Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2009

Considerações sobre a Maratona do Rio

Imagem
Pois é... The first one... A primeira maratona. Teria muitas e muitas coisas a dizer. Ontem fiz um breve resumo do que foi a prova. Porém acredito que esta foi uma experiência bastante particular e dada a imensa carga emocional que uma maratona demanda (pelo menos foi o que aconteceu nessa primeira corrida), penso que cada um deve tentar buscar a "sua" maratona. Mas isso será assunto de um próximo post, mais filosófico que este. Neste post quero deixar apenas mais algumas impressões do que aconteceu neste final de semana em terras cariocas. Como em todas as coisas da vida que realizamos pela primeira vez, nesta maratona aprendi muitas coisas sobre corridas, alimentação, psicologia do esporte, entre outros tópicos. Era natural sentir um certo temor antes, afinal não havia corrido essa distância antes. Em minha primeira competição de 10 km eu já havia percorrido essa distância em treinos inúmeras vezes. Na meia-maratona foi da mesma forma. Mas nessa clássica distância dos 42

Quarenta e dois mil, cento e noventa e cinco metros - Maratona do Rio

42.195m. 42k Maratona Muitos são os termos, números e definições para esta prova. Mas eu resumo em apenas uma: Maratona, Você TEM que fazer uma! Resumo breve do dia de ontem: Dia agradável, 19 graus na largada, no fim do mundo: Recreio dos Bandeirantes. Um retão de 20 km à beira mar até chegar à Barra da Tijuca, passagem pela largada da Meia Maratona (que a Lígia correu). Minha passagem nestes 21 km foi em torno das 2h15 minutos. Subimos um pouquinho por um viaduto e aí já estava bem quente. E veio São Conrado com a subida da Av. Nyemeier. Subida fraquinha, corri inteira, bem tranquilo. Neste ponto já era possível encontrar alguns atletas caminhando. Descendo rumo ao Leblon eu apaguei. Considerei andar os últimos quilometros e mandar tudo às favas. Minha dieta de gel de carboidrato não fez nada bem. Fui salvo pelo dinheiro que levei para comprar um pacote de batatas fritas. Cinco minutos após devorar meio pacote de das batatinhas eu voltei a correr em ritmo tranquilo, em torno de 6 min

Rumo ao Rio

Imagem
Chegou a hora! Embarco nesta sexta feira para o Rio de Janeiro. Será minha primeira participação em maratonas. A ansiedade tão apregoada já não está mais presente. No início da semana eu andava mais pensativo a respeito. Hoje não. Estou bem relax, satisfeito com meus treinamentos e, principalmente, não ter ocorrido nenhuma lesão. A carga foi muito forte em um espaço de tempo muito curto. Foram apenas 9 semanas de treinos voltados para a Maratona do Rio . Acredito que terei um tempinho no hotel para postar algo por aqui ainda no sábado. Desde já agradeço a força dos amigos que já há tempos vêm torcendo por mais essa conquista. Um grande abraço e rumo ao rio!

Um Trail Run muito divertido!

Como assino diversas atualizações de sites gringos de corridas de montanha (trail running em inglês), fico por dentro das novidades que rolam no mercado e principalmente sobre as competições. E se você também quiser receber as atualizações deste bloguezinho basta preencher seu mail no campo destinado a esse fim no menu lateral direito. Posto abaixo um vídeo bem bacana sobre uma prova realizada na Inglaterra, onde o esporte é bastante popular. Como sempre não poderia faltar boas doses de lama e umidade na ilha britânica, conhecida pelo seu clima chuvoso. No entanto no dia da prova havia um belo sol e a lama foi um ingrediente bastante divertido. E desta vez com ótima trilha sonora (nada como a boa música inglesa, hehe). Enjoy!

Calendário

Provas das quais pretendo participar em 2010 - sempre sujeito a alterações... Março 27 - Copa Paulista de Corridas de Montanha - 12 km - Paranapiacaba - SP Abril 24 - Volta a Ilha -20 Km - Florianópolis - SC Maio 22 - K42 Adventure Marathon - 42 km - Bombinhas - SC Junho 26 - Desafrio Urubici - 52 km - Urubici - SC

Subindo e descendo por Belo Horizonte

Imagem
Dando uma certa sequência ao post anterior, resolvi por em prática um pouco daquilo que escrevi dois dias atrás. Parti para um treino de subidas e descidas em um local que eu já estava namorando havia algum tempo através de programas como Google Earth e Map My Run . A idéia era subir pelas encostas orientais da Serra do Curral, passando pelo Minas Country até ser despejado na Antiga Estrada de Nova Lima. No alto da crista da Serra eu abandonaria a velha estrada e seguiria morro abaixo por uma rua de chão batido que me depositaria na Av. Borba Gato, uma via pública já conhecida de meus longões rumo à Sabará . De lá retornaria até a ainda mais conhecida Avenida dos Andradas. Tracei mentalmente o trajeto (o que de nada adiantou pois acabei me perdendo logo no começo e só me encontrando após perguntar o rumo certo para as pessoas na rua), me equipei do Forerunner 305 que emprestei e me bandeei morro acima. Para o evento selecionei o Salomon XT Wings , Meias de Compressão (sobre as quais t

A vantagem de quem corre e treina em subidas

Imagem
Buenas!! Há muito tempo eu defendo a prática da corrida em terrenos acidentados como componente importante na melhora do desempenho em corridas de percursos planos. E não se trata de papo de quem corre em trilhas. Estou falando diretamente a quem corre nas ruas. Quem corre em trilhas sabe que se não treinar subidas é melhor mudar de esporte...rsrs Pude comprovar o efeito prático disso tudo ao participar de competições nos últimos dois meses em que as subidas estavam sempre presentes. Em alguns treinos dei preferência aos percursos planos, pois estou focado na Maratona do Rio, que tem trajeto basicamente sem desníveis. Desta forma aproveitei estas corridas de 10 km para forçar mais um pouco, já que encontraria subidas exigentes em todas essas provas. A primeira corrida foi a João César , dia 24 de maio. 10 km em 51:31. Uma semana depois rolou a Corrida da Fundação Torino . Desnível altimétrico semelhante nos mesmos 10 km. Fechei com 51:22, quase a mesma coisa. Nesta prova eu poderia ter

Corrida de Pentecostes - Divinópolis - MG

Imagem
Estive participando neste último domingo da Corrida de Pentecostes em Divinópolis , cidade localizada a 121 quilômetros da capital mineira e com aproximadamente 200.000 habitantes. Trata-se de uma corrida já tradicional no atletismo mineiro, sendo realizada a 15ª edição neste ano. A distância da prova é a clássica 10 km tão presente em provas nacionais. A Casa do Corredor montou um pacote de preço amigo, sessenta reais incluindo a inscrição, e decidi encarar uma prova em outra cidade. Partimos em ônibus lotado em uma fresquinha manhã ensolarada, por volta de 6:30 da manhã. Expectativa de duas horas de viagem. Magrão , camarada já conhecido das corridas em acompanhou nessa. A Lígia preferiu tirar uma folga das competições, focando em seu treinamento para a Meia Maratona do Rio , dentro de quinze dias. Após bastante agito no latão , chegamos em Divinópolis cerca de uma hora antes da largada, que estava prevista para as 9:30. Por lá o friozinho e o vento eram mais intensos, o que me fez

Proibido Correr

Imagem
Na verdade eu havia pensados em vários títulos para este post. "Corrida de Aventura em Belo Horizonte" "São Tantas Emoções" "Feriado? Fique Em Casa" E muitos outros. Isso tudo decorrente da tentativa de achar um lado engraçado a respeito da situação que eu enfrentei no treino desta quinta-feira, feriado de Corpus Christi, na capital mineira. E cheguei à conclusão que fica proibido correr em dias como esses, em alguns locais tradicionais para treinos na cidade. Decidi aproveitar o feriado no meio da semana e dormir um pouquinho mais, não mepreocupar com acordar cedo para treinar, essas coisas. Decidi por treinar à tarde, na já conhecida Pista da Andradas. E foi um pesadelo. Não vou nem citar o mau cheiro dos cocôs do Ribeirão Arrudas, algo que já comentei anteriormente. Este é, sinceramente, o menor dos incômodos. Iniciei o treino no cruzamento da Avenida do Contorno com a Andradas, próximo à região hospitalar. E as coisas já não começam bem. Mendigos para

Sobre Homens e Montanhas - Jon Krakauer

Imagem
Para movimentar um pouquinho mais este blog vou dedicar um espaço semanal para comentar um pouco da minha vasta biblioteca de montanha e aventura. Assim tento ajudar quem busca informações sobre essa literatura marginal. Este é um texto que foi publicado em meu blog antigo, do tempo do George Nas Nuvens, o montanhista dos patrocínios. Para começar um livro clássico: Sobre Homens e Montanhas, de Jon Krakauer. Nunca fui muito fã do Krakauer. Nada contra jornalistas, mas às vezes sou levado a crer que eles distorcem um pouco as coisas e adaptam situações à conveniência. Seu relato publicado na Outside Magazine americana no outono de 1996 referente à famosa tragédia do 10 de maio, foi um exemplo disso. Tanto que criou-se a maior polêmica, principalmente no que se refere à atuação do guia russo Anatoli Boukreev. Em 1997 Jon Krakaeur publicou sua versão completa no clássico Into The Thin Air (No Ar Rarefeito em sua versão brasileira). A resposta foi imediata com Boukreev publicando The Climb

Turismo – Santiago do Chile

Imagem
Santiago é encantadora. Santiago é fantástica. Santiago é demais para minha cabecinha terceiro-mundista… Santiago é a realização dos meus sonhos de uma metrópole em que é possível viver. Tá bom, você pode achar que estou exagerando. Mas na minha humilde impressão eu não estou não. Venho de uma criação em uma cidade dita de primeiro mundo, Curitiba, capital paranaense. Realmente, se comparada a outras capitais do Brasil (conheço algumas) ela tem uma qualidade de vida bem aceitável. Hoje vivo em Belo Horizonte, o Faroeste Caboclo em forma de metrópole de uns seis milhões de indivíduos. Santiago do Chile tem aproximadamente a mesma população. Porém Santiago não oprime, não assusta e não prejudica quem quer viver nela. Santiago tem inúmeros problemas também, entre eles o crescente aumento da violência (mas pelos jornais que li enquanto lá estive eu vi que se você fizer cagada o bicho pega mesmo), o trânsito complicado e a poluição quase insuportável, a ponto de ser difícil distinguir a C

Divulgando

Buenas! Postzinho bem rápido chamando a atenção para a divulgação de algumas imagens que fiz em um dos meus favoritos hobbies, a fotografia. O link é www.georgevolpao.multiply.com . Apareçam por lá, comentem e divulguem. Gostaria também de agradecer as palvavras generosas que recebi aqui no blog, por e-mail e por recados no orkut sobre a cobertura fotográfica da VIC, bem como sobre os assuntos tratados neste blog. E por fim recomendar a leitura do texto de meu amigo Tonto e, principalmente mandar um mail à presidência da república no que se refere a aprovação da Medida Provisória 485, que regulariza terras ocupadas ilegalmente na Amazônia. Eis o link para você fazer a sua parte: http://www.presidencia.gov.br/presidente/falecom/ Um grande abraço e bons treinos!

5ª VIC - Volta Internacional da Contorno - Ronaldo da Costa

Imagem
Em um gelado (nem tanto) domingo de sol foi realizada mais uma VIC - Volta Internacional da Contorno. À parte a ousada e irônica denominação de prova internacional, a VIC se consolida como uma das mais divertidas e inusitadas oportunidades de correr em Belo Horizonte. Estive presente para fazer a cobertura fotográfica do evento, por hobby, por diversão e para rever os bons amigos que já fiz na cidade. Tudo começou no final do ano passado, quando algumas pessoas da comunidade do orkut dos corredores de rua de Belo Horizonte resolveu se juntar para percorrer um trajeto dos mais emblemáticos da capital mineira: a Avenida do Contorno. Belo Horizonte teve seu planejamento urbano datado do final do século passado, inicalmente para abrigar uma população estimada de 100.000 habitantes após um século de sua fundação, que ficariam concetrados na área delimitada pela projetada Avenida do Contorno. Na época da fundação de Belo Horizonte, em 1897, a cidade contava com 25.000 habitantes. porém já e

3 Barras de Chocolate

Bom demais correr longe... Neste sábado foram longos 32 quilômetros de corrida, em um último longão visando a minha participação na Maratona do Rio, que se aproxima. Parti rumo a Sabará, cidade vizinha a Belo Horizonte. Este treino de 32 km foi mais difícil que o anterior . Talvez por não estar acumulando quilômetros durante a semana, talvez por estar um pouco mais quente que na vez anterior, talvez por já estar sentindo os efeitos deletérios do excesso de quilometragem para meus padrões normais. Até o km 28 ou 29 tudo anda bem. Depois disso eu apago. A frequência cardíaca sobe em média dez batimentos, mantendo a mesma velocidade. As pernas começam a pesar e com isso tudo a moral despenca. Não fui além dos 33 km em treinos, então será uma incógnita o meu comportamento após esta distância durante a prova do Rio. Apesar das dores e do cansaço no restante do dia isso tudo é recompensado por uma dieta livre, com direito a muito chocolate, meu "prato" favorito. Gasto calórico do t

O Frio de Belo Horizonte segundo um Curitibano Corredor

Imagem
Post parecido para assuntos parecidos. Mas estou voltando ao assunto devido à curiosidade típica que rola nestes tempos gélidos a respeito do que vestir, como treinar, o que fazer com a friaca que anda abraçando as Minas Gerais neste final de outono, início de inverno de 2009. Esta massa de ar polar está se afastando. Hoje pela manhã os termômetros marcavam confortáveis 13 graus no Bairro de Santa Tereza, onde eu moro. Acredito que quem treina em locais altos como Belvedere, Mangabeiras e Sion deve sofrer mais que este corredor aqui que trota pelas margens do fétido Ribeirão Arrudas. Por sinal, no inverno ele fica menos fedido, talvez porque as pessoas tenham preguiça de usar o banheiro no frio (teoria furada, mas tudo bem), talvez porque as bactérias responsáveis pela decomposição do cocô trabalhem mais lentamente. O cocô seria decomposto apenas para as bandas de Sabará, logo a jusante, pobres vizinhos da capital mineira. Deixando de lado a escatologia, eu citei no post anterior, que

O Frio de Belo Horizonte segundo um Curitibano

Está em todos os jornais, canais de televisão e tal. O frio chegou a Minas Gerais (e ao resto do país, claro). E realmente faz frio hoje, quarta feira, 03 de junho. Eu que passei os últimos 31 anos da minha vida vivendo no Paraná, boa parte deles em Campina Grande do Sul, cidade sujeita às gélidas correntes de ar provenientes do alto da Serra do Mar, sei bem como dói na pele um vento gelado. Enfrentei por alguns anos invernos por lá, onde meu termômetro digital amador chegou a marcar -4,6 C no jardim de casa. Sair cedo para as atividades da vida não era fácil. Na verdade, temperaturas extremas como essas não incomodavam tanto. O problema era a sequência de manhãs frias. Noventa, cento e vinte dias seguidos onde a temperatura mínima não passava dos nove graus. De abril a setembro, por vezes. Isso incomodava. Eu amo o frio. Porém a paciência tem limites e este era atingido bem ao final do período. E aí vinham os primeiros dias quentes em meados de setembro. E a vida seguia seu ciclo anua

Corrida da Fundação Torino - 31 de maio

Post rápido sobre prova maneira. Bem organizada, com a já conhecida competência organizacional da By Japão. Percuso duro para novatos, ideal para quem segue a filosofia do quanto pió, mió. De aspectos negativos apenas o atraso na largada (mas com direito a hino brasileiro e italiano, por causa da ligação dos patrocinadores com o país em formato de bota) e a falta de isotônico na chegada. Apesar do percurso duro e do treino de 20 km que fiz no dia anterior à prova, consegui diminuir em alguns segundos meu tempo nesses 10 km. Sinal que os treinos andam bem. Nesta semana pegarei leve pois o ultimo longo mais longo será neste final de semana: 34 km, sabe Deus por onde. Um grande abraço.