Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2016

Já Foi Melhor

Imagem
Sim, este blog já foi melhor, se eu levar em consideração o número de visitas, de page views. Fica a pergunta: seria o reflexo de meu abandono dos escritos no último semestre de 2015, da mudança de temática corrida para música ou os tempos facebookianos? Minha resposta é: um pouco dos três. Vários amigos blogueiros pararam de escrever também, cada um com seu motivo. A atuação mais presente em redes sociais como facebook e instagram também tem grande parcela de "culpa". Lamento bastante, pois tenho a mais absoluta certeza que o uso intenso de redes sociais visando gerar conteúdo é absolutamente inócuo e descabido. Uma timeline infinita, onde você roda o botão do mouse morro abaixo e jamais tem fim é totalmente emburrecedor. Se eu postei algo relevante meses ou anos atrás como faço para encontrar? Nos blogs é fácil: digita no google e vai ter um resultado em frações de segundos. E no facebook? Como achar algo importante? Impossível. Ficou lá perdido para todo o se

Insomnia

Imagem
Sobre a semana que passou... Insomnia, composta em dezembro de 2015 e finalizada ontem. Meu primeiro som instrumental, com um quê de Bixo da Seda segundo Yuri Hrmo e de Richard Wright (entendedores entenderão) segundo a amiga Luiza Rivail :) Foi também minha primeira experiência compondo ao teclado, começando com uma backing track e uma sequência lenta de 2 acordes. Baixo veio fácil, de tanto ouvir Humberto Gessinger. A guitarra ficou limitada à minha pouca técnica no instrumento. Tentei buscar um timbre menos David Gilmour, mas sentia que a música pedia esses bends e esse phaser/delay/chorus (entendedores também entenderão). Esse teclado "vagabundo" de menos de 500 reais não me dá exatamente os timbres que eu gostaria, mas deixo um "viva" ao Reaper  e demais VST's gratuitos que uso. Poder criar, compor, executar, produzir... tudo isso sozinho é MUITO bom. Chama-se Insomnia porque a maior parte dela foi trabalhada em algumas madr

Acho que em algum momento...

Imagem
... Eu disse que não estaria mais competindo a partir de 2016, certo? Não no trail running. Sim, e segue assim. Mas a ideia é fazer uma metáfora com músicas e competições. Você faz um cover de sua canção favorita  e isso equivale a correr competições do modo tradicional. A competição está lá. A canção também. Uns tem desempenho melhor, outros pior que você. Seja na execução da canção, seja no desenrolar da competição. Eu gosto de escrever canções. Gosto de música autoral. Sinto-me mais completo como compositor e músico do que como cantor de boteco. E nas corridas de montanha estava me faltando isso. Estava executando músicas/competições conhecidas e famosas. E não estava fazendo direito, seja lá o que "direito" signifique.  Agora é hora de compor novas canções. Novos desafios. 21 de agosto 2016 - Marumby Skyrunning 01 de outubro - 12 horas do Anhangava Mais informações sobre esses dois "singles", em breve. Beijos e abraços!

Já ia me esquecendo...

Imagem
Que hoje é terça... e que me comprometi a postar algo, nem que seja uma bobagem qualquer. Filosofando um pouco, a vida muita vezes é um somatório de bobagens.. Uma consequência de escolhas bem ou mal feitas. Somos responsáveis por elas, totalmente. Não acredito na babaquice de "deixa a vida a me levar". Soa por demais preguiçoso, fatalista e "carioca" (venham as pedras, a canção cujo refrão está entre aspas é interpretada por Zeca Pagodinho). Eu creio em fazer escolhas e ser responsável por elas. Nem sempre fiz boas escolhas mas hoje estou muito satisfeito com o caminho que escolhi. É final de carnaval, nesta terça-feira seis da tarde. Desfrutei os dias de folga do trabalho da maneira que mais gosto. Amor, amigos, música, bicicletas, montanhas e até uma corridinha no parque. E, se todo carnaval tem seu fim, o que tiro pra mim é que todo fim é sempre um novo começo. Beijos e abraços! Bosque Merhy em Quatro Barras na corridinha de sábado.  

Olhando para Dentro

Imagem
Hello, is there anybody in there? Bem, quem me acompanha há mais tempo sabe que tenho buscado cada vez mais a simplicidade. Tem a ver com uma busca interna, com o conhecimento próprio. Tenho resolvido dentro de mim várias questões pessoais, comportamentais e espirituais em tempos recentes. Viajar pelo interior do país tem a ver com isso. Conhecer o "interior". De si e do seu povo.  O que mais aprecio nestas viagens é poder estar em locais muito pouco turísticos, que ainda não foram contaminados com a pasteurização dos apressados visitantes que lá deixam seu dinheiro, trazem memory cards repletos e pouco conteúdo final. Sim, já tive oportunidade de estar presente em inúmeras atrações turísticas, inclusive em maravilhas naturais do planeta (aqui no link:  http://blogdovolpson.blogspot.com.br/2010/09/maratona-de-foz-do-iguacu-2010_27.html . Não que me incomodem as hordas de turistas. Mas tenho apreciado cada vez mais a beleza daquilo que não é turísti