Morro do Anhangava em rodada dupla - Trail Running

Final de semana de montanha é sempre bem vindo.

Estava mesmo precisando, após alguns dias de trabalho intenso (novidades a caminho) e incertezas.

Na semana passada havia corrido em torno de uma hora no asfalto e meu joelho direito voltou a incomodar. talvez por ter corrido muito forte pros padrões atuais, 4:45 min/km para quem se liga em pace. Neste ano ainda não havia feito tanta força assim. Mas, com esses anos todos de corrida e com o LCA estourado, normal sentir um pouco de dores.

Então, vamos à montanha. O Morro do Anhangava, como muitos devem saber, está a pouco mais de 5 quilômetros daqui de casa. Com seus 1.420 metros de altitude, me permite, a cada subida, um ganho vertical de pelo menos 400 metros e belíssimos visuais. Para quem gosta de corrida de montanha de verdade, este é um ótimo local.

No sábado, céu azul e calor me receberam no alto da montanha. Tinha a intenção de dar duas "voltas", subindo a trilha frontal e descendo a noroeste (também chamada de Trilha da Asa Delta). Não foi um bom dia. Muito mais ofegante que o normal e com uma baita fraqueza em trechos normalmente fáceis para mim, me contentei apenas em subir e descer uma vez. Algo estranho aconteceu. Acredito que seja mesmo da tensão da semana anterior e suas incertezas...

Ficam as imagens legais e o vídeo abaixo (link aqui).




Não é apenas sobre corridas. É sobre ir à montanha e desfrutar também.

A clássica foto do pisante na montanha. Estou bastante satisfeito. Em tempo seco e trilhas técnicas, é disparado o melhor que já usei. Em breve um review por aqui.



Domingo a coisa mudou um pouco: calor mais forte ainda, beirando os trinta graus, mas o corpinho respondeu melhor, permitindo inclusive minha melhor marca no trecho Estacionamento Baitacão-Cume Anhangava, pouco mais de 28 minutos. Ali encontrei o Ricardo Beraldi, sua esposa Camile e a criançada. Fiquei imensamente feliz de ver meus amigos lá com seus filhos, desfrutando um lindo dia de sol e a a molecada curtindo, em vez de se pendurar em iPads e celulares. Vida de verdade! Aliás, tinha bastante criança por lá.

O Morro do Anhangava tem se transformado em ótima opção de lazer para todos: turistas, montanhistas, escaladores, corredores e outros. Em geral, a montanha está muito bem cuidada e limpa. Sempre ter os porcalhões, é claro. Mas pelo número de visitantes, que em dias de sol gira em torno de algumas centenas, achei as condições gerais muito boas.

Neste domingo, consegui repetir o treino de duas voltas por lá, subindo a Frontal e descendo a Noroeste, com cada uma das voltas tomando pouco menos de uma hora cada. Tudo isso com as pausas para fotos e vídeos, é claro ;)

Além de molhar a goela no rio também. Calor absurdo para um inverno paranaense: 30 graus na moleira e nenhuma nuvem no céu.

Para fechar, uma Cerveja local, a Anhangava Vevuí, que pode ser adquirida lá mesmo no estacionamento, bem geladinha.

Que venham as próximas!


Parceiros Camile e Ricardo Beraldi com os babies na montanha. Tesão piá!

O vento aliviava a sensação térmica. Calor da porra!

Gatorade? Pozinho de proteína? Tá brincando... Cerveja pós-treino, cara!!!!!


Abraços, boa semana!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages