dezembro 19, 2017

Planejando 2018 | Skyrunning, Gravel Bike e Montanhismo

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Bem, esta é a época certa para refletir, repensar e traçar estratégias para o próximo ano não?

Algumas metas já estão bem definidas.

1) Retorno às competições de corridas de montanha. Vou participar das três provas da série Skyrunning Brazil, na modalidade SkyRace® que são as de distância mais curta, a saber:

SkyRace®
17 de Fevereiro - Araçatuba Half Marathon - 21K, 1420D+
5 de Maio - KTR Campos - 20K, 1420D+
14 de Julho - Ultramaratona dos Perdidos - 23K, 1460D+

Estou motivado para me testar novamente nas trilhas, visando um melhor condicionamento físico e, principalmente muita diversão. Esse tempo que dei das competições entre 2014 e 2018 foi muito necessário para baixar a poeira e para desmontar o circo que se tornou o Trail Running naquela época. Havia um excesso de provas, um excesso de gente interessada apenas em ganhar dinheiro (organizadores malvados) e de posers que nada tinham a ver com a vibe que aprecio em uma montanha.

A poeira baixou e volto a me sentir confortável em alinhar novamente nestas provas. Enfim, a filtragem foi feita. Bora retornar.

2) Participar das primeiras competições na categoria Gravel Bike. Vai ter duas destas provas aqui no Paraná e vou nessa. Ainda não defini a distância, mas sei que a primeira será dia 15 de abril, a Milk Race na Colônia Witmarsun. Vai ser legal, cheio de amigos do ciclismo juntos.

3) Continuo sem ingerir produtos de origem animal, mas não me rotulem como vegano, pelo amor de Deus. tenho meus motivos :)

4) Vamos pedalar mais e correr mais. To feliz nessas escolhas.

5) Quero lançar mais um álbum com uns 40 minutos de músicas inéditas, lá para o final de 2018.

E vocês? Muitos planos?

Grande abraço a todos.

Namaste.







dezembro 11, 2017

Resuminho da terceira semana de treinos rumo aos Andes

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Ainda não consegui cumprir o prometido, de postar textos nas terças e quintas...

Estou com uma carga de trabalho bem puxada na Jamur Bikes, com equipe reduzida, mas a partir da próxima semana tudo se resolverá, fazendo com que eu consiga chegar em casa e ter vontade de olhar pro computador :)



De toda forma, deixo aqui o vídeo da semana, onde mostro e falo um pouco do que rolou na terceira semana de treinos voltados às altas montanhas dos Andes.

Grande abraço!




novembro 30, 2017

Voltemos aos "escritos"

Olá, senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

A partir de agora, vou postar um resumo dos treinos, rotina e alimentação que irei usar para minha ida aos Andes em 2019. Por enquanto, basicamente os treinos consistem em ir e voltar de bike em dias alternados entre trabalho e casa.

Como disse no post anterior, a tomada de decisão e o início da jornada começaram 407 dias antes da data prevista de partida daqui do Brasil, que é dia 01 de  fevereiro de 2019, uma sexta feira.

São 63 semanas. Já se foram duas, faltam 61 (para quem é bom de contas mas nem tanto em concordância verbal).

To contente que o meu canal no YouTube tem apresentado um crescimento consistente de inscritos, visualizações e minutos assistidos. Conto com você por lá!

Irei priorizar estas duas plataformas para a divulgação, abandonando mais ainda as palhaçadas do Sr. Zuckerberg e seu Facebook e Instagram (este inclusive está até desativado). No Facebook, fica apenas a fan page.

Voltemos aos "escritos" aqui e aos "inscritos" no YouTube.

Todas as segundas-feiras haverá a postagem com o resumo. Nas quintas feiras, assuntos de tema geral. Se quiserem sugerir algo, estou totalmente à disposição!

Cordial abraço e namastê!


Um dia desses, voltando para casa em um fim de tarde pela BR-116


novembro 27, 2017

Comecei a treinar para o Aconcágua

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Bem, é isso.

Comecei a treinar para voltar aos Andes, onde estive em 2009 e você pode relembrar aqui:


A ideia é ir até o Aconcágua, pensando em cume. Se vai rolar, só lá saberemos. Muito respeito à montanha!

Fora isso, segue o baile fazendo músicas, correndo em trilhas, fazendo caminhadas e tudo mais.

Maiores informações vocês encontram nos dois vídeos abaixo.

Obrigado pela força de sempre!

Grande abraço!








novembro 09, 2017

Uma Certa Incerteza

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

As vezes me pego pensando na pulverização da informação. Nessa "explosão" de mídias, na overdose de informação e da pressão social para estar em todos os lugares ao mesmo tempo.

Tem instagram para fotos (dentro dele há o stories para algo mais passageiro), tem Facebook para emitir opiniões e nos tornarmos experts em comentários, tem Youtube para ver vídeo (ainda bem que podemos criar algo útil nele, diferente do facebook), tem Spotify para música, tem blogs para quem prefere ler (esse blog aqui tá firme há mais de 10 anos), enfim... uma grande dispersão de informações.


Eu sempre gostei muito de ler e de escrever.


Tenho textos publicados em revistas e sites que, sem falsa modéstia, muito me orgulho de ter criado.

Sinto uma falta danada de escrever aqui, apenas compartilhar o que sinto, o que penso. Refletir, opinar e até mesmo de ser julgado pelos doutores do Trail Running, como acontecia até 2014.

Dentro de mim sempre habitará uma vontade sem fim de não me calar, de não aceitar injustiças, de querer e fazer um mundo melhor. Seja compartilhando conhecimento, seja falando sobre veganismo, seja fazendo música.

Volto em breve.

Beijos e abraços!

outubro 26, 2017

O Sangue - Primeiro álbum completo

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Enterrada em definitivo minha tentativa de voltar a correr de forma mais consistente e "prolongada", foquei na música.

Em compor, em trabalhar os arranjos e, principalmente contar as minhas histórias.

Assim sendo, lanço "O Sangue", uma obra mais à moda antiga (sou do tempo dos "álbuns" e não dos singles ou EP's), com 48 minutos de música. Tinha isso comigo, que queria lançar um álbum e pronto.

Já tenho lançado dois EP's em pouco mais de um ano, mas me faltava essa sensação do álbum completo.

Aqui está!

Eis aqui meu primeiro álbum completo com músicas autorais. Tem um som que vai entre o progressivo dos anos 70, passando pelo pop rock dos 80 e com um toque de psicodelia. 

Tem músicas escritas em 1996 e tem letras finalizadas semanas atrás. Nelas, conto minha história, compartilho minha vida. Se é bom ou ruim, não cabe a mim avaliar. Posso apenas garantir que é verdadeira expressão de quem sou. 

Eu consegui, cheguei lá, realizei o sonho de criança. Agora, se curtiu, siga comigo :)

Melhor recompensa que posso ter. E não vai parar por aí. Como já cantou Renato Russo: O mundo começa agora, apenas começamos. Namaste!

-----------------


 Seguem aqui os links:

- Deezer

Aliás, no Soundcloud dá pra fazer download gratuito, se você é daqueles (como eu) que gosta de ter arquivos de músicas no PC ou celular em vez de assinar um serviço de streaming - apesar de eu ser assinante Deezer.

Nos próximos dias irei falar de música por música, desde o processo de composição, passando também pela gravação e tudo mais.

Abraços e muito obrigado de coração!





outubro 16, 2017

O Sangue - Lançamento dia 27 de outubro

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

F-I-N-A-L-M-E-N-T-E terminei as gravações e mixagens do meu primeiro álbum de completo de canções autorais. Ele se chama O SANGUE e conterá 8 novas músicas próprias em aproximadamente 40 minutos de rock volpônico. Se você gosta de pop rock, rock psicodélico, um toque de progressivo e muito Legão Urbana, irá gostar :)

Não vai ter nenhuma dessas firulas "diferentonas" das bandinhas da moda, nenhuma sofrência loshermanística, nenhum single radiofônico e nem será música pra ouvir tomando suco de amora achando que o mundo é lindo ou colorido. É paulada pra ouvir tomando uns goles ou fumando um, com uma pegada muito anos 70 e 80. É True!

Todos os arranjos foram criados por mim e pensados em uma banda de formação clássica do rock com voz, guitarra, baixo, bateria e teclados. Toquei todos os instrumentos de forma que soassem como se fosse ao vivo em um estúdio.

As letras serão "pesadas", as músicas nem tanto. Mas, principalmente: são a mais pura expressão de sinceridade que eu tenho para dar e TODAS elas contam alguma história da minha vida.

Minha primeira obra all-by-myself: músicas, letras, produção, instrumentos, vocais, mixagem,arte, tudo. Durante a semana, diariamente irei soltando alguns segundos de cada canção por aqui e contando um pouco delas. Dia 27 de outubro, em todas as plataformas de streaming. Espero, de coração, que apreciem.





Abraços, namastê!

setembro 18, 2017

Microaventuras de Primavera | Bike e Montanha

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Poxa, fazia tempo que eu não dava uma dessas hein?

Foram 36 km de bicicleta até a Fazenda Pico Paraná, seguidos de uma ascensão ao cume do pico do monte do Morro Itapiroca (1.805m), uma selfie nu, e do retorno de bike até Quatro Barras, onde moro. Foi a minha 42ª subida ao Itapiroca desde a primeira vez por lá, do dia 09 de setembro de 2001.


Tucum e Camapuan vistos do cume do Itapiroca, Serra do mar paranaense.


Total de oito horas de movimentação, como pode ser visto no meu Strava. O nu frontal pode ser visto no Instagram mesmo, para os curiosos.

Lembro que fiz dessas coisas de ir de bike e subir montanhas da Serra do Ibitiraquire lá por 2004 ou 2005. Tenho estado bastante animado com a volta aos treinos de bike, corrida e montanha.

Gravel Bike de verdade. Com tênis amarrado no canote de selim. 



Deixei dois vídeos com a trip completa, a quem interessar possa, abaixo:


Parte 1


Parte 2



E o mais legal disso tudo é que não se tratam de atividades pensando em competições que possam vir, ou para eventos grandiosos. Não. É pura curtição de um dia. Por isso o nome "Microaventura". Saiba mais sobre o conceito assistindo esse vídeo aqui: https://youtu.be/vwHwXId0pxE


Forte abraço!

Namastê! 

Siga-me nos canais: 
Participe do Grupo Graveleiros do Brasil no Facebook: 

setembro 05, 2017

Acompanhando a UTMB 2017

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Mas que experiência interessante acompanhar a Ultra Trail du Mont Blanc (UTMB )ao vivo via internet.

Em 2009 eu acompanhei o "surgimento de Kilian Jornet para o mundo, releia: 


Para este ano, houve um show de cobertura por parte da organização, com narradores em inglês e francês, helicópteros, imagens diretamente dos principais trechos da prova, ao longo dos seus 167 km km nos Alpes e muito mais.

Foi um prazer perder uma boa noite de sono e ficar vidrado vendo o passo a passo dos atletas por lá.

Quem é do Trail Running, neste momento já sabe obviamente dos resultados e da história da prova.

Gostei demais do desenrolar da UTMB, com uma corrida muito rápida para os padrões esperados, já que em 2017 estavam alinhados na largada todos os grandes nome do Ultra Trail mundial.

Até animei pra correr um pouquinho no domingo a tarde.

Veja como foi a prova no canal oficial da prova no Youtube aqui.

Saudações montanhísticas e não se esqueçam NUNCA:

É mais sobre montanhas!

Abraços, namastê!




Siga-me nos canais: 
Strava: http://www.strava.com/athletes/georgevolpao 
Fan Page: http://www.facebook.com/gevolpao 
Instagram: http://www.instagram.com/georgevolpao 
Soundcloud: http://www.soundcloud.com/george-volpao 

 Participe do Grupo Graveleiros do Brasil no Facebook:
 https://www.facebook.com/groups/1814723242078302

agosto 28, 2017

Aquela sumidinha básica, mas estamos de volta

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Depois de quase dois meses longe daqui, depois das férias do trabalho e dos conteúdos digitais, I'm back.

E sem nenhuma foto pela na montanha.

Fiz uma ou outra atividade no Morro do Anhangava, pertinho aqui de casa e também no Caratuva, montanha que já visitei umas 30 vezes.

Neste tempo desenvolvi uma relação ainda mais apaixonada com as bikes do tipo Gravel, o canal no Youtube continua crescendo junto com a interação da comunidade de graveleiros que está se formando.

Sendo assim, pretendo postar por aqui algum conteúdo escrito, uma vez que nem todos conseguem acompanhar através de vídeo. Além, claro, do meu gosto por escrever, algo que estava um pouco de lado, mea culpa.

Tenho aprimorado também o gosto pela culinária agora que me tornei vegano em definitivo. Experimentar novos sabores, temperos e misturar tem realmente me encantado.

Teve também corrida de rua, teve retiro com a Monja Coen, teve lançamento de músicas no Spotify (através do site você consegue ouvir).

Enfim, teve de tido (menos texto aqui).

Agora vai ter.

Abraços, namastê!











Siga-me nos canais:
Strava: http://www.strava.com/athletes/georgevolpao
Fan Page: http://www.facebook.com/gevolpao
Instagram: http://www.instagram.com/georgevolpao
Soundcloud: http://www.soundcloud.com/george-volpao
Participe do Grupo Graveleiros do Brasil no Facebook: https://www.facebook.com/groups/1814723242078302

julho 05, 2017

Férias | Voltaremos em breve!

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Deixo abaixo meu vídeo de férias. Férias de trabalho e férias de interação digital.

Entre os dias 06 e 31 de julho, estarei offline dos canais digitais como Facebook, Instagram, Youtube, Strava e outros que uso.

Vamos lá viver as férias MESMO.

Saudações, até o próximo mês!







Abraços, namastê!

junho 26, 2017

E a nova Kode Straat no Gravel? Pedal de sábado

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Foi, achei sensacional pedalar esta bike. Realmente, bicicletas do tipo Gravel me fazem muito mais a cabeça hoje em dia do que as já tradicionais mountain bikes.

Quer saber mais sobre meu pedal de sábado e sobre Gravel Bikes? Assine o canal no Youtube, assista o vídeo abaixo e me siga nas redes sociais :)

Baita abraço, ótima semana, namastê!








Siga-me nos canais:

Strava: http://www.strava.com/athletes/georgevolpao
Fan Page: http://www.facebook.com/gevolpao
Instagram: http://www.instagram.com/georgevolpao 
Soundcloud: http://www.soundcloud.com/george-volpao 
Participe do Grupo Graveleiros do Brasil no Facebook: https://www.facebook.com/groups/1814723242078302

junho 22, 2017

PERGUNTE AO VOLPÃO #004 | GRAVEL, CYCLOCROSS E MTB

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Hoje postei um vídeo onde esclareço algumas dúvidas que surgem nas minhas redes sociais e pelo YouTube.


Acompanhe no vídeo:

- Qual a diferença entre Bikes de Cyclocross e de Gravel?
- Por que Gravel Bike pode ser mais interessante que uma MTB típica?


E aproveite pra se inscrever no canal :)





Abraços, namastê!

 Siga-me nos canais:

Strava: http://www.strava.com/athletes/georgevolpao
Fan Page: http://www.facebook.com/gevolpao 
Instagram: http://www.instagram.com/georgevolpao 
Soundcloud: http://www.soundcloud.com/george-volpao 

 Participe do Grupo Graveleiros do Brasil no Facebook: https://www.facebook.com/groups/1814723242078302

junho 21, 2017

Nova Bike Kode Straat - Uma boa opção para montar uma Gravel Bike

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Poxa, que bike da hora!

Recebemos aqui na Jamur Bikes e já fiquei de olho grande.

E adianto, já garanti a minha!

Sim, a Kode Riff 70 vai retornar à proposta para a qual foi concebida (MTB 27.5 polegadas) no futuro (poca plata por ora) e vou apenas colocar o guidão drop e trocadores STI na nova Kode Straat.

Vejam a imagem abaixo, retirada do site do fabricante, bem como sua geometria:






Não parece ser muito apropriada para montar uma Gravel que é quase Gravel? Um top tube mais parecido com as speeds do que com as MTBs, um clearance menor na passagem das rodas, passagem dos cabos interna e outras características me levam a crer que esta bike pode andar muito confortavelmente entre estradões de cascalho (gravel roads) e asfalto, ou mesmo trilhas leves.

Bora fazer essa alteração.

Abaixo um vídeo mostrando a bike como ela vem de fábrica, original.




E aqui a ficha técnica:

- Quadro em alumínio 6061.
- Garfo: Alumínio.
- Cor: Champagne.
- Marchas: 16.
- Câmbio Dianteiro: Shimano Claris 2400.
- Câmbio Traseiro: Shimano Claris 2400.
- Trocadores: Shimano Claris.
- Pedivela: Shimano Claris 2450.
- Pedal: Alumínio WPD 313.
- Movimento Central: Shimano BB300.
- Movimento de Direção: Kode Aheadset Semi Integrado.
- Anéis espaçadores de Direção: 10mm.
- Corrente: Shimano 8V.
- Cassete: Shimano HG50 8V.
- Cubos: Shimano TX505.
- Freios: Disco Hidráulico Shimano M445.
- Aros: Alumínio 700C Kode Straat.
- Raios: Em Aço Pretos.
- Pneus: Rubena Hook.
- Guidão: Reto Kode 31.8 em Alumínio Preto.
- Mesa: Kode Alumínio 6061.
- Canote de Selim: Kode 27.2. Com Carrinho.
- Selim: Kode Preto.
- Peso aproximado: 12,2 kg no tamanho 17.


Abraços, namastê!

Siga-me nos canais:

Strava: http://www.strava.com/athletes/georgevolpao
Fan Page: http://www.facebook.com/gevolpao
Instagram: http://www.instagram.com/georgevolpao
Soundcloud: http://www.soundcloud.com/george-volpao

Participe do Grupo Graveleiros do Brasil no Facebook: https://www.facebook.com/groups/1814723242078302

junho 20, 2017

O que estou usando #002 | Roupas para frio na corrida

Senhoras e senhores tudo bem com vocês?

Deixo abaixo um vídeo do meu canal Nature Sessions onde abordo o equipamento básico de vestuário (sim, vestuário técnico é equipamento).

Já peço de antemão, se ainda não o fez, que se inscreva no canal, pois já tem e ainda terá muito conteúdo de corrida, trail running, gravel bikes, montanhismo, vegetarianismo e mais.

Muito obrigado!


Na foto, Leonardo Freitas e eu antes da largada da Super Meia Maratona Notura de Extrema -MG, corrida em montanha com 24 km no frio do inverno na Serra da Mantiqueira. Junho de 2011.





junho 16, 2017

Para que competir?

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Fiz a pergunta do título deste post pela primeira vez no final de 2014.

Escrevi em post recente (acesse aqui) que tinha decidido abandonar as competições de trail running após a minha participação na APTR Paraíba do Sul, quando consegui um honroso (kkkkkkkkkkkkkk) primeiro lugar na minha categoria.

Algumas semanas depois rompi o ligamento cruzado anterior do joelho direito. As férias forçdas me obrigaram a repensar algumas coisas.

Mesmo assim, em maio de 2014 competi naquela que foi, definitivamente minha última prova de trail running, que foi a Indomit Costa Esmeralda 21K. Você pode ler o relato aqui:

http://www.georgevolpao.blog.br/2014/05/indomit-costa-esmeralda-2014.html

Inclusive, se ler com atenção, poderá reparar como eu já observava atletas "que ainda estão mais preocupados com suas redes sociais - impressionante a quantidade de gente dos 21K e dos 12K correndo na praia e digitando no celular - do que com a incrível oportunidade de correr em um paraíso, desfrutando o momento.

Foi realmente o basta. Passei o restante daquele ano ainda envolvido com as provas, mas trabalhando para a Revista Trail Running e cheguei até a fechar contrato de parceria com uma grande marca estrangeira do mercado esportivo de aventura. Durou pouco e dei graças a Deus quando o contrato encerrou no final do ano.

E aí a pergunta veio forte: para que competir?

Competir é bom. Já participei de provas de duathlon, mountain bike, corrida de rua e de montanha... acho que vale até considerar os Jogos Escolares de 1989 em Paranaguá - PR quando eu jogava handebol.

Competir nos torna pessoas mais focadas e determinadas. Traz um tipo de motivação que nem sempre conseguimos por nós mesmos.

Mas, nessa reflexão toda que houve em fins de 2014, comecei a lembrar que os momentos mais prazerosos na vida outdoor (corrida, bike, montanha, etc) foi quando não estava buscando uma linha de chegada.

- Foi na montanha sozinho.


Pico Belo Horizonte - Serra do Curral, julho 2009.




- Naquele nascer do sol na montanha.

Valle del Plomo - Cordilheira dos Andes, Chile, fevereiro 2009





- Na chuvarada descendo o Pico Paraná.

Pico Paraná - Serra do Ibitiraquire, outubro 2014.



- Vendo as pessoas felizes em eventos de Bikepacking como esse:





- Pedalando até literalmente o cu fazer bico como nessa viagem em 2012...

Tijucas do Sul, agosto 2012.


Com o circo armado hoje, como já disse anteriormente também, este palhaço aqui não faz mais parte.

Faça mais perguntas. Elas são muito mais interessantes que as suas respostas.

Um grande abraço, namastê.


junho 12, 2017

Gravelizando gostoso e o saco que anda o trail running atual

Senhoras e senhores tudo bem com vocês?

Aproveitei o sábado gelado e de sol para tirar o pó da Groove Gravel e fazer um pedal gostoso com a Gravel que não é Gravel. Essa piada interna já corrente entre os inscritos no meu canal no YouTube faz todo o sentido quando estou em cima da bike, a Groove Riff 70 quadr 27.5 mas com rodas 700C.

É uma piração minha, é uma onda minha.

Sempre questionador dos meios tradicionais, do que o mercado nos empurra, apostei em montar minha própria Gravel Bike utilizando este quadro da Groove que consegui por um preço muito bom.

Em um primeiro momento, a bike está com um par de rodas 700C, utilizando um excelente pneu Continental Speed Ride 700X42. Bastante segurança e por enquanto, sem sinais de desgaste após as primeiras centenas de quilômetros.

Mas já estou aprontando um par de rodas e pneus 27.5X2.2 para poder fazer os estradões de terra com maior conforto. Como tanto quadro como garfo são em alumínio, os pneus estreitos não absorvem bem os impactos e tenho sofrido um pouco nos pedais com mais de duas horas.

Deixo abaixo algumas imagens e o vídeo do pedal de sábado passado.












E, falando em vídeos, na sexta-feira passada resolvi emitir a inútil opinião (segundo um dos comentários) sobre a nota oficial da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) informando de sua vinculação junto a alguns organismos internacionais que regulam o trail running lá fora, como a ITRA (International Trail Running Association) e a WMRA (World Mountain Running Association).

Foi o que bastou para me causar bastante desconforto quando, após a postagem do vídeo, cair na real e ver no se transformou o cenário competitivo do Trail Running brasileiro. Com exceção da galera realmente voltada a performance e que treina sério pra isso, visando competições internacionais de alto nível (como o Campeonato Mundial que aconteceu exatamente neste final de semana e onde fomos muito bem representados pelo que há de melhor em nosso país, conquistando o décimo posto na classificação por países), o amador que compete hoje em dia, na sua grande maioria tem transformado tudo isso em um grande circo patético de selfies, medalhas e méritos questionáveis. Alguns, incapazes de formular uma pergunta ou um comentário coerente, repetem como papagaios aquela ladainha motivacional baseada em hashtags. O lema destes poderia ser algo como "é mais sobre mochilas de marca e sobre combinar cores do que sobre montanhas".

Acabou que resolvi tirar o vídeo do ar quando já beirava as 100 visualizações, tamanha a bad vibe gerada pela galera que consegue ser mais mimizenta que eu.

Infelizmente, uma modalidade esportiva tão linda como essa, sendo vilipendiada por pessoas que sabem o novo lançamento de determinada marca mas não sabem a história daquela trilha, daquela montanha e que não respeita os coleguinhas, afinal, não se pode parar o treino para dar um bom dia e perguntar como vai a vida.

Sigo nessa solidão gostosa, indo para as trilhas sozinho e feliz, certo de minhas escolhas, sem mais carregar patrocínios no peito, mas com a consciência tranquila que não preciso NUNCA MAIS NA VIDA subir uma montanha para tirar foto com um par de tênis.

Minha vida nas montanhas nunca teve por base esse tipo de parâmetro.

Sou livre.

Obrigado, namastê, boa semana.

Trail Running feliz e solitário em Florianópolis, início de junho de 2017.







junho 05, 2017

Sobre Praias e Trilhas em Florianopolis

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Neste final de semana tive a oportunidade de ir à Ilha de Santa Catarina com bons amigos (alguns deles estiveram comigo em Bombinhas em setembro passado) para um final de semana de muito contato com a natureza e, principalmente, consigo mesmo.

Eles foram para um curso de Yoga e eu estava interessado em fazer algumas trilhas por lá. Não visitava Florianópolis dede 2010 e foi sensacional retornar àquele maravilhoso lugar sem a "pressão" de estar competindo.

Minhas duas visitas anteriores foram para participar da Volta a Ilha em 2010 e para o Desafio Praias e Trilhas em 2009. Eis os posts relacionados.

Volta a Ilha:

http://www.georgevolpao.blog.br/2010/04/impressoes-sobre-volta-ilha-2010.html

http://www.georgevolpao.blog.br/2010/05/sobre-ser-o-ultimo-colocado.html


Desafio Praias e Trilhas:

http://www.georgevolpao.blog.br/2009/10/desafio-praias-e-trilhas-2009.html



O tempo passa e amadurecemos - pelo menos assim que deveria ser.

Foi realmente diferente estar lá.

Após um nascer do sol incrível no alto das dunas da Joaquina...




Após correr pela trilha que liga a Praia da Galheta à Barra da Lagoa...




Após fazer a tradicional foto nu em uma praia naturista...





Após caminhar às margens da Lagoa da Conceição depois do melhor almoço vegano que já experimentei...



Após uma cervejinha curtindo por do sol na Lagoa...




