Week Summary - 23 a 29 de agosto

Segue o resumão!

23-08-10
Day-Off, sem treinos, para os que preferem em português.

24-08-10
Manhã: 22K em 2h03'11", quase todo em asfalto.
Clima seco em quase todo o Brasil. Nada diferente por aqui. Corri em meio aos carros e caminhões na BR-116 no percurso de Campina Grande do Sul à Jamur Bikes. Os últimos 3 km foram bem sofridos. Atribuo isso a uma leve desidratação. Penso que poderia ter me hidratado melhor. No percurso todo consumi um litro de água. Obtive uma ótima impressão das meias de compressão da Flets sport, que tive oportunidade de testar pela primeira vez. Em breve um review sobre elas.

25-08-10
Noite: 10K em 52'11", todo em asfalto.
Noite agradável. Corrida agradável.

26-08-10
Noite: 12K em 1h02'03", todo em asfalto.
Após confirmar em exame de ultrassom realizado pela manhã que ainda tenho minhas pedrinhas (agora no plural, pois elas se fragmentaram) no rim esquerdo, nada melhor que uma bela corrida para animar. Pernas um pouco cansadas mas nada comprometidas.

27-08-10
Day-Off, sem treinos.
Sexta-feira é, naturalmente o dia em que dou um descanso. Então não tem porque ficar aqui justificando, hehe (texto tipo ctrl+c, ctrl+v).

28-08-10
Manhã: Bike, 22K em 52', todo em asfalto.
Pedal tranquilo e sem surpresas, sem forçar. Algum frio e umidade de neblina pela manha. Ótimo para hidratar os alvéolos (que bobagem) cansados da secura desta época do ano.
Tarde: Bike, 36K em 1h46'50", todo em asfalto.
Eita porra. Que treinaço! Dois pneus furados, muito vento contra, cagaço ao passar nas redondezas de favelas e 27% de umidade do ar. Demorou mas cheguei em casa, em caminho diferente do usual, mais longo e exposto ao vento. Cheguei branco de fome, mas vivo! Valeu pela experiência: agora só saio pra pedalar com três câmaras reservas =P.

29-08-10
Manhã: 33K em 3h41'12", com 70% em terra, restante asfalto, com 503 metros de desnível positivo acumulado.
Cacetada! Ótima corrida longa, que, apesar de bastante dura devido às subidas longas e fortes e do calor, serviu para dar ânimo para a Maratona das Cataratas, a qual correrei dentro de 4 semanas. Mais um treininho desses e estarei pronto!

Fecho, assim, a semana com 77 quilômetros (bem) percorridos de corrida. Ainda teve o pedal forte do sábado. Ou seja, de volta, com força total.

Beijos e abraços.


The North Face Endurance Challenge - Ultramaratón de Los Andes 2010 (post I)

Um pouco sem saco para escrever em blogues, tuitar coisas, compartilhar meu mundo. Por vezes tenho disso, uma vontade de me recolher, de apenas correr e correr. Sem isso de escrever, mostrar, sorrir, compartilhar. Sim, por vezes, um velho rabugento de 33 anos, que alguns dizem ser até mesmo amargo. Isso com base em meus posts, tuites e murais de facebook onde encho o saco dos outros com as coisas que acredito, tais como vegetarianismo, mobilidade urbana sem carros, capitalismo selvagem, entre outras coisas.

Acho isso bem válido, pois acaba sendo uma espécie de seleção natural, onde os que apenas sobrevivem continuam apenas sobrevivendo. Portanto, faço minha parte, sem pensar em agradar quem me lê ou coisas do gênero.

Mas a notícia que minha inscrição está confirmada para os 50K da Ultramaratón de Los Andes, não poderia deixar de estar aqui. Junto com mais 97 pessoas, espero encarar uma das mais belas provas que já corri. Neste ponto ela deve rivalizar com a K42 Bombinhas. Já em termos de dificuldades, ela promete ser bem mais puxada, com trechos atingindo até os 2.400 metros de altitude.



Nos posts seguintes, colocarei mais informações a respeito da prova, que se realizará nas cercanias da capital chilena, Santiago.

Antes disso vai rolar a Maratona de Foz, então o lance é meter o pé na estrada.

Ah, eu apareço em breve :)

Beijos e abraços

Week Summary - 16 a 22 de agosto

Segue abaixo meu Weekly Summary:

16-08-10
Manhã: Bike - 22K em 52:, asfalto, trajeto para a Jamur Bikes.
Pois é. Agora com a bike rola essa opção de exercício sem tanto impacto, exceção feita aos ossos do ísquio, vulgo toba. Dói pacas! Pedal leve e tranquilo, com ventinho a favor, sem pressa. Temperatura de seis graus. Depois dessa suporto qualquer frio!
Noite: Corrida - 6K em 32:30, asfalto, perto de casa.
Corridinha leve sob frio de 8 graus por la noche, usando o tal Nike Free Run+. Dessa vez foi melhorzinho...

17-08-10
Noite: Bike - 22K em 55', do trabalho para casa.
Teoria é uma coisa. Ah sim, é tudo lindo e maravilhoso se planejar para ir e voltar do trabalho de bike (e até mesmo comprar uma com essa intenção). Os 22Km que separam minha nobre residência do meu nobre trabalho não significam problema. O que mais incomodou foi pedalar a maior parte do tempo em uma rodovia federal em total escuridão, exceção feita ao meu farolzinho Cateye que quebra um bom galho. Mas não é o ideal. Bom mesmo seria que eu não tivesse que atravessar a segunda maior favela da região Metropolitana de Curitiba às oito da noite, como eu tenho que fazer. Isso realmente torna a empreita uma atividade radical! Ainda não formei opinião se manterei esse nível de risco em ter meu investimento em saúde ser tomado por um bando de fumadores de crack com arma na mão. O trauma do assalto que sofri no início desse ano em situação parecida (pedalando durante o dia, e nem era próximo à dita favela) ainda está vivo na memória. Portanto, tenho que resolver entre ser cagão ou ser durão :) Enquanto não decido, a bike fica aqui quietinha esperando o horário de verão chegar.

18-08-10
Day-Off, sem treinos, para os que preferem em português.
Num tava afim de treinar e não treinei.

19-08-10
Noite: 6K em 29'11", próximo de casa.
AUm treino na cacetada mesmo. Comecei com ritmo de 5'30" o km e fechei com 4'10". Gosto, às vezes, de afundar o asfalto, apesar de saber que para as minhas pretensões esses treinos não servem para quase nada :)

20-08-10
Day-Off, sem treinos.
Sexta-feira é, naturalmente o dia em que dou um descanso. Então não tem porque ficar aqui justificando, hehe.

21-08-10
Day-Off, sem treinos.

22-08-10
Day-Off, sem treinos.


Ou seja... Pouco treino e bastante trabalho. Que venha a semana seguinte.

Abraços a todos!

Week Summary - 09 a 15 de agosto

Segue abaixo meu Weekly Summary sem noção da semana.

Treino de corrida apenas na quinta feira, oito quilômetros bem leves, ainda com um pouco de dor no rim.

No sábado 22K de bike nova, a ser analisada em um post futuro...

E segue a vida. Sem treino mas tranquila. Na verdade, acho que prefiro correr maratonas sem tanto comprometimento de treinar, treinar e treinar. E agora, com este weekly summary, meus treinos ( ou a ausência deles) estão aí pra quem quiser ver e ler.
Eu sou normal, louco é quem treina demais para ser sub-celebridade.

E falando nisso, deixo registrado aqui o que Caballo Blanco disse e foi reproduzido no último parágrafo do livro Nascido para Correr, que acabo de reler:

"Não quero que ninguém faça nada a não ser correr, divertir-se, dançar, comer e comemorar conosco (os tarahumaras). A arte de correr não serve para fazer os outros comprarem produtos. É preciso liberdade, cara."

Review - Tênis Nike Free Run +



Oh! Aff! Hein?!

Pois é. O Volpão perdeu o amor por 299 reais e adquiriu o novíssimo Nike Free Run+, aquele que o site do fabricante promete levar ao corredor a sensação de se estar correndo descalço.

Quem me conhece há mais tempo sabe que sempre torci nariz para marca norte-americana que criou o conceito de que tênis com amortecimento é bom... O ardiloso Bill Bowermam, um dos fundadores junto com Phil Knight, conseguiu uma proeza digna de um prêmio nobel do marketing, se é que esse existisse: além de criar um produto, os tênis com amortecimento, criou uma demanda para ele, visto que até então, as pessoas corriam sem esse tipo de calçado. E corriam bem. Não se ouvia falar em lesões, tendinites, banda íleo-tibial fascite plantar, entre outros palavrões. Bastou o mercado começar a nos vender a idéia de que tênis com amortecimento é bom que os problemas começaram.

Considero-me um privilegiado por correr há quase duas décadas e jamais ter me lesionado, ao contrário de muita gente que conheço. Comecei a correr descalço ou tênis mínimo há menos de dois meses e já noto uma diferença "gostosa" na corrida. Sinto mais prazer, isso é fato, ao correr com apenas cento e poucos gramas em cada pé. Em vez de buscar um tênis de 500 pila que "corrigisse" algo, apenas assumi o que Deus me deu: pés perfeitos para correr, algo que a imensa maioria das pessoas possui, mas que acabam escondendo dentro dos modernos apetrechos que nos são empurrados por parte da mídia.

Mas não é por esse motivo que nunca fui fã da marca. Deixo também de lado episódios como a final da Copa do Mundo de Futebol de 1998 (quando boatos sugeriram que por pressão de seu patrocinador, o astro Ronaldinho teria sido "forçado" a entrar em campo mesmo sem condições). Esqueço também as acusações de uso de trabalho infantil em fábricas no Extremo Oriente. O que mais me provocava asco na marca era o seu marketing, sempre voltado ao consumo, consumo e consumo. Pirotecnias como o Desafio dos 600K, em minha opinião beira o abuso do capitalismo. Trata-se de uma corrida, supostamente épica, onde os escolhidos são atletas de boa condição financeira, ou seja, potenciais consumidores da marca, que pertençam a assessorias esportivas também elitizadas. Jornalistas também são convidados, é claro, para criar aquele lance da boa imagem junto à imprensa. Com certeza a empresa faria muito melhor se investisse essa grana toda patrocinando algum projeto de revelação de jovens talentos. Mas, opa! Jovens talentos não compram tênis e esse tipo de ação nem tem tanta visibilidade... Agora dar tênis e outros mimos a atletas que pagam até 250 mensais para treinar com assessorias e esses fazerem a propagandinha dentro das academias para os amigos comprarem o tênis da marca. Ah, isso sim. Enfim, capitalismo. Admito que os caras do marketing da Nike são realmente geniais. Mas acho que marketing não produz tênis de qualidade. E a concorrência oferece calçados bem superiores.

Como sou isento, tirei grana do meu próprio bolso para testar o tal Nike Free Run+ que, repito, o site anuncia como um calçado que proporcionará uma sensação quase como de correr descalço. Afinal, após me encantar com o Brooks Green Silence, pretendo provar todo e qualquer tênis mínimo que possa me proporcionar essa sensação gostosa que tenho ao correr "quase descalço". Encarei o Nike Free Run+ pois é assim que a Nike o vende. E também porque estou longe de ser uma pessoa com idéias pré-concebidas e que não muda de opinião. Paguei para ver (não o recebi de brinde em nenhum kit). Estava realmente afim de ver se o tênis era mesmo isso que a propaganda dizia. E eis o veredito:

Não.

Vejamos porque:

Visual:

O típico da Nike. Super bem apresentado, diria até mesmo que é um belo tênis. curti a combinação de cores do modelo que adquiri, em tons de cinza e com a logo em vermelho. Visualmente dou nota 9 a ele.

Calçando-o:

Achei muito fácil de calça-lo. O cadarço é daquele modelo plano, bem simples e sem cores berrantes. A primeira impressão que recebi nos primeiros passos, ainda dentro da loja, foi que o tênis prometia um desempenho muito bom. Senti que tinha em meus pés um verdadeiro calçado de corrida, os chamados flat. Porém, há uma grande distância entre o que podemos chamar de flat e um calçado minimalista. Ainda achei o Nike free Run+ um pouco gordinho demais para um calçado mínimo, que é como Nike tenta vendê-lo. Eis o motivo da grande decepção. Comprei essa bagaça pensando que iria correr como (ou quase) se estivesse descalço, com sensações semelhantes que tenho ao correr com o Brooks Green Silence ou com a sapatilha Okean Maré. Não tem nada a ver. E isso, em meu entender, é uma falha grave do fabricante. Portanto, se já havia uma antipatia com o marketing dos caras, imagina agora. Vender gato por lebre é feio e abomino essa prática. Fica a decepção. Mas, como tênis flat, baixinho, buscando velocidade, achei-o bem confortável.

Performance:


Notei que ao imprimir um ritmo mais veloz com essa belezura o tênis pareceu responder mais eficientemente. Quando baixei dos 5min/km a passada se tornou mais fluida e mais confortável do que quando amassava o asfalto em meu ritmo pangaré. Isso me faz crer que é um tênis para quem quer acelerar. Para corridas curtas é um bom tênis, apesar de achá-lo mole demais. Ora, se a idéia é representar com tênis, as sensações que se tem correndo descalço, para que tanta borracha? Teria sido muito mais eficiente eliminar aquele monte de petróleo da entressola estilosa (vide foto ao lado) e flexível e botar o corredor pra sentir as imperfeições do solo. Achei esse conceito totalmente furado, parecendo apenas ser uma estratégia de design pra deixar o tênis diferente e provocando aquele "Oh!" quando se flexiona a parte anterior do bendito. Um lance que achei um pouco incômodo é o fato do solado reter muitas pedrinhas entre suas ranhuras extremamente flexíveis. Ao correr, isso faz um barulho bem chato. Mas, pode ser que isso seja apenas mais uma rabugice minha.

Impressões finais e pessoais:

Um tênis razoável para correr. Se você desconhece a propaganda que diz que ele pretende trazer a sensação de correr descalço, então a situação melhora. Eu me decepcionei porque esperava que a propaganda cumpriria o prometido. No fim das contas, o tenizinho vai ficar no armário e será lembrado apenas naqueles dias em que tiver que rolar aquele treino mais solto entre 6 e 10K. Para treinos de asfalto mais comprometidos catarei outra opção. Nota 7 para o tênis em si. E nota zero para Nike, pela enganação.

Um grande abraço a todos.

ã?

Sempre fui o cara das dúvidas, aquariano típico.

Segue a lista atual:

1-) Mudo ou não de urologista (tá difícil arrancar essa pedra do rim)?
2-) Meto a cara no mundo das ultramaratonas buscando profissionalização ou invisto no prazer que tenho ao trabalhar com e-commerce (que há anos paga minhas contas)?
3-) Posso continuar com patrocínios sendo corredor médio ou será que me cortariam a verba?
4-) Caso eu volte a subir montanhas como no começo da década seria ou não mais fácil obter recursos para realizar sonhos antigos de alta montanha?
5-) Será que voltando a subir montanhas eu conseguiria correr algumas maratonas por ano como treinamento?
6-) E se eu comprasse uma bike? Eu conseguiria utilizá-la para meus deslocamentos de 50 Km diários?
7-) Se comprar uma bike seria uma estradeira (devido à distância entre casa e trabalho) ou uma MTB, para ir relaxar nos fds no mato?
8-) É certo que pedalar ajuda no condicionamento, mas seria suficiente para me fazer chegar a um 8.000 no Himalaia (aquarianos sonham - e realizam - alto)?
9-) Será que vir morar mais perto do trabalho não tornaria o meu dia-a-dia mais produtivo?
10-) Quanto, financeiramente isso me custaria? E emocionalmente?
11-) Será que o NQI que estou tomando ajuda mesmo a dissover os cálculos renais?
12-) Estou tratando o cálculo com LECO. Não seria o caso de mudar de médico e tentar a Ureterolitotripsia?
13-) Como pode uma empresa de planos de saúde como a Unimed liberar apenas um exame de ultrassom a cada 6 meses? Temos que informar nosso corpo que ele só pode ficar doente a cada 6 meses?

E paro por aqui, pelo 13, que é um número que espero que me traga sorte.

Suerte, entonces. Abrazos y Besos.

Week Summary - 01 a 08 de agosto

Semana totalmente off!

O cálculo que estava presente no rim esquerdo desceu até o ureter e até o momento não tenho mais informações de onde ele se encontra. Como esse tipo de evento provoca hidronefrose (retenção de urina nos rins), a recomendação é não realizar atividades físicas.

Legal né?

Quando estiver liberado, eu aviso.

Bons treinos a todos!


Weekly Summary - 26 de julho a 01 de agosto

Idéias boas podem e devem ser copiadas.

To afim de compartilhar o que ando treinando e fazendo nas corridas. Então seguirei o modelo apresentado por um cara que admiro muito como pessoa e atleta, o Anton Krupicka. O cara é fera, ultramaratonista dos bons e super acessível.

Segue abaixo meu Weekly Summary, a ser publicado todas as segundas-feiras (assim espero...)

26-07-10
Tarde: 6K em 34:50, asfalto, perto de casa.
Quase totalmente plano, para recuperar da meia maratona do dia anterior e do vôo desde Brasília realizado pela manhã. Já senti a mudança de temperatura, já que passei as últimas duas semanas treinando com 28 graus e ar seco e hoje encarei 14 graus e umidade. Nada demais, questão de readaptar. Corrida bem tranquila, apesar do trânsito.

27-07-10
Manhã: 11K em 1h04'09", aproximadamente 65% em estrada de terra, restante em asfalto, perto de casa.
Treino um pouco mais forte que no dia anterior, com bastante subida e descida. Aproveitei para dar uma volta em uma pista de motocross que eu havia observado tempos atrás. Muito divertido, com subidas e descidas curtas e íngremes. piso muito macio, ideal para forçar um pouco as pernas e amortecer impactos. Maior problema foi correr sem água. O ideal seria ter levado uma pochete com uma garrafa. Clima frio e ventoso, com 10 graus no termômetro e céu cinzento.

28-07-10
Day-Off, sem treinos, para os que preferem em português.
Deveria ser o dia de fazer uns tirinhos em subidas, mas as cólicas renais vieram com força e passei o dia chapado (somente opiáceos funcionam contra esse tipo de dor). Melhor sossegar.

29-07-10
Tarde: 12K em 1h09'02", a grande maioria em estrada de chão.
Ainda com um pouco de dor pela manhã, preferi sair para correr à tarde. Esqueci o programado para ontem e segui programação normal. Corri tranquilo e em pace lento, quase seis pra um. Percurso com bastante subida e descida. Um belo final de tarde com sol e temperatura agradável para um final de julho. No final do treino me senti bem descansado.

30-07-10
Day-Off, sem treinos.
Sexta-feira é, naturalmente o dia em que dou um descanso. Então não tem porque ficar aqui justificando, hehe.

31-07-10
Manhã: 10K em 52'54", quase todo em asfalto com curtos trechos de grama.
Manhã agradável e de sol em Campina Grande do Sul. Saí para correr até o vizinho município de Quatro Barras. O sol já estava alto, eram onze da manhã. Treino bem tranquilo com apenas duas subidas mais fortes. Valeu o dia!
Tarde: 21K em 2h06'50", muito ondulado, com 300 metros de desnível acumulado. Em torno de 40% foi na terra, restante em asfalto.
Resolvi fazer o treino longo na agradável do sábado, sob temperatura amena e sol gostoso. Corri por um dos mais belos percursos da minha terra, com muita tranquilidade e verde. Até o km 16 tava bem tranquilo, depois as pernas começaram a pesar e até mesmo um endurecimento das panturrilhas surgiram. A meia de compressão fez falta! O ritmo caiu bastante, mas deu pra completar os 21K bem feliz :)

01-08-07
Manhã: 6K em 35'58", com 80% em asfalto, restante em grama e terra, praticamente plano.
O tempo virou! Saí por volta das onze da manhã para soltar as pernas moídas da pauleira de ontem. Friozinho de 14 graus e nublado, com um chuvisco nos últimos 500 metros.


Gostei demais dos treinos dessa semana. Não me senti muito cansado, nem mesmo após a insanidade de correr 31K no sábado. Fiquei um pouco dolorido na noite de sábado, mas domingo já estava pronto pra outra.

Fecho, assim, a semana com 66 Km de corrida, programando pelo menos 70 Km para a semana seguinte.

Abraços a todos!