Avaliação - Review Tênis Skechers GObionic Trail


Olá, amigos!

Muitos sabem, mas muitos não. Por dois anos atuei avaliando produtos no site que desenvolvi com a esposa e sócia Ana Barbara Vicentin Volpão, o TrailRunning BRASIL. Por questões de mercado e de necessidades comerciais, passo a fazer este trabalho aqui, ok? Com o surgimento da Revista TRAILRUNNING e de outros canais de comunicação, senti a necessidade de focar naquilo que realmente importa e que, principalmente, alcance o maior número de pessoas interessadas nos assuntos que trato.

Acho IMPORTANTÍSSIMO deixar claro que não tenho meu nome vinculada a nenhuma fabricante e/importador de equipamentos. Recebo os produtos para as avaliações graças ao meu trabalho de sete anos visando unicamente o crescimento saudável da modalidade. E assim os produtos são avaliados: de maneira equilibrada, despida de paixões e absolutamente isenta. Todos iguais.

Assim, vamos começar com a primeira avaliação de equipamento deste 2014 que já vai quase pela metade.

Proposta: Avaliar de maneira direta e sem frescuras inúmeros produtos que são oferecidos no mercado nacional de trail running e corrida de montanha. Importante lembrar como são definidos alguns parâmetros para a avaliação de tênis de corrida em trilha que escolhi, baseado no renomado site TrailRunning Review.

É preciso que entendamos que não existe o "melhor calçado para trail running". Cada tipo de terreno sugere uma característica que seja mais desejável encontrar e um calçado. Tudo que está escrito, falei também no vídeo abaixo e aqui.

Item avaliado neste review: Tênis Skechers GObionic Trail


Introdução

Existe uma clara "separação" ou segmentação no que tange a fabricantes de calçados para trail running. Alguns tem um histórico de tênis de corridas de rua outros tem origem na montanha propriamente dita. Poucos são aqueles genuinamente originários da corrida de montanha. Prefiro nem mencionar marcas, para não me alongar demais. Vou me ater ao Skechers.

Gosto da palavra D.N.A. Por mais científica que o termo seja, me atrai a subjetividade que podemos aplicar nisso. Então, cometo um crime contra a língua portuguesa e retiro os potos da abreviatura: DNA. Por isso, entendo como o cerne e o coração do que uma marca ou produto representam. E o DNA do Skechers GObionic Trail é basicamente o asfalto mesmo. Um tênis que me parece de asfalto com algumas melhorias e atributos necessários para um bom desempenho nas trilhas. Sendo direto no resultado dessa mistura: sim, eles conseguiram fazer um ótimo calçado para trilha. Vou explicando abaixo.


Primeiras impressões

Já publiquei algo sobre aqui neste post. Mas vamos lá: os olhos brilharam no primeiro momento. Tênis muito bonito, muito bem acabado, com uma bela harmonia de cores. A flexibilidade chamou a atenção e é um dos destaques dados pelo marketing do fabricante. Um tênis para bem busca a chamada corrida natural. para mim, correr natural seria descalço, mas não vou entrar nesse mérito que é bem chato, por sinal. O tênis se encaixa nesta categoria, contando com 4mm de drop se utilizado com palmilha e drop zero se a removermos. Não é tênis para qualquer corredor. Ou você já está adaptado a correr com tênis com baixo drop ou então deve adaptar-se antes de rodar maiores quilometragens com ele. Caso contrário, o risco de lesões e desconfortos aumenta muito. Muito leve, pouco mais de 200 gramas (226 para ser mais preciso na minha numeração), material do cabedal (parte superior) agradável ao toque, logo ao calçar os pés sentiram-se a vontade. Isso porque na parte dianteira há um espaço maior que aquele que a grande maioria dos tênis de trilha fornece. Ótimo para quem corre em trilhas mais lisas, ruim para quem necessita de maior eficácia e precisão na pisada por lugares técnicos. O Tênis envolve bem os pés, não importando se você está com meias ou sem. Sim, tem gente que gosta de correr sem meias. Detalhe que não pode passar despercebido: na minha numeração usual, o tênis pareceu um pouco grande. O ideal seria um número abaixo, portanto. Estas questões variam de marca para marca, portanto, fica o alerta.


Entressola

Falar de entressola em calçados minimalistas ou para a tal "corrida natural" soa estranho. A coisa toda é muito simples: um solado, um tecido por cima, passa cola e costura onde precisa e pronto. Gosto muito desta abordagem e me atrai bastante essa "balançada" geral que este conceito causou no universo running. Diz, corretamente, o slogan de marca concorrente: "menos é mais". No caso do Skechers, esqueçamos isso de entressola. O que podemos dizer é que o calçado com palmilha tem um drop de 4mm. Sem palmilha, drop de 0mm. Há quem prefira...



Lingueta

Simples, minimalista e eficiente. Protegeu satisfatoriamente contra a entrada de sujeiras e tem o toque bem suave junto à pele.


Controle

Um dos pontos delicados do Skechers GObionic é o cadarço, um dos pontos responsáveis por garantir o controle da situação quando o terreno aperta. Pareceu um tato frágil e mal acabado. Ponto positivo é o fato de não desfazer o nó. Sempre tento me precaver desta situação perfazendo um nó duplo. Mesmo assim, alguns calçados insistem em se desamarrar. Não é o caso deste Skechers.

A passagem dos cadarços pelos olhais é tranquila, sem sobressaltos ou dificuldades. O ajuste é rápido e fácil.

Como citei na introdução, o Skechers GObionic tem um espaço maior no antepé que pode não ser muito positivo quando se encara terrenos mais técnicos em descida. O pé fica solto lá dentro, provocando certa insegurança. De tudo que já experimentei em 7 anos de corrida em trilha, este é o modelo com maior espaço por lá. Isso é bastante interessante em gtrilhas menos técnicas e em estrada de chão. Para percursos acidentados e irregulares, confesso que sinto certa insegurança. O pé "samba" lá dentro. No good.

Importante ressaltar que na parte de trás, o cabedal do calçado tem altura exata: nem muito baixo, nem muito alto a ponto de "pegar" na bola do tornozelo. Por outro lado, ele não conta com aquele material rígido na parte de trás, que dá estabilidade. Neste caso, o atleta está mesmo por conta e risco em sua corrida natural ;)

Obviamente, este modelo não conta com nenhum tipo de amortecimento, controle de pronação e outros termos mais apropriados a calçados para corrida de rua ou com maior robustez. Minimalismo aqui é a palavra e nisso a Skechers mandou muito bem.


Acabamentos

Gostei muito do acabamento. Costuras limpas, tecidos muito bem colocados, de desenho atraente, com aplicações de um material vinílico e de refletivos em pontos chave que dão um ótimo acabamento.

OO interior do calado conta com algumas costuras, algo cada vez mais em desuso mas que em momento algum provocou incômodo nos pés.

A região posterior, junto ao calcanhar conta com alguma espuma que o torna bem agradável ao toque, igualmente.

O cabedal (upper) não é assim tão resistente aos elementos (pedras ásperas, raízes expostas, etc) mas dá conta do recado e promete uma durabilidade mediana.




Impermeabilidade / Transpirabilidade

Calçado bastante respirável, que recomendo fortemente para quem irá correr em terrenos úmidos, principalmente em regiões quentes, cruzando rios, etc. provas como Indomit Bombinhas, Mountain Do, que são mais roladas e com trilhas de nível técnico médio eu recomendo. É um calçado bem "tropical" eu diria.


Solado

Solado simples, sem frescuras de design e bem borrachudo. Cravos espaçados e que evitam o acúmulo de lama e pedrinhas.

