Desafio Praias e Trilhas 2009

Sim, sobrevivi!

Correr a Praias e Trilhas é modo de dizer. Tem tanto barranco que se anda muito. E quando é plano, nas praias, a areia é solta. No revezamento em tres pessoas com certeza a parada foi muito dura também. E tudo sem propagandas em revistas, tudo sem televisão, muito menos sem "seletivas" por assessorias convidadas apenas com interesse em vender determinado produto. No Desafio Praias e Trilhas a seletiva era mesmo a coragem de encarar 84 km em terrenos irregulares, pagar por isso e receber em troca muito mais que holofotes. Recebemos belas paisagens, muito companheirismo, além de uma excelente organização comandada pelo Prof. Carlos Duarte e sua eficientíssima equipe da Ecofloripa Eventos.

Três companheiros de experiência lá estiveram e convido vocês a lerem seus relatos: o Alberto Peixoto, o João Gabbardo e o Daniel Meyer, vencedor do ano passado. Cada um conta a seu modo como foi a experiência de participar de um evento deste porte.

De minha parte posso dizer com certeza que foi a prova mais difícil de que já participei nessa minha curta existência como amante das longas distâncias. Com a bagagem de "apenas" duas maratonas anteriores resolvi encarar esta. Não me arrependo!

Acreditar nos sonhos e trabalhar para realizá-los é o que me leva sempre adiante. Passar 15h51min amassando barro, chutando pedra, se afundando na areia foi a melhor compensação do esforço que eu poderia imaginar.

Filmei e fotografei bastante, principalmente no primeiro dia, quando corri com a câmera todo o trajeto.

Poucas foram as dores no dia seguinte e muito grande é a vontade de partir para desafios maiores. Afinal, se eu me diverti muito nessas quase 16 horas de prova você consegue imaginar a curtição que deve ser correr por 30 ou 40 horas?

Durante a semana vou colocando as fotos e vídeos de tudo o que rolou, bem como mais impressões. Material não falta.

Buenas!

De onde viemos? Para onde vamos? Pergunta comum de um ultramartonista em trilhas.




Costeando um morro, em seguida descendo para encarar mais uma praia.



Modelito nada fashion mas muito adequado para o calor que fazia: salomon speedcross, meias e bermuda de compressão, camiseta com menos de 90 gramas de peso, mochila de hidratação, óculos escuros, boné e lenço para proteger o rosto contra o sol e a areia que era soprada com os fortes ventos.



Olha um carinha lááááá embaixo, já correndo na areia. e eu descendo, moendo os quadríceps na trilha pra chegar lá, uns 10 minutos depois.

Comentários

  1. George,
    Concordo plenamente contigo que essa prova foi sensacional e muito difícil.
    Hoje estou hiper quebrado, mas com muito orgulho de ter feito uma das provas mais difíceis do Brasil.
    Lê o meu relato
    http://maratonistapernambucano.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Parabens por mais uma prova.
    O modelito estava parecendo da Legião Estrangeira. Mas, adequado, como vc bem disse.

    ResponderExcluir
  3. Já disse quando eu crescer vou querer ser que nem vcs, parabéns cara vc deu showww de bola tanto correndo e registrando tudo, pois ainda um dia irei correr uma prova dessas com vcs, showww de bola...Quanto ao desafio da Nike se tivesse correndo para mim seria mole, pois eles corriam 7km e iam para van descansar e a noite dormiram num hotel asim é mole...Parabéns mais uma vez e que novos desafiam apareçam.

    Um abraço,

    Jorge Cerqueira
    www.jmaratona.blogspot.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas