Pular para o conteúdo principal

O corredor, aspectos ambientais e consumismo moderno (e eu com isso?)

Ah, como já escutei essa pergunta... "e eu com isso?". Não que tenha escutado de corredores ou outras figuras ligadas ao esporte. Em geral, pessoas que praticam esportes são gente informada, esclarecida (conheço exceções que confirmam a regra) e que vão além do "deixa a vida me levar".

Mas também não posso deixar de notar um certo "deixa pra lá". Há um descaso geral com pequenas atitudes que se tomadas isoladamente poderiam fazer toda a diferença na qualidade de vida de cada um.

Longe de querer parecer o "salvador do mundo", tenho plena certeza que deixo minha contribuição. Exemplos de atitudes simples? Poderia citar vários. Não tenho carro, pois adaptei minha rotina de forma a não depender disso. Se até Dean Karnazes também não tem. Ora bolas, ele faz as coisas correndo! Eu não tenho problema algum em correr 10 Km, chegar no escritório, tomar um "banho" com lenços umedecidos e ganhar a vida. Você não pode fazer o mesmo? Entendo... Não dispenso uma boa carona. Na empresa onde trabalho isso funciona! Existe a Carona Solidária: quem mora perto vem sempre junto, quatro pessoas em um carro.

Por que será que tentar viver de maneira descomplicada é tão complicado para alguns? Para tudo na vida é possível buscar o melhor. Uma vida melhor não só para nós, mas para quem está conosco. Parece contraditório isso de viver o presente e não se preocupar com o amanha e ainda assim buscar o equilíbrio para não fazer besteiras que comprometam nosso dia seguinte. Esse "caminho do meio" que realmente é difícil de trilhar. E quem disse que o "fácil" é o melhor?

Não seria possível, de verdade, separar o lixo orgânico do reciclável? Não seria mesmo possível ficar um dia da semana pelo menos sem comer carne, economizando assim recursos naturais preciosos ao decorrer de uma vida? É sacrifício mortal consumir produtos que utilizem menos embalagens ou que sejam produzidos mais próximo da sua residência.

Ah, são tantas perguntas que me faço enquanto corro nas matas da minha terra. E sabe por que eu pergunto? Porque em um treino neste domingo eu descobri que o mato onde eu corria dez anos atrás é hoje um loteamento ridículo (não achei palavra melhor). Um amontoado de casas espremidas e que as pessoas se endividam por 30 anos para comprar e ter a ilusão de que aquilo é delas, como se elas fossem eternas. Como se não pudesse cair um meteoro em cima e mandar pelos ares anos de batalha por um bem material ilusório.

Sim, todos podemos e devemos ter coisas. Mas... Precisa mesmo de 48 pares de sapatos? 25 camisas? Dois carros?

E o corredor com isso? Ah, se o corredor acha que lugar de correr é em pistas e asfalto tudo bem. Também adoro correr nas ruas da minha terra, percorrer cantos obscuros de cidades que visito ou encarar longas estradas, com asfalto mesmo. Não sou radical. Sou um ser vivo apenas. Eu vivo e não apenas sobrevivo. Última pergunta: E você?

Por mais porre que seja esse papo de consumismo desenfreado, se você chegou até aqui é porque se interessa. Então não deixe de assistir o clipe, acompanhar a letra e, se puder, ver o filme. E se chegou aqui também já sabe qual é o filme!

Abrazos!











Society

Sociedade



Oh, it's a mystery to meÉ um mistério para mim
We have a greed with which we have agreedNós temos uma ambição que concordamos.
And you think you have to want more than you needE você pensa que você tem que querer mais do que precisa.
Until you have it all you won't be freeAté você ter tudo, você não estará livre.


Society, you're a crazy breedSociedade, sua raça louca.
Hope you're not lonely without me...Espero que não esteja solitária sem mim.


When you want more than you haveQuando você quer mais do que tem
You think you need...Você pensa que precisa.
And when you think more than you wantE quando você pensa mais do que você quer
Your thoughts begin to bleedSeus pensamentos começam a sangrar.
I think I need to find a bigger placeAcho que preciso encontrar um lugar maior
Because when you have more than you thinkPois quando você tem mais do que imagina,
You need more spaceVocê precisa de mais espaço.


Society, you're a crazy breedSociedade, sua raça louca.
Hope you're not lonely without me...Espero que não esteja solitária sem mim.
Society, crazy indeedSociedade, realmente louca
Hope you're not lonely without me...Espero que não esteja solitária sem mim.


There's those thinking, more-or-less, less is moreTem aqueles achando, mais ou menos, que menos é mais
But if less is more, how you keeping score?Mas se menos é mais, como você mantém seu status?
Means for every point you make, your level dropsQuer dizer que pra cada ponto que faz, seu nível cai
Kinda like you're starting from the topÉ como começar do topo
You can't do that...Você não pode fazer isso.


Society, you're a crazy breedSociedade, sua raça louca.
Hope you're not lonely without me...Espero que não esteja solitária sem mim.
Society, crazy indeedSociedade, realmente louca
Hope you're not lonely without me...Espero que não esteja solitária sem mim.


Society, have mercy on meSociedade, tenha piedade de mim
Hope you're not angry if I disagree...Espero que não fique brava se eu discordar
Society, crazy indeedSociedade, realmente louca
Hope you're not lonely without me...Espero que não esteja solitária sem mim

Comentários

  1. Cara, este filme me marcou demais. Esta letra então, vixe!

    Escrevi, na época, um texto no meu blog pessoal. Até hoje tenho "medo" de ver o filme de novo :-)

    ResponderExcluir
  2. Cacete !!! Ando pensando a mesma coisa.
    Por que carro, por que montes de brinquedos pro filho, por que roupas e mais roupas. Por que tudo isso?
    Separo o lixo depois dos anos vividos em Curitiba. Coisa simples e prática.
    Outro dia no mercado, comprei uma sacola para evitar os plásticos. Fora a quantidade de plásticos que levava pra casa agora transporto tudo de uma forma melhor. É melhor carregar duas sacolas pesadas do que 10 sacos. Enfim, estamos juntos, ando pensando a mesma coisa.
    Ainda vou fazer uma conta de que não vale a pena ter carro. Que economicamente é queimar dinheiro.
    Belo post.

    ResponderExcluir
  3. Acho divino o jeito que você leva a vida,eu gostaria de ter essa vida simples engraçado como a sociedade,tv,rádio,internet nós leva a consumir e consumir.Parece mecânico você trabalha e trabalha e gasta e gasta. Faço minha parte em relação ao lixo separo tudo,outra medida foi comprar sacolas para as compras pq aqueles saquinhos de supermercado e um mal terrivel.
    Parabéns pelo post

    Beijo

    Fabi =D

    ResponderExcluir
  4. George, parabéns! Texto realmente divino, pena que demorei tanto para ler!
    Sabe o que é isso, na minha opinião? Falta de cultura, informação e de boa vontade.
    Lógico, estou longe de ser um ser politicamente e ecologicamente correto, mas comecei a fazer a minha parte e a ensinar a minha filha os mesmos conceitos.
    São coisas simples, mas sabemos que fazem a diferença, ainda mais se muitos pensarem da mesma forma.
    Antes eu pensava: Ah, não adianta fazer a minha parte, quase ninguém faz.... Nossa! Pensamento totalmente errado! Acordei e mudei!!
    Já reparou como parecemos verdadeiros ET’s com algumas atitudes? Nem precisamos ir muito longe, correr pela manhã deixa muita gente espantada!
    Por isso eu digo, é falta de cultura mesmo... e, neste quesito, sua terra está bemmmmm mais evoluída! Mas, a gente chega lá!
    Mais uma vez, parabéns pelo texto e vídeo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Gente, um muito obrigado geral pela participação, pela soma de idéias, pelo debate (ainda que de leve, como eu gosto) a respeito de um assunto tão presente em nossos dias.

    Obrigado de coração! Beijo para quem é de beijo e abraço para quem é de abraço :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Specialized Hardrock Sport Anos 90

Oi! Com esta bike consegui, de certa forma, realizar um sonho de adolescência: pedalar uma mountain bike com quadro de cromo-molibdênio e geometria clássica dos anos 90. A bem da verdade, lá por 1996 eu pedalei por alguns meses com uma Scott Yecora e mais recentemente, em 2014 uma Trek Antelope 800. Mas ambas tinham apenas os três tubos principais em cromoly. Esta Specialized Hardrock Sport eu consegui na Jamur Bikes, sendo trazida recentemente dos Estados Unidos pelo próprio Paulo Jamur (proprietário da loja e meu boss), que se encantou pela bike e seu estado de conservação. Quando ele colocou a bike à venda na loja, não me fiz de rogado. Era a chance de ter uma bike em cromoly e praticamente original dos anos 90. Na verdade comprei esta bike como alternativa para transporte urbano, uma vez que a Format 5222 (da qual pretendo fazer uma apresentação em post futuro) que "gravelizei" eu pretendia deixar somente para atividades esportivas. Mas gostei

Só o CUme Interessa - Piada Escrota

Bah, nem é piada. Acho que isso se chama cacofonia, que é quando alguma coisa dita de um jeito dá a entender que é outra coisa. Entendeu? Ah, eu também não, hehe. Enfim, não é o que importa. To escrevendo essa parada, porque li um post no blog que os colegas Bonga e Tonto montaram para divulgar sua expedição no Ama Dablam, uma das mais belas e cobiçadas montanhas do Himalaia. Este cume não é dos mais elevados nem dos mais tecnicamente exigente. Mas o Ama Dablam é lindo! Quem não gostaria de pisar em um cume assim? Lindo, majestoso, imenso... Confira abaixo: Pois é... com seus quase sete mil metros trata-se de uma cobiçada montanha, objeto de desejo de muitos. Porém, o que rola desde princípio dos anos noventa são os turistas de montanha. Nada contra eles, pelo contrário. Servem para impulsionar uma atividade ecologicamente correta, movimentar economia, transferir renda e trazer qualidade de vida para quem pratica e/ou depende dela. Porém, tudo em exagero tem um porém - to meio engraç

Guia de Trilhas - Morro do Anhangava (parte I)

INTRODUÇÃO Saudações. É com prazer que publico aqui um mini-guia para corrida de montanha no morro do Anhangava, originalmente publicado no antigo site  TrailRunning BRASIL . MORRO DO ANHANGAVA Localização O Morro do Anhangava e seus 1.420 metros de altitude, está localizado nas proximidades da localidade de Borda do Campo, distrito do município de Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, a aproximadamente 35 quilômetros da capital paranaense. O local é considerado um campo-escola de montanhismo, pois conta com trilhas para caminhada e corrida, bem como vias de escalada em rocha de todas as dificuldades. Chegando lá de carro: Deixe Curitiba pela BR-116 sentido São Paulo, seguindo até o trevo de Quatro Barras, cuja sede municipal pode ser visualizada à direita. Saindo desta rodovia, você chega ao centro da cidade. Siga as placas que indicam Borda do Campo e Morro do Anhangava à direita, onde você acaba tomando a PR 506. Em poucos quilômetros, pl