Sobre Homens e Montanhas


Literatura de montanha me encanta. Eis um trecho que aprecio muito!

Cada passo mais para cima é uma escolha pessoal e uma responsabilidade pessoal. Precisamos ter muita clareza sobre isso antes de começar a nos aventurar. À medida que o montanhismo vai se tornando um esporte cada vez mais para os espectadores, devido aos sites e telefones por satélite, cada vez mais precisamos responder a questões sobre escolhas e responsabilidades para um público curioso, mas predominantemente desinformado.

De quem é a escolha que representa risco no final? Não é da pessoa que resolve ir até lá? Vivemos em uma sociedade voltada para a culpa, que exige explicações e prestação de contas, indo atrás de bodes expiatórios, se necessário. Se caminho pelas vias estreitas da vida, faço isso porque eu quero. Se essa beirada se rompe sob mim, aceito isso como consequência da minha escolha. Não posso culpar os outros pelo que aconteceu. Tampouco espero que aqueles que me acompanham por aquela passagem, caso me acompanhem, carreguem a culpa pelas minhas decisões. Eu faço uma escolha e vivo por ela, ou morro. A morte não é uma intenção, mas é aceita como uma possibilidade em vista do risco da atividade. Não crucifiquem meus companheiros por minhas escolhas. Simplesmente, sinto-me feliz por terem me acompanhado pelo máximo de tempo que lhes foi possível.

Cathy O'Dowd - Alpinista sul africana em seu livro Just for the Love of It (sem edição no Brasil)

O autor e amigos descendo o Cerro Plata (6.050m) com o tempo virando após tentativa frustrada de cume. Janeiro 2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages