novembro 27, 2009

Resultados (atualizado em 05/2010)

(Apenas Corridas de Montanha e Maratonas)

Maio 2010
22 – K42 Bombinhas Adventure Marathon 42 km - Bombinhas - SC
6h12’59” - 8º na categoria 30-34 anos.

Março 2010
27 - Copa Paulista de Corridas de Montanha, 1ª Etapa 12 km - Paranapiacaba - SP
1h21'36" - 8° na categoria 30-34 anos.



RESUMO 2009
*Primeira vez que corri a distância da maratona.
*Cinco maratonas em cinco meses, sendo três delas no intervalo de 29 dias.
*Três maratonas foram em trilhas e duas no asfalto.
*Duas maratonas em dois dias consecutivos, o Desafio Praias e Trilhas.
*Considerada pelos atletas como mais difícil que a Comrades, tradicional prova de 87 Km em asfalto na África do Sul.


Novembro 2009
22 - Maratona de Curitiba 42 km - Curitiba - PR
4h37'11" - 187/ na categoria 30-34 anos.

Outubro 2009
24 e 25 – Desafio Praias e Trilhas 84 km - Florianópolis - SC
15h59’25” - 6º na categoria 30-34 anos.


Agosto 2009
15 – K42 Bombinhas Adventure Marathon 42 km - Bombinhas - SC
5h48’43” - 13º na categoria 30-34 anos.

Junho 2009
28 – Maratona do Rio 42 km - Rio de Janeiro - RJ
4h46’22” - 199º na categoria 30-34 anos.

Março 2009
22 – 1º Trail Run Movimenta Minas 7 km - Lagoa dos Ingleses - Nova Lima - MG
38’28” - 21º na categoria 30-39 anos.

Julho 2008
17 - 2ª Etapa do Circuito Paranaense de Corridas em Montanha 2008 - Morretes - PR 10 km
1h08’32” - 3º na categoria 30-34 anos.

Setembro 2007
23 - 5ª Etapa do Circuito Paranaense de Corridas em Montanha 2007 - Rio Bco. do Sul - PR 21 km
2h37’46” - 1º na categoria 30-34 anos.

Julho 2007
29 - 4ª Etapa do Circuito Paranaense de Corridas em Montanha 2007 - Campo Magro - PR 21 km
3h30’23” - 3º na categoria 30-34 anos.

Fevereiro 2007
10 - 1ª Etapa do Circuito Paranaense de Corridas em Montanha 2007 - Colombo - PR 10 km
1h07’29” - 8º na categoria 30-39 anos.

novembro 24, 2009

Maratona de Curitiba 2009 - Post Técnico

No começo do dia o céu azul logo ao amanhecer (algo pouco comum na terra dos pinheirais) já anunciava que o dia seria quente.

Na largada logo cedo, já fazia 23 graus. Na Maratona do Rio que fiz esse ano no mesmo horário estava 18 graus.

Como havia me programado para correr apenas uns 10 ou 20 quilômetros corri de uma maneira mais displicente. Nada de meias de compressão e nenhum cuidado pré-prova, já que na semana anterior não caprichei nos carboidratos nem na hidratação. Além disso, na véspera andei feito um doido pela cidade.

Mas quando alinhei na Av. Cândido de Abreu pouco antes das oito da manhã eu já tinha tudo em mente:

1-) 1 gel GU a cada 45 minutos.
2-) 2 copos de água em cada posto de hidratação.
3-) 40 gramas de ruffles por volta do km 20 junto com uma lata de coca-cola.
4-) Após o km 30 deixar rolar tudo: isotônico, água, o que viesse.
5-) Correr com o coração, até o pórtico de chegada.

Porra, como assim correr apenas metade da prova, justo na minha terra natal e com tanta gente alto-astral por perto?

Enfim tá aí o meu "segredo" (que não segredo pra ninguém). Quatro semanas depois dos 84 Km do Desafio Praias e Trilhas em Floripa eu mandei um 42K no asfalto, praticamente sem treino. Corri a Poderes da Lua de 5K em BH e depois disso treinei apenas a ridícula quantia de 18K, divididos em 8K pelo Belvedere na capital mineira e mais 10K aqui na gélida terra sulina.

Fechar a Maratona de Curitiba com um tempo 10 minutos melhor que o obtido 5 meses antes no Rio de Janeiro, foi consequência da base que obtive ao longo desse tempo e principalmente da força de vontade.

Essa força de vontade, aliada a um bom planejamento de hidratação e reposição energética e de sais na prova, foi fundamental para o sucesso. Nada de cãimbras, o ritmo foi excelente para meus padrões e ainda rolou um sprint final sem traumas. Vestuário perfeito, com bermuda de compressão, camiseta Solo Ion Lite e meias Mizuno de quase dez reais, além do velho amigo Mizuno Prorunner 11.

Nenhuma bolha nos pés, nenhuma unha preta. Apenas algumas marcas deixadas pelo sol, visto que iria correr apenas uma ou duas horas e acabei fritando por 4 horas no sol forte.

Não faria nada diferente. Foi perfeito.

Que venha 2010! Um abraço.


Yara Achoa, Antonio Colucci, Xurupita e Volpão na entrega do kit.


Olha o Volpão chegandooo!

novembro 23, 2009

13ª Maratona de Curitiba - 2009 (post piegas)

A vontade era de começar com algum palavrão bem sonoro. A verdade é que minha participação nessa prova foi simplesmente sensacional. não pelo tempo de conclusão, não por ser uma maratona de 42K (essa redundância faz-se bem necessária aos não corredores,rs), não por ser uma corrida na minha amada terra natal.

A real é que as 4 horas e 37 minutos que passei oficialmente dentro prova trouxe uma série de sentimentos bons. Estava tão bom que deveria na verdade ter levado mais tempo, mas acabei me empolgando em busca de um ridículo recorde pessoal na distância. Sou avesso a essas bobagens de correr contra os outros ou contra mim mesmo (corro "comigo" e não contra meu tempo anterior). Tudo bullshit para mim. Meu estilo apenas, respeito e admiro os diferentes. Mas voltando à maratona...

Um belo domingo de sol e calor na capital dos paranaenses como eu. Desde a sexta feira eu já estava travando contato com pessoas que se mostraram super especiais, principalmente a @liliansilvapp, a @yaraachoa e o @marcoboss. Amizades que surgiram dessa tal internet e que se torna real, coisa que para mim é muito fácil e palpável. Verdadeiro mesmo.

Ter algumas horas de convívio com essas pessoas com certeza foi um grande fator motivador para eu mudar de idéia e em vez de correr parte da prova por não estar bem treinado e botar o coração para funcionar. Inspirado naquele treinador que Dean Karnazes teve quando adolescente eu fiz o mesmo: Corri com o coração!

Coração que já estava batendo forte na largada, presenciada por pessoas especiais para mim, amigos de longa data, outros de poucos dias.

E assim fui colocando meu coração a cada quilômetro das ruas de Curitiba. Corri quase 13 km conversando com o ultramaratonista Alexei, onde compartilhamos aspirações esportivas e segredamos objetivos malucos.

A cada posto de água eu me comovia com aqueles escoteiros-mirins entregando água para os atletas. Os desconhecidos apertavam os olhos para ler o nome no número de peito e lhe gritar palavras de incentivo com seu próprio nome. Pela primeira vez em uma competição de massa não ouvi alguma piadinha sem graça.

Havia um sol maravilhoso que proporcionou quase 30 graus de temperatura. Logo após o quilômetro 35 ouço alguém falando que vinha uma chuva para refrescar. Na verdade a chuva veio para realmente lavar tudo. Levar embora as coisas mal resolvidas, levar embora o George que achava ser bobagem correr mais uma maratona no asfalto, levar embora a dor do desencanto, inclusive com a própria corrida, já que havia quase um mês que não calçava os tênis.

Com o toró que caiu foi embora tudo de ruim que habitava minha mente nesses dias anteriores. E assim como a chuva levou embora o que era ruim, ela me trouxe novamente o Sol. Havia chegado a hora de reabrir as janelas. E o Sol disse:

Deixa Chegar O Sonho, Prepara Uma Avenida Que A Gente Vai Passar!

E veio a avenida: Candido de Abreu, último quilômetro da prova mais fantástica de toda a minha vida. Correr na terra natal que amo e me orgulho teve um valor fundamental: valorizar o que é do bem.

Como bônus, uma massagem pós prova, uma queda de 10 minutos em meu tempo final se comparada à outra maratona em asfalto que fiz esse ano e um split negativo. Ou seja: corri a segunda metade da prova um tantinho mais rápido que a primeira.

Números? Cinco maratonas em cinco meses. Ei-las:

Maratona do Rio de Janeiro, 28 de junho;
K42 Bombinhas, 15 de agosto;
Desafio Praias e Trilhas, 24 e 25 de outubro (duas maratonas em dois dias seguidos);
Maratona de Curitiba, 22 de novembro

Porém, mais importante do que os números foram os abraços e as demonstrações de carinho que recebi. Só para citar alguns que lembro o nome: Francisco Kirchgassner (cruzamos juntos a linha de chegada), Rose Vieira (quase perdeu a voz na chegada), Vivian Dombroski (um "vai George!" de arrepiar, faltando 200 metros), Alexei Caio (o cara vai correr 24 horas no final de semana seguinte), Itamar Góes (amigo das corridas de montanha), Rafael Bonatto (ultramaratonista e cliente Jamur Bikes), Clodoaldo Pasquini (companheiro de montanhas)....a lista seria imensa... Já citei o pessoal do twitter acima... Tem o Eliandro Padilha, vulgo Toi, além de companheiro de trabalho é corredor como eu e já prometeu fazer os 42K em 2010. Tem tanta gente...Naná, Deborah Leão, Rodrigo Stulzer, Casal Jessiê e Eriston Schypula, Jorge Ultramaratonista, André Xampa, Antonio Colucci... melhor parar senao tem gente que pode chiar, rs

Tudo isso é vontade de agradecer, porque sem essas demonstrações de carinho dessa galera toda e muitos mais (me perdoem se esqueci de alguém, de coração) eu não teria ido até o final.

Bem, jamais conseguiria passar aqui o que rolou no coração. Então o que tenho a dizer é ressaltar o que disse o cabra que meteu essa idéia na cabeça do Dean: Corra com o coração!

E ainda nesta semana um post mais técnico e menos piegas.

Valeu a todos.

novembro 22, 2009

Santiago - Montanhas Chilenas

Apresento aqui um textinho básico sobre os dias que eu e a Lígia passamos nas montanhas chilenas. Chegamos em Santiago, capital do país no dia 06 de fevereiro. Após o retorno da traumática Puente del Inca (um dia escrevo a respeito da comercialização da montanha), decidimos ir para lá, fazer um pouco de turismo. convencional. Com a missao cumprida no Cordón del Plata (atingir uma montanha de 6.000 metros) e com a péssima temporada no Aconcágua esse ano, com mau tempo, poucos sucessos e muitas mortes; foi a melhor decisao que poderíamos tomar.

Mas, montanhistas que somos, nao nos aguentamos. Partimos para uma caminhada de quatro dias nos Andes Centrais, indo até o Campo Base do Plomo (famosa montanha da regiao) e subimos ao cume do Cerro La Parva (fotos em breve) com 4.100 metros de altitude.

A regiao é muito bonita, com diversas montanhas acima dos 4.000 metros para se culminar. O tempo nao colaborou muito nos dois primeiros dias, impedindo que realizássemos algumas atividades. Somente no último dos quatro dias que tínhamos disponíveis o tempo abriu e pudemos contemplar toda a beleza da regiao. E por isso nos decidimos por subir o La Parva, de onde foi possível ter um belo panorama dos Andes.

Um abraço a todos!

Cerro Plomo, com o princípio do mau tempo que nos impediu de subir no dia determinado.



Algumas horas depois, já no Campo Base do Plomo, a 4.200 metros. Começa a nevar e ventar.
Ataque suspenso.



Cerro La Parva (4.100 m), nosso primeiro cume chileno.



Laguna Piuquenes (3.350 m) ao pôr do sol.



Cume do La Parva, com o Cerro Plomo ao fundo (no dia seguinte tempo abriu mas já era tarde, tínhamos que voltar a Santiago). Nas mãos a bandeira mapuche e no peito a camiseta chilena!



Território Rarefeito!!!


====================================================================

novembro 20, 2009

Maratona de Curitiba

Vai rolar neste domingo a Maratona de Curitiba, na bela capital paranaense. Porém mais importante que correr a maratona (vpu correr uns 20 Km apenas, será receber bons amigos de outros cantos do país. Porque para mim a amizade, o companheirismo e o carinho é das coisas mais importantes que a corrida me traz.

Aqui estarão o Hideaki, o João Gabbardo, a @yaraachoa, a @liliansilvapp, o @antoniocolucci, o @marcoboss e muitos outros que peço que perdoem por esquecer. Citei aqui apenas aqueles que tenho maior contato.

Portanto vamos lá, força sempre para todos e semana que vem eu volto com comentários sobre meu calendário 2010.

Grande abraço!

novembro 14, 2009

Equipamentos - julho de 2009

Muita gente pensa que para correr basta calçar um tênis e tocar pra frente. Sim, é possível. Mas quando se busca um pouco mais de performance, corridas mais longas ou encarar trilhas, alguns outros itens são importantes. Além do básico tênis, shorts e camiseta, em alguns treinos ou provas podem ser necessários abrigos de mau tempo, lanternas (corridas nournas em trilha), mochilas de hidratação e mais.

Neste post segue uma pequena relação do material que uso para corridas. Alguns poucos deles eu já citei aqui e disponibilizo os links. Em breve vou escrevendo sobre os demais equipamentos e vou atualizando os links.

O que estou usando:

Tênis de Corrida de Rua:
Joma Hispalis IV
Mizuno Prorunner 9
Mizuno Prorunner 11

Tênis de Corrida de Montanha:
Salomon XT Wings
Salomon GCS
Salomon Speedcross II

Meias:
Mizuno Performance Prorunner
Solo Trail
Kendall Média Compressão (para distâncias acima de 30 km)

Sistemas de Hidratação:
Pochete Kailash Hydrocombo
Cinto de Hidratação Asics
Mochila Deuter Speed Lite 3.0

Relógios:
Suunto X-6
Timex Heart Rate Monitor 50 Lap

Óculos:
Tifosi Optics Ventoux
Tifosi Optics Slip
Julbo Next

Bonés:
Kailash Race
OR Pro
Diversos outros promocionais (para treino)

Camisetas:
Nike Pro s/ manga
Kailash Fresh manga curta
Kailash Fresh manga longa
Solo X-Thermo Zip (para dias frios)

Shorts:
Salomon Trail Runner
Nike Pro
Adidas Adizero

Jaquetas Corta-Vento:
Salomon Fast Lite
Solo Ventus

Calça:
Kailash Run Out

Lanternas:
Princeton Tec EOS
Petzl Tikka Plus

If God Wil Send His Angels

Nobody else here baby
No-one else here to blame
No-one to point the finger
It's just you and me and the rain.

Nobody made you do it
No one put words in your mouth.
Nobody here taking orders
When love took a train heading south.
It's the blind leading the blond
It's the stuff, it's the stuff of country songs.

Hey, if God will send his angels
And if God will send a sign
And if God will send his angels
Would everything be alright?

God's got his phone off the hook, babe
Would he even pick up if he could?
It's been a while since we saw that child
Hangin' round this neighbourhood.

See his mother dealing in a doorway
See Father Christmas with a begging bowl.
And Jesus' sister's eyes are a blister
The High Street never looked so low.

It's the blind leading the blond
It's the cops collecting for the cons.
So where is the hope and
Where is the faith and the love?
What's that you say to me
Does love light up your Christmas tree?
The next minute you're blowing a fuse
And the cartoon network turns into the news.

If God will send his angels
And if God will send a sign
Well if God will send his angels
Where do we go?
Where do we go?

Jesus never let me down
You know Jesus used to show me the score.
Then they put Jesus in show business
Now it's hard to get in the door.

It's the stuff, it's the stuff of country songs
But I guess it was something to go on.
Hey, if God will send his angels
I sure could use them here right now
Well, if God will send his angels...

Where do we go?
Where do we go?

novembro 12, 2009

Eu já caí

Treino apenas com relógio.

Já caí no "conto do GPS" que nao tem precisão que justifique o investimento.

Já caí no "conto do monitor cardíaco" também, mas descobri que se eu consigo conversar enquanto eu corro eu estou em um ritmo seguro para minha saúde.

Já caí no "conto da pista de corrida", onde em vez de desviar de carros tenho que desviar de pessoas passeando com seus caezinhos defecando no chão.

Já caí no "conto da assessoria esportiva" que pra mim se presta a apenas duas funções: fazer social pós-treino e provas ou correr mais rápido (não necessariamente mais feliz), o que não é definitivamente meu interesse na corrida.

Já caí no "conto do tenis caro e importado especifico pra sua pisada". Tênis pra sua pisada é importante, mas nao precisa ser caro.

Desde que abandonei esses itens inúteis pra mim já concluí provas que jamais pensei ser capaz de fazer enquanto me bitolava no que um polar ou um livro me dizia. Dizem os "doutores" que nao se deve correr mais que duas ou tres maratonas em um ano. Em 120 dias corri 4 sendo duas delas em dias consecutivos, uma no sábado e outra no domingo.

Não apenas eu, mas também mais de 100 malucos que mandam às favas esse papo de pistas marcadas, aguinha pra beber a cada km, e camisetas de cor diferente a cada corrida. Esses caras correm aquilo que acham que pode correr, se não tem água no treino correm de mochilinha com água e a camiseta pode ser qualquer uma mesmo.


Um grande abraço a todos!

novembro 10, 2009

Algumas imagens do George durante a Praias e Trilhas 2009

Salve povo das corridas!

Chegaram as fotos que a Equipe Território Mountain Team comprou junto à Foco Radical retratando a participação de seus atletas no Desafio Praias e Trilhas 2010.

Segue abaixo algumas imagens da galera em ação.

George:
















Geison:









Eliandro:








Equipe:





novembro 06, 2009

Vídeo da Praias e Trilhas (parte I)

Demorou mas saiu...

Segue a primeira parte do video da Praias e Trilhas (sem fundo musical, obrigado pela dica Rodrigo do Transpirando.com, no próximo vai rolar um som de acordo).

O vídeo está publicado com exclusividade no site www.ox3mag.com, onde sou colunista e colaboraor.

Enjoy!

novembro 03, 2009

Corrida Poderes da Lua - Como foi

Foi ótimo, muito bom!

O percurso que cruzava as ruas centrais de Belo Horizonte era muito interessante, dando aos corredores a oportunidade quase única de sair das rotineiras corridas na orla da fétida Lagoa da Pampulha.

Apesar dos comentários dos atletas de que a prova teve menos de que os 6 Km anunciados esse fator foi pouco importante diante da precisa organização, do horário de largada respeitado, da premiação agilizada e da simpatia do pessoal do staff.

Corri os quase 6 Km em 24'45" , o que pra um pangaré das longas distâncias esteve de bom tamanho.

Estarei presente nas próximas edições sempre que as datas coincidirem com alguma ida minha a Belo Horizonte.

E amanha um novo vídeo da Praias e Trilhas. Um abraço.

Trail Running Culture

 Queridos e Queridas, como estão? Trail Running Culture. Cultura Trail Runner. Não temos no Brasil. Não temos apoio, incentivo e divulgação,...