melhor caminho é linha reta

Todos querem a certeza de estar na trilha certa

Eu carrego comigo tudo que é preciso

Vontade, coragem e canivete suíço

Nenhum desperdício

Tudo tem motivo


Um dia qualquer

Quando quiser acordar antes do sol nascer

Preparo um café o mais forte que puder

Pra encarar o que o dia tem pra oferecer



(...)