Solados de tênis trabalham sempre com duas variáveis nada compatíveis: durabilidade versus grip. Não há como privilegiar um sem abrir mão de outro. Assim é o Skechers GOBionic Trail e, no caso, a marca preferiu valorizar o grip. Em terreno seco, o tênis segura MESMO! Principalmente na pedra. Com isso sacrifica-se a durabilidade. Pouco mais de 4 horas de treino em montanha e o solado apresentou desgaste visível e incompatível com o que posso esperar de um tênis para trail running. Seriam as pedras do Morro do Anhangava abrasivas demais? Pode ser, mas não verifiquei esse desgaste em outros calçados que venho testando nestes últimos meses nas mesmas condições.

Na lama existem melhores. Utilizei nos terrenos enlameados da Serra do Mar paranaense e rolou certa insegurança em alguns momentos, principalmente depois de perder algumas das travas com o desgaste precoce.


Durabilidade

Talvez seja ainda um pouco cedo para avaliar a durabilidade. Rodei com ele algo em torno de 20 horas de montanha, asfalto, estradas de terra, lama, pedras soltas... enfim, todas as condições. Será necessário ainda um pouco mais de rodagem antes de vir atualizar este tópico. A primeira impressão é que é um tênis de durabilidade geral média. Não é um "tanque" mas também não irá se esfarelar como acontece com muito tênis famoso no mercado.


Conclusões

O tênis Skechers GOBionic Trail é um calçado bastante honesto e correto para a prática do trail running. Possui um valor de mercado justo, na faixa dos trezentos e poucos reais. Uma rápida pesquisa via google e nenhum resultado para e-commerce que trabalhem com eles aqui no Brasil, maio de 2014.

Destaco seu conforto (para um calçado padrão minimalista), suas ótimas atribuições gerais e seu baixo peso.

Melhoraria o material do solado, mesmo que sacrificasse um pouco o grip na pedra seca, usaria um cadarço mais resistente e diminuiria um pouco o espaço lateral no antepé.


Indico para: 

- Corredores leves, abaixo de 70 kg, o que não é meu caso e talvez por isso tenha tido estas percepções de insegurança em terreno úmido. Momento sinceridade: Ernani de Souza foi campeão da KTR Series neste ano no percurso mais técnico e duro já montado até hoje no Brasil calçando este tênis. Montanha pura, usando um tênis que EU não recomendaria. Mais uma vez, mostrando que muito mais importante que o calçado, o que manda é o preparo físico e a técnica de corrida de montanha.
- Atletas que correm rápido, com tempo abaixo dos 45 minutos em um 10K no asfalto;
- Pessoas que farão treinos ou provas em trilhas de nível técnico baixo (roladas) ou médio, estradas de terra, areia batida;
- Treinos de velocidade (tiros) em subidas;
- Atletas já adaptados ou que se adaptem cautelosamente ao uso de calçados com drop baixo (4mm ou menos). sem adaptação risco de lesões é enorme. Não é para qualquer um calçar e sair correndo.

Pontuação (parâmetros aqui):

- Flexibilidade                                     9.0
- Torção lateral  8.0
- Proteção                                          4.0
- Materiais refletivos                           8.0
- Costuras  7.0
- Altura do calçado                           9.0
- Sistema de fixação, cadarços, etc    9.0
- Respirabilidade                               9.0
- Aderência em subidas de terra        7.0
- Aderência em descidas de terra        7.0
- Aderência do calçado em rocha      10.0
- Aderência em rocha molhada      4.0
- Aderência do calçado em lama          6.0
- Estabilidade  7.0
- Amortecimento dianteiro                4.0
- Amortecimento traseiro                     4.0
- Fit (ajuste)                                      10.0
- Durabilidade                                   6.0
- Asfalto                                              6.0
- Estrada de terra                               9.0
- Trilha   7.0
- Montanha                                        6.0

MÉDIA:                                           7.09

Aqui segue o vídeo.

Bons treinos!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages