Medalha para quem merece medalha

Medalha é pra quem merece medalha.

Eu busco sensações. Encontro-as nos montes que trilho por mim mesmo, sem marcações, sem chip e sem alvoroço. Assim sendo, após a K42 Bombinhas Adventure Marathon recolher-me-ei à minha caverna pessoal, abrindo mão de correr os 50K em Ilhabela e os 84 em Floripa na Praias e Trilhas.

Havia algum tempo que já andava cansado dos excessos. No post anterior comentei brevemente sobre minha mais recente andança na Serra do Mar. Durante esta caminhada tive a forte sensação de que percorrer estes tortuosos caminhos são, na verdade, a atividade esportiva mais prazerosa de todas que já experimentei.

Estar nas trilhas e percorrer longas distâncias. Sem números e sem planilhas. Livre. O post do amigo Leonardo é super inspirador neste sentido, fecha exatamente com meus sentimentos. No rules at all!

Ainda tenho muitas metas a serem cumpridas nas competições. Tenho meus objetivos e deles não abro mão. Mas, por hora, o caminho para atingi-los não passa necessariamente por pendurar uma medalha no pescoço. Posso dizer que estou olhando adiante, bem adiante, mas muito mais interessado no presente. Nas minhas manhãs de inverno correndo na geada, nos finais de semana passados entre bares e restaurantes de Santa Felicidade ou dormindo numa moita a 1.800 metros de altitude cercado de gente legal.

Atitudes desapegadas como essas não combinam com estatísticas, planejamentos, medalhas, funis de chegada e outras "necessidades" do moderno corredor seculo XXI com seus iPhones e demais quinquilharias chinesas. Minha necessidade é estar outdoor e sem número de peito.

Competir? Para encontrar os amigos e tomar cerveja depois. E só.

Segue a vida nas montanhas.

Abraços

Comentários

  1. Veja o que um xará seu escreveu:

    "For every runner who tours the world running marathons, there are thousands who run to hear the leaves and listen to the rain, and look to the day when it is suddenly as easy as a bird in flight."

    George Sheehan

    ResponderExcluir
  2. Hehehe... Li um livro desse xará ainda nos anos 90 e você me fez relembrar dessa figuara esquecida. Aliás, a maioria dos "jovens" corredores nem sabem quem era o cara, nem Jim Fixx nem Keneth Cooper... Sem problemas...a gente (eu, vc e uns poucos) seguiremos transmitindo a mensagem.

    Abraços e nos vemos em Small Bombs!

    ResponderExcluir
  3. Valeu meu caro !!!
    Essa é a parada.
    Vendi a minha medalha da Asics Golden Four.
    Coloque a venda a viseira no Mercado Livre e um cara perguntou sobre a medalha.
    Tava no armário e antes que fosse pro lixo, como já fiz com as demais, vendi essa.
    ABS !!!

    ResponderExcluir
  4. " o essencial é invisível aos olhos "
    já dizia a Raposa no livro do Pequeno Príncipe.

    ResponderExcluir
  5. Poizé...ser humano é bicho estranho. Curto minhas medalhas, mas lá nas gavetas. Uso na hora, faço foto e fervo. Depois...prefiro as lembranças das corridas =)

    Valeu piazada!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas