Pular para o conteúdo principal

Minha Bike Esportiva

Olá, bom dia, tudo bem?

Neste post rápido, apresento minha bike esportiva de forma resumida e um pouco mais técnica do que no post sobre a Specialized Hardrock Sport.

Prefiro definir desta forma - Bike Esportiva - o modelo de bike que estou usando agora para me divertir nas estradas e nos matos.

Minha já conhecida e característica impaciência com termos, definições e filosofias para classificar bicicletas com nome e sobrenome.

Justamente eu, que trabalhei por um tempo na divulgação do termo "gravel bike", acho que não cabe a mim esta finalidade. Prefiro definir apenas como bicicleta. E como no momento estou com duas bikes, esta do post é a Bike Esportiva, uma vez que está configurada pensando em aproveitar as possibilidades de fazer esporte em cima de uma bike.

Minha esperança é que este se torne um post definitivo sobre a bike que estou usando para treinamentos e curtições na estrada e fora dela.

Evito, da mesma forma, a publicação de fotos em detalhes por questões de cunho pessoal e de privacidade.

Aliás, privacidade é um tema que tem se tornado bastante importante para mim, à medida que cada vez mais eu observo que as pessoas, em geral, estão perdendo o respeito à privacidade.

Como gerador de conteúdo, sei do interesse que pode existir em obter indicações e opiniões personalizadas sobre os assuntos que eu abordo. Mas, definitivamente este não é o meu papel.

Chegamos ao cúmulo de até mesmo a Thamires, minha companheira de vida, ter recebido nas redes sociais perguntas que seriam direcionadas a mim, mas que me abstenho de responder porque preservo minha privacidade e meu sossego, principalmente em finais de semana longe da internet. Uma absoluta falta de noção.

Felizmente não se trata da maioria, são casos isolados (embora não poucos) que não conseguem ainda me tirar o prazer que tenho em compartilhar um pouco de conhecimento. Importante lembrar: não existem gurus. Não tenho as respostas para coisa alguma. Única certeza que posso dar é:

Vai lá e experimente você mesmo!

Afinal, eu apenas relato as minhas experiências.

Abaixo ficha técnica o mais completa possível da minha bike esportiva.

Forte abraço!


Bike Esportiva

- Quadro: Format 5222 em cromo molibdênio tamanho 56cm no top tube (tenho 1,83m) com pintura personalizada do Giovani Madeira.
- Garfo: Format 5222 em cromo molibdênio com pintura personalizada.
- Caixa de direção: Oversized Aheadset Semi Integrada sem marca.
- Suporte de guidão: Cannondale Alumínio C3 10 graus.
- Guidão: Cannondale Alumínio C3 Compact 420mm.
- Fita de Guidão: duas fitas. Uma Pro Bike Smart Silicon e uma Velo Grip sobrepostas para maior conforto.
- Freios: V-Brake Alumínio original da Format.
- Trocadores/Manete de freio: STI Shimano Claris ST-R2000 2X8 com passagem interna dos cabos.
- Câmbio dianteiro: Shimano Claris FD-R2000.
- Câmbio traseiro: Shimano Claris RD-R2000.
- Cassete: Shimano HG-200 11-34 8V.
- Corrente: Shimano CH-HG40 7V.
- Pedivela: Shimano Claris FC-2450 Octalink 50/34D 172,5mm.
- Movimento central: Shimano Ocatlink ES-25.
- Pedais: Look Quartz II.
- Rodas Shimano R-501  24mm. 20 raios na dianteira, 24 na traseira.
- Pneus: Kenda Kwick Bitumen com arame 700X35.
- Selim: Fizik Tundra M7.
- Canote de selim: Alumínio 25.4.
- Peso aproximado: 12,3 kg.






Comentários

  1. Olá, tudo bem?
    Lembro que você trocou os freios originais por Shimano logo que comprou a Format, mas agora vejo que você retornou aos originais. Poderia me explicar o motivo? Pergunto pois eu prezo muito por bons freios na minha bicicleta e estou comprando uma Format, no momento pesquisando para decidir se mantenho os freios ou troco. Desde já muito obrigado por compartilhar conteúdo conosco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, tudo certo, e por aí? Motivos apenas estéticos para a troca. Os freios originais funcionam muito bem para a proposta da bike. Abraços!

      Excluir
  2. Na impossibilidade de experimentar todas as bikes que tenho vontade, sites e vídeos como os seus ajudam numa escolha mais precisa da bicicleta ideal para meus propósitos.
    Não encontrei outro espaço para fazer a pergunta e, se não foi importuno, faço aqui: o tamanho M dessa bike se adequa a uma pessoa de 1,79 m?
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tomando a liberdade de contribuir aqui, possuo exatamente a mesma altura que você e comprei uma Format M pois queria um tamanho que minha esposa pudesse usar também. A bicicleta ficou pequena para mim porém não a ponto de ser um limitador, tenho usado sem maiores complicações. Por outro lado, alguns dias atrás testei a G de um amigo e ficou perfeita, conforme Volpão antecipou na resposta dele.

      Excluir
    2. Obrigado pelo feedback. Super importante esse canal de comunicação, troca de experiências, etc. Abração!

      Excluir
  3. Opa. Legal, fico bem contente em poder ajudar de alguma forma. M acho q fica pequena hein? Tenho 1,83 e uso G, se adequando perfeitamente. Abraços!!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Specialized Hardrock Sport Anos 90

Oi! Com esta bike consegui, de certa forma, realizar um sonho de adolescência: pedalar uma mountain bike com quadro de cromo-molibdênio e geometria clássica dos anos 90. A bem da verdade, lá por 1996 eu pedalei por alguns meses com uma Scott Yecora e mais recentemente, em 2014 uma Trek Antelope 800. Mas ambas tinham apenas os três tubos principais em cromoly. Esta Specialized Hardrock Sport eu consegui na Jamur Bikes, sendo trazida recentemente dos Estados Unidos pelo próprio Paulo Jamur (proprietário da loja e meu boss), que se encantou pela bike e seu estado de conservação. Quando ele colocou a bike à venda na loja, não me fiz de rogado. Era a chance de ter uma bike em cromoly e praticamente original dos anos 90. Na verdade comprei esta bike como alternativa para transporte urbano, uma vez que a Format 5222 (da qual pretendo fazer uma apresentação em post futuro) que "gravelizei" eu pretendia deixar somente para atividades esportivas. Mas gostei

Só o CUme Interessa - Piada Escrota

Bah, nem é piada. Acho que isso se chama cacofonia, que é quando alguma coisa dita de um jeito dá a entender que é outra coisa. Entendeu? Ah, eu também não, hehe. Enfim, não é o que importa. To escrevendo essa parada, porque li um post no blog que os colegas Bonga e Tonto montaram para divulgar sua expedição no Ama Dablam, uma das mais belas e cobiçadas montanhas do Himalaia. Este cume não é dos mais elevados nem dos mais tecnicamente exigente. Mas o Ama Dablam é lindo! Quem não gostaria de pisar em um cume assim? Lindo, majestoso, imenso... Confira abaixo: Pois é... com seus quase sete mil metros trata-se de uma cobiçada montanha, objeto de desejo de muitos. Porém, o que rola desde princípio dos anos noventa são os turistas de montanha. Nada contra eles, pelo contrário. Servem para impulsionar uma atividade ecologicamente correta, movimentar economia, transferir renda e trazer qualidade de vida para quem pratica e/ou depende dela. Porém, tudo em exagero tem um porém - to meio engraç

Guia de Trilhas - Morro do Anhangava (parte I)

INTRODUÇÃO Saudações. É com prazer que publico aqui um mini-guia para corrida de montanha no morro do Anhangava, originalmente publicado no antigo site  TrailRunning BRASIL . MORRO DO ANHANGAVA Localização O Morro do Anhangava e seus 1.420 metros de altitude, está localizado nas proximidades da localidade de Borda do Campo, distrito do município de Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, a aproximadamente 35 quilômetros da capital paranaense. O local é considerado um campo-escola de montanhismo, pois conta com trilhas para caminhada e corrida, bem como vias de escalada em rocha de todas as dificuldades. Chegando lá de carro: Deixe Curitiba pela BR-116 sentido São Paulo, seguindo até o trevo de Quatro Barras, cuja sede municipal pode ser visualizada à direita. Saindo desta rodovia, você chega ao centro da cidade. Siga as placas que indicam Borda do Campo e Morro do Anhangava à direita, onde você acaba tomando a PR 506. Em poucos quilômetros, pl