Deuter, Princeton Tec e Lorpen 2012

Post rápido para informar que recebi materiais bem bacanas de empresas que estão comigo desde 2008, antes mesmo da minha primeira viagem aos Andes.

Recebi da Deuter uma super mochila de ataque e perfeita também para longas corridas em trilha sem abastecimento, ou seja, quando se tem que carregar sua água, sua comida e sua roupa de abrigo, a Pace 20. Chegou deles também a pochete Pulse One, ideal para corridas mais curtas, carregando uma garrafa de água.

Da Lorpen, recebi pares de meias para corrida em trilha e um modelo excepcional para trekking em climas frios e/ou amenos, com lã tipo merino. tratarei em breve em um post seguinte.

E da Princeton Tec chegou a lanterna Apex Pro, verdadeiro canhão de luz que fará uma super estréia em uma trilha já agendada para o princípio de abril na Serra do Mar paranaense. É... Bora treinar pros Andes In(f)vernais!

Em breve falarei de cada um dos produtos, afinal, vamos dar o uso devido a eles.

Meus sinceros agradecimentos ao pessoal da Proativa, importadora dos produtos das marcas citadas, pela longa e sólida parceria que dura já 4 anos.

Abraços!

Todo Carnaval Tem Seu Fim

Puta título manjado mas tudo bem... A verdade é essa, dolorida, nua e visceral. Dói na planta do pé. Ou melhor, havia dor na planta do pé, em dias de folia. Mas isso já é coisa do mês passado, acho que lá pelo dia 20. Agora dói mesmo é nas costas, lado esquerdo.

Pouco mais de 1 cm empedrados no ureter esquerdo. E lá vou eu para mais um tratamento: Ureterolitotripsia endoscópica. Tem no google e até no youtube! Realizei este procedimento para a retirada de um cálculo renal no lado direito em 2009. Três anos depois outro me aparece agora no lado esquerdo. Sem dramas, vou lá e faço. Isso vai me custar os 50K do Xterra Endurance Ilhabela em abril e algumas semanas sem correr. Da mesma forma, sem dramas. Vivo muito bem sem correr, não tenho essa viagem cega dos coxinhas. Porque, para mim, estar vivo também é frequentar salas de cirurgia, consultórios e laboratórios, saindo vivo e saudável deles.

Agosto é o que me importa. Estar nos Andes, no inverno, com a companhia da neve, do vento e de rochas sob os pés e não aqui dentro. O coração levará a pureza de intento, a certeza de que o sol nasce mesmo para todos e de que o mundo é perfeitamente justo com todos. Que cada um tem o que merece e que colhe o que planta. Se estou criando pedras em meu corpo é porque andei duro comigo, com as pessoas e com o mundo. Por outro lado, tenho colhido doçura também. E isso se deve porque nunca deixei de plantar a semente do amor. Hora da colheita, Ana Barbara. Você, que capturou com toda sua sensibilidade a imagem abaixo, sabe do que falo.

Bacio!