Para que competir?

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês?

Fiz a pergunta do título deste post pela primeira vez no final de 2014.

Escrevi em post recente (acesse aqui) que tinha decidido abandonar as competições de trail running após a minha participação na APTR Paraíba do Sul, quando consegui um honroso (kkkkkkkkkkkkkk) primeiro lugar na minha categoria.

Algumas semanas depois rompi o ligamento cruzado anterior do joelho direito. As férias forçdas me obrigaram a repensar algumas coisas.

Mesmo assim, em maio de 2014 competi naquela que foi, definitivamente minha última prova de trail running, que foi a Indomit Costa Esmeralda 21K. Você pode ler o relato aqui:

http://www.georgevolpao.blog.br/2014/05/indomit-costa-esmeralda-2014.html

Inclusive, se ler com atenção, poderá reparar como eu já observava atletas "que ainda estão mais preocupados com suas redes sociais - impressionante a quantidade de gente dos 21K e dos 12K correndo na praia e digitando no celular - do que com a incrível oportunidade de correr em um paraíso, desfrutando o momento.

Foi realmente o basta. Passei o restante daquele ano ainda envolvido com as provas, mas trabalhando para a Revista Trail Running e cheguei até a fechar contrato de parceria com uma grande marca estrangeira do mercado esportivo de aventura. Durou pouco e dei graças a Deus quando o contrato encerrou no final do ano.

E aí a pergunta veio forte: para que competir?

Competir é bom. Já participei de provas de duathlon, mountain bike, corrida de rua e de montanha... acho que vale até considerar os Jogos Escolares de 1989 em Paranaguá - PR quando eu jogava handebol.

Competir nos torna pessoas mais focadas e determinadas. Traz um tipo de motivação que nem sempre conseguimos por nós mesmos.

Mas, nessa reflexão toda que houve em fins de 2014, comecei a lembrar que os momentos mais prazerosos na vida outdoor (corrida, bike, montanha, etc) foi quando não estava buscando uma linha de chegada.

- Foi na montanha sozinho.


Pico Belo Horizonte - Serra do Curral, julho 2009.




- Naquele nascer do sol na montanha.

Valle del Plomo - Cordilheira dos Andes, Chile, fevereiro 2009





- Na chuvarada descendo o Pico Paraná.

Pico Paraná - Serra do Ibitiraquire, outubro 2014.



- Vendo as pessoas felizes em eventos de Bikepacking como esse:





- Pedalando até literalmente o cu fazer bico como nessa viagem em 2012...

Tijucas do Sul, agosto 2012.


Com o circo armado hoje, como já disse anteriormente também, este palhaço aqui não faz mais parte.

Faça mais perguntas. Elas são muito mais interessantes que as suas respostas.

Um grande abraço, namastê.


Comentários

Postagens mais visitadas