Lionel Terray - Os Conquistadores do Inútil - Para refletir

novembro 04, 2011

Sou um cara que adora a leitura. Alguns escritores já me impressionaram e sou muito fã daqueles que sempre buscaram a simplicidade. Thoreau é sublime, junto com Bukowski, Amyr Klink, as sutras budistas e poucos mais. No ramo da aventura, escritores intensos também são meus favoritos: David Breashers, Joe Simpson, Reinhold Messner e Lionel Terray, que escreveu as belas palavras abaixo. Estas, transcrevi de seu livro Os Conquistadores do Inútil. São palavras muito "George Volpão".

Abraços!

========================================================================


"A minha vida não foi mais do que um longo e delicado jogo de equilíbrio entre a açãogratuita, por meio da qual perseguia o ideal da minha juventude, e uma espécie de prostituiçãohonesta que me garantisse o pão de cada dia.Que espírito vulgar ousará pretender que aprostituição útil valia mais do que as empresas gratuitas? Aliás, excetuando as sociedadesprimitivas em que cada gesto tem a sua razão de ser no instinto de sobrevivência da espécie, oque é uma ação útil? Se, a fim de esquecer o vazio da sua existência, muitos se embebedamcom palavras e falam da sua "missão", do seu "papel", da sua "utilidade social", como todasestas palavras são convencionais e desprovidas de sentido! No nosso mundo anárquico esuperpovoado, quantos podem gabar-se de serem verdadeiramente úteis?... São úteis osmilhões de intermediários cheios de títulos honoríficos que invadem a economia? Os milhões de amanuenses, de cronistas, advogados e faladoresde todos os gêneros, que poderiam ser suprimidos amanhã para bem de todos?... E serão atéúteis os médicos que, nas grandes cidades, disputam a clientela como cães esfomeadosenquanto por toda a parte morre gente por falta de cuidados?... Neste século em que ficouprovado mil vezes que a organização racional permite reduzir em proporções fantásticas onúmero de homens necessários a cada tarefa, quantos podem garantir que são uma dasengrenagens verdadeiramente úteis à grande máquina do mundo?"

Lionel Terray

Vale uma leitura!

6 comentários

  1. PQP.
    Aonde precisando ouvir isso.
    Valeu !

    ResponderExcluir
  2. Salve Xampa. Aí deixo a pergfunta: É ou não é? Simplicidade sobre todas as coisas!

    Abraços piá! Ah, e super massa o post sobre a Tijuca. Ah se eu tivesse isso perto de casa =)

    ResponderExcluir
  3. bem bacana esse trecho que você selecionou, George!
    a última frase, então, está latenjando aqui na minha cabeça...
    vou procurar esse livro...

    bjs

    ResponderExcluir
  4. Terray é o cara! Só li a versão do PDF mesmo...

    Bjs Elis!

    ResponderExcluir
  5. Cara, este livro tem em PDF ? domínio público ? Se puder passar agradeço... li os dois há uns bons 20 anos, tá na hora de rever...

    ResponderExcluir