George Volpão e a Bicicleta

dezembro 29, 2016

Era IGUALZINHA a essa.  Fonte www.juicestudios.com.br.
Hello, hello, now I'm in place called Vertigo!

Depois de um longo tempo, escreverei um longo texto (isso foi proposital). Deu vontade. E este aqui é meio que introdutório ao seguinte

Poderia mesmo cantar sobre a vertigem que sinto quando estou em cima de uma bicicleta. É uma paixão que veio antes da corrida e das montanhas. 

Lembro bem duma bicicletinha azul aro 16 que ganhei de meus pais quando tinha uns 5 ou 6 anos. Depois veio uma Monark Cross branca e azul, como a da foto ao lado. Era super moda na época, anos 80... Bikes de aro 20, a minha tinha o charme de uma proteção em espuma no tubo superior. Confesso que eu preferia uma Caloi Cross, mas era mais cara e pro meu pai bicicleta era tudo igual.

Em 1991, já com 14 anos descobri o mountain bike em uma revista chamada Bicisport. Numa banca de revistas, por acaso, comprei a edição n. 27 (lembro até hoje) e me encantei.

Mas era aquela coisa só de revista mesmo. Eu era um fodido na vida, meus pais não tinham condições de "dar" uma daquelas lindas bicicletas em alumínio (total novidade na época, até então só existia bike de aço no Brasil).


Enfim... um ano depois comecei a trabalhar e juntar dinheiro e acabei comprando uma Caloi 10 usada. Foi o começo... Eu morava no litoral, em Paranaguá. Ia direto pra praia em Matinhos e Caiobá, rodava frouxo 80 ou 90 km cada pegada.


Depois de um tempo consegui comprar uma MTB em aço... E aí a gente já está falando de 1995 pra 1996.

Tirando uma breve experiência com duathlon em 1996, nunca fui de competir. Ah, lembro que corri uma ou duas provas de MTB em 2005 e 2006, quando já estava trabalhando na Jamur Bikes.

Aliás, ter começado a trabalhar como vendedor em loja especializada em bike fazia todo o sentido né? Eu estava numa fase mais montanhista, mas sempre curti bike, ajudava no condicionamento e no deslocamento urbano. Saí da Jamur Bikes em 2007, voltei em 2010. E a bike sempre firme, vivia trocando de modelo.

Fiz umas incursões com bikes speed, mas me limitar ao asfalto não me fazia feliz. Em 2012 fiz minha primeira viagem de bike :)

E essa bagagem toda, desde a pequena infância, me trouxe um pouco de vivência e histórias para contar.


E a partir da semana que vem (ou, neste caso, ano que vem) contarei algumas e começarei a escrever outras.


Venha 2017! Um feliz ano novo a você que me acompanha esse tempo todo. 10 anos de blog!!!!!!!!!!

Beijos e abraços!

Minha bike atual (dezembro 2016)



Vale uma leitura!

0 comentários