Pular para o conteúdo principal

Em Busca das Neves Brasileiras

Sim, ok... A idéia no começo do ano era estar nas neves andinas, tentando a ascensão de no mínimo, no mínimo uma montanha de 4.000 metros nos Andes Centrais, bem no auge do inverno, coincidindo com minhas férias como Coordenador de e-Commerce na Jamur Bikes. No entanto, para mim seis meses é muito tempo para esperar, projetar, idealizar e, principalmente, manter-se motivado. Nos meus projetos pessoais, sou um cara que precisa de desafios novos e instigadores.

E conversando com a Ana Barbara, minha esposa, encontramos algo bem desafiador e motivante para fazer em agosto. Sair pedalando de Curitiba rumo às serras gaúcha e catarinense, com um pit-stop em Bombinhas -SC para correr os 42 quilômetros da K42 Bombinhas Adventure Marathon. Mas que boa idéia!

Roteiro quase pronto, sairemos de Curitiba no dia 12 de agosto rumo à bela Bombinhas, onde deveremos chegar dia 15, pedalando em médias uns 70 km por dia. Vale lembrar que em todo o trajeto seremos auto-suficientes, ou seja: nada de carro de apoio. No dia 18 será a competição, onde terei a oportunidade de participar pela quarta vez da mais bela maratona do Brasil. A Barbara correrá a versão curta, com 12 km. Um dia de descanso e seguiremos rumo ao interior, subindo a serra e passando por Urubici, Parque Nacional de São Joaquim, Cânion de Monte Negro, Cambará do Sul, e boa parte dos Campos de Cima da Serra, como é conhecido aqueles rincões. A trip terá seu fim nas praias de Torres, de onde retornaremos de ônibus, no começo de setembro.

Apesar de usar a bike como meio de transporte diariamente, não tenho o hábito de pedalar longas distâncias. Estou confiando basicamente na minha base formada com a resistência geral para eventos de longa duração (dezenas de travessias em montanha, algumas maratonas, duas ultramaratonas, etc, etc, etc...). Obviamente, nestes dias que precedem a viagem - menos de dois meses para a partida - estaremos testando as pernas e os equipamentos.

Vale lembrar que nesta parada contarei com o suporte e apoio da Orientista Sports e aquele sempre especial da Proativa, através das marcas Deuter fornecendo mochilas, sacos de dormir, alforges e demais materiais para bike; Sea To Summit, que fornecerá sacos-estanques tão necessários em viagem de bike para proteger as coisas todas da umidade e da Azteq, cuja barraca Minipak será o pouso seguro durante algumas noites.

Já tenho testado alguns destes equipamentos, bem como afinado "la poderosa" para a viagem, sendo que neste final de semana que passou realizamos um primeiro simulado de viagem carregado até o talo de equipamentos, para as pernas sentirem a alegria de arrastar peso extra. 45 km no sábado e 28 km bem fortes no domingo nos deram a certeza: será diversão garantida!

Abraços e até breve!

George y La Poderosa em algum lugar dos matos de Campina Grande do Sul testando equipamentos em junho de 2012.

Comentários

  1. ei man, veja no blog do mildão - mildao.blogspot.com - arquivos Serras Gaúcha - esse roteiro ae que vc quer fazer, incluído o circuito vale europeu,

    mooooooooooooove

    ResponderExcluir
  2. que ideia maravilhosa!!!

    isso sim é aventura!

    vocês vão curtir, e aprender, muito!

    beijão no casal das montanhas, e do mar, e das serras!

    estarei na torcida, e já curiosa pra ler o relato dessa viagem de sonhos!

    ResponderExcluir
  3. Super Obrigado Mildão e Elis. Seguirei na divulgação e nos treininhos =)

    Bjos e abraços!

    ResponderExcluir
  4. volpao na bike,estranho pra cacete,boa sorte e bons treinos! abraççoss

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Specialized Hardrock Sport Anos 90

Oi! Com esta bike consegui, de certa forma, realizar um sonho de adolescência: pedalar uma mountain bike com quadro de cromo-molibdênio e geometria clássica dos anos 90. A bem da verdade, lá por 1996 eu pedalei por alguns meses com uma Scott Yecora e mais recentemente, em 2014 uma Trek Antelope 800. Mas ambas tinham apenas os três tubos principais em cromoly. Esta Specialized Hardrock Sport eu consegui na Jamur Bikes, sendo trazida recentemente dos Estados Unidos pelo próprio Paulo Jamur (proprietário da loja e meu boss), que se encantou pela bike e seu estado de conservação. Quando ele colocou a bike à venda na loja, não me fiz de rogado. Era a chance de ter uma bike em cromoly e praticamente original dos anos 90. Na verdade comprei esta bike como alternativa para transporte urbano, uma vez que a Format 5222 (da qual pretendo fazer uma apresentação em post futuro) que "gravelizei" eu pretendia deixar somente para atividades esportivas. Mas gostei

Só o CUme Interessa - Piada Escrota

Bah, nem é piada. Acho que isso se chama cacofonia, que é quando alguma coisa dita de um jeito dá a entender que é outra coisa. Entendeu? Ah, eu também não, hehe. Enfim, não é o que importa. To escrevendo essa parada, porque li um post no blog que os colegas Bonga e Tonto montaram para divulgar sua expedição no Ama Dablam, uma das mais belas e cobiçadas montanhas do Himalaia. Este cume não é dos mais elevados nem dos mais tecnicamente exigente. Mas o Ama Dablam é lindo! Quem não gostaria de pisar em um cume assim? Lindo, majestoso, imenso... Confira abaixo: Pois é... com seus quase sete mil metros trata-se de uma cobiçada montanha, objeto de desejo de muitos. Porém, o que rola desde princípio dos anos noventa são os turistas de montanha. Nada contra eles, pelo contrário. Servem para impulsionar uma atividade ecologicamente correta, movimentar economia, transferir renda e trazer qualidade de vida para quem pratica e/ou depende dela. Porém, tudo em exagero tem um porém - to meio engraç

Guia de Trilhas - Morro do Anhangava (parte I)

INTRODUÇÃO Saudações. É com prazer que publico aqui um mini-guia para corrida de montanha no morro do Anhangava, originalmente publicado no antigo site  TrailRunning BRASIL . MORRO DO ANHANGAVA Localização O Morro do Anhangava e seus 1.420 metros de altitude, está localizado nas proximidades da localidade de Borda do Campo, distrito do município de Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, a aproximadamente 35 quilômetros da capital paranaense. O local é considerado um campo-escola de montanhismo, pois conta com trilhas para caminhada e corrida, bem como vias de escalada em rocha de todas as dificuldades. Chegando lá de carro: Deixe Curitiba pela BR-116 sentido São Paulo, seguindo até o trevo de Quatro Barras, cuja sede municipal pode ser visualizada à direita. Saindo desta rodovia, você chega ao centro da cidade. Siga as placas que indicam Borda do Campo e Morro do Anhangava à direita, onde você acaba tomando a PR 506. Em poucos quilômetros, pl