Pular para o conteúdo principal

Weekly Summary - 26 de julho a 01 de agosto

Idéias boas podem e devem ser copiadas.

To afim de compartilhar o que ando treinando e fazendo nas corridas. Então seguirei o modelo apresentado por um cara que admiro muito como pessoa e atleta, o Anton Krupicka. O cara é fera, ultramaratonista dos bons e super acessível.

Segue abaixo meu Weekly Summary, a ser publicado todas as segundas-feiras (assim espero...)

26-07-10
Tarde: 6K em 34:50, asfalto, perto de casa.
Quase totalmente plano, para recuperar da meia maratona do dia anterior e do vôo desde Brasília realizado pela manhã. Já senti a mudança de temperatura, já que passei as últimas duas semanas treinando com 28 graus e ar seco e hoje encarei 14 graus e umidade. Nada demais, questão de readaptar. Corrida bem tranquila, apesar do trânsito.

27-07-10
Manhã: 11K em 1h04'09", aproximadamente 65% em estrada de terra, restante em asfalto, perto de casa.
Treino um pouco mais forte que no dia anterior, com bastante subida e descida. Aproveitei para dar uma volta em uma pista de motocross que eu havia observado tempos atrás. Muito divertido, com subidas e descidas curtas e íngremes. piso muito macio, ideal para forçar um pouco as pernas e amortecer impactos. Maior problema foi correr sem água. O ideal seria ter levado uma pochete com uma garrafa. Clima frio e ventoso, com 10 graus no termômetro e céu cinzento.

28-07-10
Day-Off, sem treinos, para os que preferem em português.
Deveria ser o dia de fazer uns tirinhos em subidas, mas as cólicas renais vieram com força e passei o dia chapado (somente opiáceos funcionam contra esse tipo de dor). Melhor sossegar.

29-07-10
Tarde: 12K em 1h09'02", a grande maioria em estrada de chão.
Ainda com um pouco de dor pela manhã, preferi sair para correr à tarde. Esqueci o programado para ontem e segui programação normal. Corri tranquilo e em pace lento, quase seis pra um. Percurso com bastante subida e descida. Um belo final de tarde com sol e temperatura agradável para um final de julho. No final do treino me senti bem descansado.

30-07-10
Day-Off, sem treinos.
Sexta-feira é, naturalmente o dia em que dou um descanso. Então não tem porque ficar aqui justificando, hehe.

31-07-10
Manhã: 10K em 52'54", quase todo em asfalto com curtos trechos de grama.
Manhã agradável e de sol em Campina Grande do Sul. Saí para correr até o vizinho município de Quatro Barras. O sol já estava alto, eram onze da manhã. Treino bem tranquilo com apenas duas subidas mais fortes. Valeu o dia!
Tarde: 21K em 2h06'50", muito ondulado, com 300 metros de desnível acumulado. Em torno de 40% foi na terra, restante em asfalto.
Resolvi fazer o treino longo na agradável do sábado, sob temperatura amena e sol gostoso. Corri por um dos mais belos percursos da minha terra, com muita tranquilidade e verde. Até o km 16 tava bem tranquilo, depois as pernas começaram a pesar e até mesmo um endurecimento das panturrilhas surgiram. A meia de compressão fez falta! O ritmo caiu bastante, mas deu pra completar os 21K bem feliz :)

01-08-07
Manhã: 6K em 35'58", com 80% em asfalto, restante em grama e terra, praticamente plano.
O tempo virou! Saí por volta das onze da manhã para soltar as pernas moídas da pauleira de ontem. Friozinho de 14 graus e nublado, com um chuvisco nos últimos 500 metros.


Gostei demais dos treinos dessa semana. Não me senti muito cansado, nem mesmo após a insanidade de correr 31K no sábado. Fiquei um pouco dolorido na noite de sábado, mas domingo já estava pronto pra outra.

Fecho, assim, a semana com 66 Km de corrida, programando pelo menos 70 Km para a semana seguinte.

Abraços a todos!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Specialized Hardrock Sport Anos 90

Oi! Com esta bike consegui, de certa forma, realizar um sonho de adolescência: pedalar uma mountain bike com quadro de cromo-molibdênio e geometria clássica dos anos 90. A bem da verdade, lá por 1996 eu pedalei por alguns meses com uma Scott Yecora e mais recentemente, em 2014 uma Trek Antelope 800. Mas ambas tinham apenas os três tubos principais em cromoly. Esta Specialized Hardrock Sport eu consegui na Jamur Bikes, sendo trazida recentemente dos Estados Unidos pelo próprio Paulo Jamur (proprietário da loja e meu boss), que se encantou pela bike e seu estado de conservação. Quando ele colocou a bike à venda na loja, não me fiz de rogado. Era a chance de ter uma bike em cromoly e praticamente original dos anos 90. Na verdade comprei esta bike como alternativa para transporte urbano, uma vez que a Format 5222 (da qual pretendo fazer uma apresentação em post futuro) que "gravelizei" eu pretendia deixar somente para atividades esportivas. Mas gostei

Só o CUme Interessa - Piada Escrota

Bah, nem é piada. Acho que isso se chama cacofonia, que é quando alguma coisa dita de um jeito dá a entender que é outra coisa. Entendeu? Ah, eu também não, hehe. Enfim, não é o que importa. To escrevendo essa parada, porque li um post no blog que os colegas Bonga e Tonto montaram para divulgar sua expedição no Ama Dablam, uma das mais belas e cobiçadas montanhas do Himalaia. Este cume não é dos mais elevados nem dos mais tecnicamente exigente. Mas o Ama Dablam é lindo! Quem não gostaria de pisar em um cume assim? Lindo, majestoso, imenso... Confira abaixo: Pois é... com seus quase sete mil metros trata-se de uma cobiçada montanha, objeto de desejo de muitos. Porém, o que rola desde princípio dos anos noventa são os turistas de montanha. Nada contra eles, pelo contrário. Servem para impulsionar uma atividade ecologicamente correta, movimentar economia, transferir renda e trazer qualidade de vida para quem pratica e/ou depende dela. Porém, tudo em exagero tem um porém - to meio engraç

Guia de Trilhas - Morro do Anhangava (parte I)

INTRODUÇÃO Saudações. É com prazer que publico aqui um mini-guia para corrida de montanha no morro do Anhangava, originalmente publicado no antigo site  TrailRunning BRASIL . MORRO DO ANHANGAVA Localização O Morro do Anhangava e seus 1.420 metros de altitude, está localizado nas proximidades da localidade de Borda do Campo, distrito do município de Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, a aproximadamente 35 quilômetros da capital paranaense. O local é considerado um campo-escola de montanhismo, pois conta com trilhas para caminhada e corrida, bem como vias de escalada em rocha de todas as dificuldades. Chegando lá de carro: Deixe Curitiba pela BR-116 sentido São Paulo, seguindo até o trevo de Quatro Barras, cuja sede municipal pode ser visualizada à direita. Saindo desta rodovia, você chega ao centro da cidade. Siga as placas que indicam Borda do Campo e Morro do Anhangava à direita, onde você acaba tomando a PR 506. Em poucos quilômetros, pl