Férias forçadas

novembro 30, 2013

Olá, salve!

É com uma bela bolsa de gelo e uma boa dose de dor no joelho direito que escrevo este post.

Na última sexta, dia 29 de novembro, estava com meus grandes amigos Raphael Bonatto e Ricardo Beraldi nas trilhas do Parque São Lourenço quando em um salto sobre algumas raízes acabei aterrissando de mau jeito com a perna direita e o joelho acabou sentindo. Por ora, parecia pouca coisa, estava apenas falseando e "sem forças". Faltava menos de 10 minutos pra gente terminar o que tínhamos como proposta para aquela tarde. Continuamos, baixei o ritmo e redobrei a atenção nos trechos mais técnicos. 

Não foi o suficiente. Na última descida mais forte, pouco menos de 400 metros para finalizar a sessão, uma simples passada me fez vacilar novamente o joelho direito e ir ao solo. Uma bela torção, um estalo horroroso, dores como jamais havia sentido em qualquer tipo de atividade física e lama por todo lado - esta foi a parte divertida. Os companheiros entendendo a gravidade da situação, queriam fotos e toda aquela coisa descontraída. Com muita dor mas muito bom humor, foi possível voltar a caminhar com dificuldade e até mesmo conduzir a bicicleta que estava estacionada no bicicletário local. Porém, melhor evitar novos danos e acabei acionando a Ana Barbara para um "resgate". Algumas cervejas geladas com os amigos e a esposa ajudaram muito no alívio das dores e na manutenção do bom humor necessários em casos assim. 

Na manhã seguinte, no caso este sábado que escrevo post, as dores e o inchaço mostraram um incremento, o que me levou a procurar ajuda médica, algo que reluto bastante, teimoso e orgulhoso que sou. Breve consulta e raio-x na Clínica de Fraturas Norte, aqui em Curitiba revelaram uma suspeita de lesão no Ligamento Cruzado Anterior e provável dano em um menisco. Não houve lesão articular nem de cartilagem, o que é um bom indicativo.


Na próxima sexta-feira, uma reconsulta para melhor avaliação e, quem sabe, uma dispendiosa ressonância magnética para orientar a sequência do tratamento e possível cirurgia de recuperação do ligamento afetado.

Será uma semana de dúvidas e de muita esperança. Desejo de verdade não precisar da cirurgia mesmo que isso me custe a redução de carga de treinos e provas, mesmo que me custe deixar de praticar regularmente o esporte que amo. 

Tenho comigo que tudo na vida tem um motivo e que nada é por acaso. Acredito também nos "sinais" que o universo nos manda e que eu não dava muita atenção recentemente. Algo como: 

1) "Sossegue a periquita com esse lance de correr forte"; 
2) "Volte para as montanhas de maneira não competitiva"; 
3) "Ao atingir um cume de montanha não existem troféus nem medalhas mas apenas momentos que valem ser vividos".

Espero apenas ser poupado dos "eu avisei que isso iria dar merda" e dos "montanha não é para correr e sim curtir". Porque aqui dentro de mim não há espaço para aquela velha opinião formada sobre tudo.

Agora é repousar, dar uns bons 3 meses sem correr e repensar completamente 2014, assunto do post passado.

Na próxima semana, trago boas novas, com certeza. 

Grande abraço e obrigado pelo carinho de todos.


Em um salto parecido com este do Bonatto que tudo começou... Brincar de correr é legal, mas esteja ciente dos riscos ;)

Vale uma leitura!

0 comentários