Salomon Speedcross II - Review

janeiro 13, 2011

Direto ao assunto:


Um pouco de história:
A marca francesa Salomon é indiscutivelmente a que conta com a presença mais significativa no mercado nacional de trail running, sendo líder também em calçados para corridas de montanha em todo o mundo. Poderia citar também outras marcas em nosso mercado que oferecem bons produtos para este esporte como a Adidas, Asics, Nike, New Balance, Merrel, Timberland, Lafuma e TryOn. No entanto, a Salomon ainda está muito a frente de seus concorrentes no que toca ao desenvolvimento de produtos que se adequam à prática do esporte. Além de contar com uma grande tradição de produtos outdoor na Europa (onde domina 60% do mercado), a Salomon aterrisou no Brasil quando ainda pertencia ao conglomerado Adidas. Hoje a Salomon é propriedade da AmerSports, detentora de diversas outras marcas do mundo outdoor, como a Suunto, a Wilson e a Mavic, e é facilmente encontrada em lojas especializadas em esportes por todo o Brasil.

O tênis: O Salomon SpeedCross II é disparado o calçado de corridas de montanha mais desejado por quem busca um tênis confortável, leve e aderente em trilhas acidentadas. Originalmente ele foi projetado para uso em trilhas no inverno do hemisfério norte, com neve, lama e muita umidade. Porém, ele se saiu tão bem nos eventos de verão que foi eleito o favorito de atletas como Kilian Jornet, atual campeão da Ultra Trail du Mont Blanc, entre vários outros grandes nomes (inclusive que não são patrocinados pela Salomon).



Vamos lá:

Tempo e Condições de Teste: 18 meses, sendo utilizado em duas meia maratonas de montanha, 4 provas de 10 km em montanha e treinos que somaram mais de 150 km em trilhas acidentadas em todas as condições.

Amortecimento: Excelente para um tênis de corrida de montanha. Lembro que amortecimento não é um quesito tão importante nestes modelos como nos tênis de corrida de rua. Ao sair trotando é possível perceber um excelente amortecimento, mesmo com o passar dos quilômetros.

Aderência: Excelente da mesma forma. Até demais eu diria, pois quando se necessita correr em asfalto é possível sentir o solado “grudando” no piso. Impressionante. Em terrenos úmidos ele se sai muito bem, inclusive em trechos de estradas de chão com limo, onde normalmente ocorreria um escorregão, o Salomon SpeedCrross II segurou bem a onda. Realmente ele funciona muito bem em terrenos molhados.

Acabamento: Cuidadoso, inclusive com material refletivo para corridas noturnas. Nota-se um cuidado com a produção. No entanto após alguns duros quilômetros percebi que começou a descosturar nos pontos mais sujeitos a tração devido ao movimento do pé. Nada que comprometa, o tênis não irá se desfazer. Apenas um detalhe de acabamento. O sistema de amarração também é bastante inteligente. O cadarço é fixo e vai embutido em um pequeno bolso, o que impossibilita a desamarração involuntária. A cor preta é discreta e o material do cabedal apresenta rápida secagem quando se faz necessário molhar os pés em algum cruzo de rio.

Durabilidade: Preocupava-me este fato, principalmente ao notar o solado tão macio e cheio de cravos. Porém ele me surpreendeu, durando mais do que eu esperava. Obviamente que não se deve treinar nem competir com ele em asfalto, caso contrário o solado irá fritar rapidamente, pois é muito macio. Se possível guarde-o apenas para as competições. Terá um tênis para muitas e muitas corridas.

Peso: Em torno de 550 gramas o par, o que o torna o mais leve do gênero. Excelente para competições.

Conforto Geral: Muito confortável, envolvendo os pés de forma uniforme. Com um amortecimento comparado aos tênis de corrida de rua, faz a diferença nas provas e treinos mais longos.

Considerações Finais: Dinheiro muito bem aplicado para quem quer se iniciar no mundo das corridas de montanha. Como é difícil treinar sempre em trilhas recomendo este modelo como o primeiro calçado do corredor de montanha iniciante. Você irá utilizá-lo para competir e para treinar eventualmente, fazendo a maior parte da base de treino na rua mesmo. Mas isso é assunto para uma matéria em futuro breve.

Preço médio no mercado nacional: Você encontra esse modelo na faixa de R$ 360,00.

Good Trails!

Vale uma leitura!

6 comentários

  1. O fato dele ser macio me deixa um pouco preocupado, pois sempre houve uma relação dores no pé com solado macio.
    Talvez, por causa do meu peso, mas tb sei lá.
    Agora, é um senhor tenis e uma marca muito legal.

    ResponderExcluir
  2. Oi, george!

    excelente dica!

    já tinha lido algumas matérias sobre os tênis da Salomon, mas como não tinha perspectiva de participar de provas em trilhas, nem fui atrás...

    neste ano, resolvi experimentar as corridas em trilha, então vou começar a procurar tênis específicos...

    estou esperando o lançamento do Minimus Trail, da New Balance, agora em março, pra comparar!

    ah, a ultra runners eventos está organizando uma prova de 50milhas em trilhas em Campinas! a previsão é de que a prova aconteça no dia 19/3!


    abraços!
    http://elismc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Pergunta de leigo/iniciante:
    Nas trilhas e montanhas, ser supinador ou pronador faz diferença? Existem tênis específicos?

    Abs,
    Shigueo

    ResponderExcluir
  4. Ahhh, querido Chuteira, meu tênis predileto das trilhas!! Shigueo, me metendo sem ser chamada no blog do amigo (mesmo q virtual) Volpão, tenho que confessar um momento metafísico e dizer que ando questionando muito essa coisa de supinador e pronador.

    A não ser em casos mais graves, tenho visto que o lance é escolher sempre neutro e ser feliz :-)

    bjbj

    Nat, Corredora Zen :-)

    ResponderExcluir
  5. Você sabe se tem jeito de trocar o cadarço fixo de um Salomon. Tenho um XT Wings com menos de 300km que arrebentou o cadarço. Tô vendo que vou ter que jogar o tenis fora :(

    Abraço

    Luiz

    ResponderExcluir
  6. Salve Luiz. Trocar é até fácil. Duro é achar o kit: só nos EUA. Tem umvideo que ensina como: http://www.youtube.com/watch?v=RjwaEJiWyfc

    E viva os tênis neutros =)

    Abraços

    ResponderExcluir