Após a manhã de domingo correndo entre as Dunas da Joaquina...






Dúvidas esclarecidas, aprendizados em andamento e muita certeza: o amor que você recebe é igual ao amor que você dá. Além de ser verso de uma canção dos The Beatles, essa "frase feita" vai muito além do amor romântico.

A experiência deste final de semana tem mais a ver com amor próprio e amor "uno".

Ai, muito difícil explicar. Precisa viver isso. Então, amigo só posso dizer: vai e se joga no mundo.

Quem sabe eu solte mais algumas reflexões durante a semana...

Se você chegou até aqui, muito obrigado!

Namastê.

maio 29, 2017

Uma delicada e bipolar relação com o Facebook

Oi, tudo bem?

Como disse em texto anterior, sou Aquário com ascendente em Gêmeos.

Para quem não acredita nessas coisas, meu respeito e minha tolerância.

Para quem crê, isso se traduz numa explicação astrológica para duas características muito presentes em mim: rebeldia aquariana com a bipolaridade geminiana.

Eu já perdi a conta de quantas vezes eu desativei e reativei minha conta de perfil pessoal no Facebook.

Além disso, já fiz exclusão total por duas vezes. Uma em 2011 e outra no ano passado. Acho que por pura preguiça de apagar fotos de relacionamentos amorosos que chegaram ao fim (risos).

Em 2016 chegou ao fim um casamento de 4 anos de muitas montanhas e bicicletas e também de muitas diferenças que levaram à comum escolha pelo término da relação.

Aliado a isso, eu percebo de forma crescente um aumento da chatice, dos discursos de ódio, das palavras vazias que rolavam em minha timeline, principalmente no Facebook. Pessoas que tenho carinho e admiração que compartilhavam notícias destilando um ódio e uma ignorância (no sentido de desconhecimento mesmo) que não me parecia compatível com o seus sorrisos fáceis ou sua vibe "esportiva/montanhística".

O polarização dos discursos políticos, um viés de atenção voltado à simples emissão de opinião que na verdade não me interessava e a total "perda de tempo" que isso me ocasionava fizeram com que eu ficasse nessas idas e vindas.

Eu mesmo caí várias vezes nessa de emitir posições políticas, comportamentais e culturais até o ponto que um clique se deu e que é verdadeiramente fatal:

QUEM SE IMPORTA?

Sim, quem se importa?

Se minha opinião vai de encontro com quem pensa como eu, ganho likes, aplausos e "ameis".

Se minha opinião é diferente, ganho afastamento e principalmente uma energia negativa rondando por aqui.

Para quê isso? A troco de quê?

Porque, na verdade, ninguém se importa, e minha opinião sobre política ou sobre maconha ou sobre casamento gay não importa. E passei a ver que não faz sentido emitir essas coisas.

Emitir opinião não torna suas crenças mais verdadeiras ou corretas. São apenas opiniões.

Então tenho preferido opinar em algo que eu possa contribuir, como é o caso do meu trabalho com bicicletas, minha paixão pelas montanhas e minha experiência com musicas.

Estive umas semanas afastado da timeline do Facebook, apenas alimentando a fan page e foi uma experiência interessante.

Nesta segunda-feira, quando reativei o perfil, logo veio o desgosto. Nego falando mal de certo político, outro dizendo que paleo é vida (mais morte que paleo impossível, friend) e outras tosquices que somente uma rede social pode fazer que é dar voz a qualquer idiota.

Decidi ser menos idiota. Chega de incorrer no mesmo erro que condeno aqui.

Voltar a expor o que penso aqui parece mais interessante. São menos views, mas não é o número de views e likes que eu busco. Mas sim a qualidade de quem dispende um tempo lendo aqui ou vendo meus vídeos no YouTube.

Minha ficha caiu, meu saco encheu.

Sigamos, respirando e fazendo o bem, sempre.

Namastê, boa semana!






maio 25, 2017

Não seja enganado, caro amador

Oi, tudo bem?

Não se engane: O atleta amador realmente dedicado para performance ocupa seu tempo treinando e não se pavoneando nas redes sociais. Portanto, se houve alguma conquista, pódio, troféus, etc, é porque o nível dos atletas em determinada prova estava fraco e não porque a performance foi ótima. Assim foi nas poucas vezes que frequentei pódio como competidor de trail running entre 2007 e 2013. Nunca me iludi. Minha missão no esporte era, e sempre será, promover e difundir qualidade de vida e bons relacionamentos. 

Um recente episódio numa prova nacional de ciclismo me faz refletir sobre os rumos que o esporte amador tem tomado. Seja curioso e clique no link. E aqui uma única fotinho que encontrei, recebendo troféu de um dos meus mestres de vida Daniel Meyer, na APTR Paraíba do Sul 2013, Trail running de 27 km onde fui o sétimo geral e o primeiro na minha faixa etária 30-39 anos. 

Performance? 

Sofrível do ponto de vista de alto rendimento, fui primeiro de 7 atletas. Foi exatamente neste dia que decidi abandonar as competições. Corri praticamente três horas preocupado se estava bem, se tinha alguém atrás ou na frente. Não desfrutei. Praticamente não lembro dos companheiros de trilha ou das paisagens. Ali eu me senti pela primeira vez na vida VAZIO. 

Se de alguma forma o "textão" mexeu com você... reflita! Ninguém está certo ou errado. Podemos apenas não estar usando todo o potencial que Deus nos deu para desfrutar essa existência aqui. Em nome de pedaços de metal, madeira e de likes que amanhã nada significarão. 

Beijos e abraços!




maio 22, 2017

Na cama com a gatinha

Oi, tudo bem?

Queria ter ido à montanha neste final de semana. Tinha até feito uma corridinha no meio do mato numa noite gelada na semana que passou, testando roupas e lanterna.

Mas choveu pra cacete e não tenho problema algum em me assumir preguiçoso, passando o final de semana inteiro lendo livros e vendo filmes.

Não sou guerreiro nem herói de nada pra calçar tênis para correr em trilhas enlameadas, ou capa de chuva para pedalar em estradas escorregadias. Meu compromisso é com meu bem estar e mais nada.

A montanha sempre estará lá, pelo menos enquanto eu estiver neste planeta e antes de estourar a terceira guerra mundial que se avizinha.

Sendo assim, preferi ficar na cama com a gatinha :)

Biotita é companhia perfeita para este tipo de programa.

Boa semana a todos!


maio 15, 2017

Temporada de Montanha 2017

Senhoras e senhores, vamos à montanha?

Ontem estive no Morro do Anhagava, Quatro Barras - PR, para uma caminhada tranquila.

Tranquila até demais. Por ser dia das mães, provavelmente, praticamente não havia ninguém por lá, apenas os desnaturados. Foi legal encontrar a Erli e o Rafael, amigos ainda da década passada e com seus pequenos naquelas cadeirinhas de levar crianças para caminhadas em trilhas.

Houve a abertura "oficial" da temporada, realizada pela FEPAM ali mesmo em Quatro Barras no Refúgio Cincotreze no sábado anterior. Sou bastante arredio a convescotes sociais e preferi ficar em casa e assistir o Live in Pompeii do Pink Floyd porque é algo que me faz mais a cabeça.

A viagem foi tão grande que nem me dei conta da ventania e chuvarada na madrugada. Soube depois que aconteceram perdas de barracas e equipamentos nas montanhas do Ibitiraquire. Felizmente os danos foram apenas materiais.

No domingo pela manhã o céu era bastante azul e o vento bastante forte ainda, o que trouxe realmente a certeza que a temporada começou e os próximos meses prometem bastante aventura nas alturas.

Para o próximo final de semana já tenho algo programado lá pra essas bandas ibitiraquirenses.

O lado musical fica pelas noites insones no apezinho.

Cheers, bons ventos!!!!







abril 18, 2017

Vegetal e 1930

Oi, tudo bem?

É hora de voltar a botar para fora aquelas velhas canções que escrevi entre 1994 e 1998 (dos meus 17 aos 21 anos de idade).

É sobre a sofrência adolescente anterior à loshermanização do rock brasileiro, quando desde então as letras e as músicas deste gênero - com raras exceções - se tornaram mais politicamente corretas e mais açucaradas, com um sabor de suco de amora.

Ainda não defini quantas canções farão parte deste lançamento, mas sei que serão aproximadamente 40 minutos de rock and roll sem muita frescura. Nas sessões de gravação que tenho feito no meu homestudio, tenho procurado manter os arranjos de forma simples sem muitas viagens floydianas que são mais características das composições que comecei a fazer a partir de 2015.

Esses sons antigos pedem algo mais cru, bem do jeito que eu as imaginava quando compus estes temas ao violão lá nos anos 90.

Assim sendo, vamos gravar estas velharias, botar para o mundo e seguir rumo a novos ares e novos sons. As experimentações com instrumentos e arranjos seguem firmes e me encantam hoje muito mais que calçar um tênis para correr ou pegar a bike para pedalar. Cada um na sua e todos felizes.

Uma das coisas que me motivou demais a voltar a trabalhar com estas canções foi o encontro com um amigo montanhista das antigas que me disse que ouvia os sons de minha autoria que eu postava eventualmente nas redes sociais e que apreciava.

Fiquei muito contente e motivado que alguém, além do círculo próximo de amizades, estava ouvindo e prestando atenção ("pow, aquela guitarra me lembrou David Gilmour", disse ele - quase gozei de alegria).

 A primeira que compartilho um trecho chama-se 1930.

Escrevi a letra de supetão em 1996 após um passeio pelo Largo da Ordem aqui em Curitiba - PR após observar gravado o número 1930 (acredito que seja o ano de construção) em uma edificação. E aí veio a letra que trata de desesperança e descontentamento com os rumos da humanidade.

Foi um dos raros casos que escrevi antes a letra e depois a música.

Tudo se encaixou em três ridículos acordes que uso à exaustão em várias das minhas canções. A pegada ficou sessentista e crua. Gostei do resultado.

Abaixo, a letra completa e um trecho da canção finalizada.

Obrigado a todos e não se esqueça de se inscrever no canal do Youtube para acompanhar os lançamentos.


1930

Uma passagem interessante
Lembrando um filme dos anos 30
Voltar no tempo e ver no passado
Certas coisas que não percebíamos
Uma vida diferente, sem filtros, sem muitos disfarces
Preto e branco, mas hoje em dia
A tela quente, a mente vazia

Muitas pessoas estão pelas ruas
Nem se dão conta do que acontece ao seu redor
Bem à sua frente
Só pensam em dinheiro, status e outras bobagens
Deixam de lado a sinceridade, a decência
Fogueira de vaidades
Lembranças e saudade

O veneno que corre em nossas veias
O sangue quente que há em nossos corpos
A violência contra as crianças
Os vícios que corrompem as nações
As drogas que fazem as nossas cabeças
Os corações partidos
E acidente com mortos e feridos

E acidentes com mortos e feridos.



março 13, 2017

Caminhada Internacional da Natureza 2017 - São José dos Pinhais

E aí, tudo bem?

Na noite do sábado dia 11 de março participei da Caminhada Internacional da Natureza em São José dos Pinhais. Em um percurso de pouco mais de 12 quilômetros e que contava com estradas rurais e caminhos de serviço de propriedades da região, o evento me surpreendeu pela quantidade de participantes e pela organização impecável a meu ver.

Evento gratuito e com aproximadamente 3.000 pessoas por lá. Muito legal esse lance das pessoas saírem de casa e se disporem a fazer uma caminhada deste nível em um sábado a noite de tempo meio estranho.

Como não ando muito de escrever mas de vídeos, deixo abaixo as impressões que tive do evento como um todo e convidando você a conhecer mais sobre esse tipo de caminhada acessando o site do Anda Brasil.

Grande abraço e boas trilhas a todos!









março 09, 2017

41 Vezes no Itapiroca

Oi.

Feliz de ter retornado ao Ibitiraquire depois de tanto tempo.  Meio perdido nas contas mas acertei em 41 o número de vezes que estive no Itapiroca, disparado a minha montanha favorita da região.

A ideia era subir o Pico Paraná com as amigas Samantha e Isadora que vieram do RJ e SP, respectivamente visando culminar o ponto mais alto do sul do Brasil. Uma série de percalços nos impediu o feito cujo desenlance foi muito bem narrado pelas meninas em texto recomendado abaixo:

http://televopratrilha.com/itapiroca/

De minha parte, restou a certeza: a montanha é onde melhor me sinto - além da minha casa, conforme narrei em uma canção própria ainda por lançar.

Deixo um breve vídeo do sucedido também.





Obrigado, abraços, bons ventos!



março 02, 2017

Anhangavando

Oi!



Mas que delícia foi calçar o tênis, vestir a mochilinha de hidratação e correr até o Morro do Anhangava neste sábado de Carnaval!

Lembro bem que uma das razões para ir morar em Quatro Barras - PR em 2014 era justamente ter esta possibilidade. Estar com o Morro do Anhangava praticamente às portas.

Eu já fui inúmeras vezes de bike até o pé do morro. Mas desta vez estava a fim mesmo era de correr. E assim fiz. 6 km depois começa a subir forte por estradão e, em seguida, por trilha.

Fiquei um pouco destruído na volta, finalizando um total de 18 quilômetros, coisa que não fazia havia um bom tempo.

Segue Strava:




Isso não impediu de pedalar um tanto no domingo e na terça-feira também.

Assim, valeu o Carnaval! Segue abaixo o vídeo do Anhangava:






E FDS vem mais montanha!

Abraços, bons ventos!

fevereiro 20, 2017

Estância Hidromineral Ouro Fino - Nature Sessions

Oi Amigos, tudo bem?

O texto de hoje é um vídeo. 

Introduzindo: voltei à Estância Hidromineral Ouro Fino após 4 anos, quando corri a K21 no início de 2013. Veja o relato de então no link abaixo:


Dessa vez, foi pra curtir essa temporada de sol e calor que atravessamos por aqui. Sombra, água fresca e algumas caminhadas.

Maiores detalhes no vídeo abaixo.

Boa semana, babies!













fevereiro 13, 2017

Engatando umas corridinhas

Oi, tudo bem?

Vejam só que loucura isso né?

Justamente o Volpão que cuspia aos quatro ventos por diversas vezes que estava cansado de correr, que estava desmotivado, que não via mais graça... ele acabou engatando duas boas rodagens como nos velhos tempos.

Teria sido as velinhas apagadas no final de semana anterior? Uma rodagem gostosa de 10 km seguida dois dias depois de outra rodagem de 13 km, certamente a maior distância percorrida em uma corrida contínua nos últimos anos.

Sim, estou surpreso duplamente. Primeiro por mesmo sem treinar direito, ainda conseguir encaixar 13 km a um ritmo respeitável. Segundo porque eu realmente gostei dessa corrida na madrugada da quarta-feira passada. Acompanhar o dia chegar após alguns quilômetros de corrida na Estrada da Graciosa me faz pensar sobre gratidão e propósito. Grato por estar saudável e apto, propósito de fazer coisas diferentes no que se refere à vida outdoor.

No final de semana eu tirei o pé, senti um pouco o cansaço e o reflexo negativo de uma noitada movida a pão de alho.

Então dediquei-me à tequila na noite de sábado, que me "estragou" fisicamente para o domingo, mas que me libertou para pisar com um pouco menos de força nas corridas e pedaladas desta semana que começa agora.

E você? Animado para 2017? Eu to muito.

Abraços, boa semana!


Estrada da Graciosa em certo amanhecer. Quatro Barras / fevereiro 2017.



Amigos no trabalho. Volpão tequilero em fevereiro 2017. Curitiba / PR

Trail Running Culture

 Queridos e Queridas, como estão? Trail Running Culture. Cultura Trail Runner. Não temos no Brasil. Não temos apoio, incentivo e divulgação,...