Dezembro de 2012 - Parte I

O mais bacana de dezembro é o fato de ter uma grana extra, não? Pelo menos para nós assalariados. Um reforço é sempre bom. Não para comprar presentes, algo que sinceramente não gosto, acho bobagem, pois prefiro gastar dinheiro oferecendo experiências do que objetos. E então viver essas experiências é o que mais importa no momento.

Sabe aquela história que fala: "ganha tão bem que não tem tempo pra gastar o que se ganha"? Em dezembro é um pouco assim, já que minha jornada de trabalho acaba se estendendo até as 20:00 nos dias de semana. Sem falar nos finais de semana, onde acabo ocupando meu sábado com as questões profissionais. Longe de ser reclamação, esta situação me proporciona um extra que é muito bem aplicado nas experiências a serem colhidas em 2013.

Uma primeira olhada no calendário, me sugere uma participação em uma corrida de montanha no mês de março, mais precisamente dia 31, anunciada no site Corridas de Montanha aqui. 50 km em trilhas na região de Paranapiacaba? Topo! Já tive oportunidade de correr lá em 2010, numa etapa da Copa Paulista, distância de 12 km. Lama e mais lama, do jeito que gosto. Acho que foi a única competição em trilha que participei onde o tempo estava cagado, na foto que ilustra o artigo podemos ver que eu estava encharcado na chegada. Com as trilhas mais enlameadas e as descidas mais técnicas parece que minha corrida flui melhor. É minha vibe.

Então é com base nisso que estarei nas ruas de Curitiba e nas trilhas da região, tentando me preparar para esta distância, a qual só encarei uma vez, em 2010 lá no Chile. Como corri a Maratona de Curitiba recentemente em estilo passeio, quem sabe seja uma boa oportunidade de voltar a me testar em um desafio de longa distância. Para tanto, conto pela primeira vez na vida com orientação nos treinamentos, que estão sendo passados pela amiga e parceira Daiane Souza que, além de treinadora, é atleta das mais consistentes no circuito, sendo vencedora da K21 Ilha do Mel de 2012, entre outros excelentes resultados. Como ela vem do ramo da aventura há muitos anos e não caiu de para-quedas nas corridas de montanha, confio em seu trabalho.

Depois desta prova, irei ver o que faço da vida. Definido apenas que quero muito voltar a alguns lugares mágicos aqui da Serra do Mar, que não visito há anos. Mochila, barraca, saco de dormir, fogareiro e perrengues. Eis a ideia para a temporada de inverno 2013. Mas isso conto depois.

Abraços e bons teinos.

Comentários

Postagens mais visitadas