Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2013

Maio no Final

Imagem
Buenas! Foram em torno de 150 km e uns 3.000 metros de desnível positivo acumulado neste maio. Uma porcaria diante daquilo que eu gostaria e deveria fazer, mas uma beleza diante das condições locais e das possibilidades. Teve lugares lugares belíssimos, boas companhias, treinos solitários em madrugadas gélidas, domingos de sol e céu azul, montanhas de 1.800 metros, visibilidade de 2 metros com neblina e escuridão das seis da manhã de uma quinta-feira, competição, parcerias e objetivos traçados. Que mês. Por vir: Maratona dos Perdidos, K42 Bombinhas, Travessia Lapinha-Tabuleiro em um tiro e Half Mision Brasil. Valeu!

Próxima Parada: Maratona dos Perdidos

Imagem
Bah, eu já corri um bocado neste 2013. Curiosamente, este ano eu tinha decidido comigo mesmo não competir mais, estando a fim somente de fazer minha 5ª Bombinhas Adventure Marathon. Tratei disso em três posts entre o final de 2012 e início de 2013, a saber: Travessias , Descendo Lá do Alto e Homem de Fases . Para mim foi uma puta cuspida para cima. Acabei sendo novamente envolvido pela paixão e tara irresistível de percorrer trilhas de maneira rápida, leve e suave. Bem, eu gosmo MESMO de fazer isso. Estamos ainda em maio e já pude correr duas provas de montanha de 21 Km e outras duas com 12 Km. A Território Mountain me chamou para a equipe de corredores de montanha , a desanimação com o Trail Running Brasil virou mega empolgação com o Trail Labs e já tive oportunidade de fazer uma bela correria na Serra do Ibitiraquire, subindo o Morro Caratuva aceleradamente. Tudo isso conspirando a favor de manter-me ainda mais motivado. E ainda tem por acontecer aquela que promete ser a mais des

Circuito Paranaense de Corridas em Montanha (?) 2ª etapa 2013

Imagem
É. O ponto de interrogação é proposital. Afinal o que é montanha? O que é corrida? O que é Corrida em Montanha? Eu já não sei mais nada, tampouco quero dizer o que é ou o que não é. Isso tudo é muito polêmico, desperta paixões, ironias, críticas, egos e outros sentimentos pouco construtivos. O Morro da Palha, local da competição deste final de semana passado, tem este nome não por acaso. Não é um Pico da Palha. Seria, então, uma Corrida em Morro e não uma Corrida em Montanha? Mas que saco essas tentativas de definição, não é mesmo? Aqui na região de Curitiba, a segunda etapa do Circuito Paranaense de Corridas em Montanha foi realizada no município de Campo Magro no já consagrado Morro da Palha, local onde eu já havia estado para uma duríssima competição com 21 km em 2007. Uma pena que aquela dificuldade e beleza que observamos seis anos atrás passou longe da corrida deste sábado passado. Ok, havia a subida do Morro da Palha, mas por estrada de terra íngreme onde, mesmo com minha condiç

Maio de 2013, Treinos em Trilhas e Montanhismo

Imagem
E acaba que fiquei quase um mês sem escrever desde que corri a incrível Araçatuba Half Marathon. Com o apoio e confiança da Território Mountain para os eventos seguintes e, principalmente, com o retorno às montanhas, já que a temporada ideal de estar nas cumeadas paranaenses começa agora. Tem também a ideia de estar num 6.000 boliviano ou argentino em 2014. Com os anos todos correndo e subindo montanhas, um pouco de conhecimento sobre preparação física foi conquistado e, nesta semana, coincidentemente, conheci um vídeo bacana do italiano Simone Moro, um dos grandes montanhistas de altas altitudes da atualidade falando de seu treinamento. Muito, mas muito parecido mesmo com um treinamento para maratonas e ultras em montanha, que é o caminho que sempre pretendi trilhar. Da mesma forma, no vídeo (em inglês macarrônico) ele trata do aspecto psicológico. Estar duas horas por dias, consigo mesmo, durante as corridas é um baita treino psicológico. Ouvir isso vindo de um montanhista extremo é