Pular para o conteúdo principal

Curitiba ganha bosque em homenagem ao montanhismo


Ah Curitiba que tanto amo! Enquanto algumas capitais só se preocupam em ampliar avenidas para carros, a capital de todos os paranaenses (que também acho que dá muito valor à mobilidade através dos carros) ainda investe em ações como essas.

Acompanhe abaixo a notícia retirada do site da Prefeitura de Curitiba:


O prefeito Luciano Ducci entregou neste sábado (3) mais um bosque de preservação ambiental, que homenageia um dos precursores do montanhismo no Brasil, o professor Erwin Grogër. Durante a entrega, Luciano Ducci anunciou a construção da Casa do Montanhista, dentro do bosque Erwin Grogër.
"Grogër foi um pioneiro, não apenas do montanhismo. Junto com seus seguidores montanhistas, ajudou a preservar a Serra do Mar paranaense, que hoje é um dos trechos contínuos mais bem conservados de Floresta Atlântica. Merece ser homenageado. Ao mesmo tempo, a população tem um novo espaço para o lazer", destacou o prefeito Luciano Ducci.
Com aproximadamente três mil metros quadrados, o novo bosque fica de frente para a rua Benedito Correia de Freitas, perto da Ópera de Arame. O terreno é bastante inclinado, com uma diferença de altura de 12 metros entre a rua e o ponto mais alto do terreno. Por isso, os arquitetos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente elaboraram o projeto de forma a aproveitar o máximo da paisagem do terreno sem alterar o bosque, que apesar de relativamente pequeno, preserva importantes espécies vegetais nativas como canelas, guabirobas e canjeranas.
No meio do bosque, bancos e caminhos feitos com deques de madeira elevados evitam a formação de trilhas na terra, preservando o terreno de possíveis erosões, e de danos na vegetação. Os deques têm aproximadamente 1,50 a 2,00 metros de altura em relação ao ponto mais baixo do terreno. Na entrada, uma praça é marcada com o desenho da Rosa dos Ventos, uma referência ao esporte praticado pelo professor Grogër, o montanhismo.
"É um grande presente para a cidade e para a memória do professor Erwin. O projeto está espetacular. Parabéns à Prefeitura pelo trabalho", declarou o montanhista Nelson Luiz Penteado Alves.
O austríaco chegou a Curitiba aos 26 anos, e foi um dos precursores do montanhismo no Brasil. O engenheiro agrônomo introduziu técnicas de escalada no Pico do Marumbi, na Serra do Mar paranaense, onde o esporte surgiu no país. Grogër morava na Barreirinha e morreu em 2008, aos 96 anos.
A proposta de lei de homenagem ao professor Erwin Grogër foi apresentada pela vereadora Julieta Reis, e aprovada por unanimidade pelos demais vereadores da Câmara Municipal de Curitiba. A vereadora Julieta Reis e o vereador Tico Kuzma estiveram no evento, além do secretário municipal do Meio Ambiente, José Antonio Andreguetto, do cônsul da Áustria, Walter Norbert Jiraschek, da filha de Gogër, Maria Francisca Kollarz, do montanhista Henrique Schmidlin (Vitamina) e de outros montanhistas paranaenses.

Na implantação do bosque foram usadas algumas referências as origens do homenageado, como as cores da bandeira austríaca - vermelho e branco. Ao redor da Rosa dos Ventos, placas de pedras indicam as montanhas mais altas do Paraná - Pico Paraná -, do Brasil - Pico da Neblina -, e da Áustria - Monte Gross Glockner -, além do Pico do Marumbi.

Sede - Com a determinação do prefeito Luciano Ducci, a casa do montanhista será construída nos fundos do bosque para reuniões de clubes e montanhistas e de outras instituições ligadas ao esporte. "Vocês que já ajudam a preservar a Serra do Mar, serão os colaboradores desse bosque urbano, ajudando a cuidar, evitando depredações", falou Andreguetto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Specialized Hardrock Sport Anos 90

Oi! Com esta bike consegui, de certa forma, realizar um sonho de adolescência: pedalar uma mountain bike com quadro de cromo-molibdênio e geometria clássica dos anos 90. A bem da verdade, lá por 1996 eu pedalei por alguns meses com uma Scott Yecora e mais recentemente, em 2014 uma Trek Antelope 800. Mas ambas tinham apenas os três tubos principais em cromoly. Esta Specialized Hardrock Sport eu consegui na Jamur Bikes, sendo trazida recentemente dos Estados Unidos pelo próprio Paulo Jamur (proprietário da loja e meu boss), que se encantou pela bike e seu estado de conservação. Quando ele colocou a bike à venda na loja, não me fiz de rogado. Era a chance de ter uma bike em cromoly e praticamente original dos anos 90. Na verdade comprei esta bike como alternativa para transporte urbano, uma vez que a Format 5222 (da qual pretendo fazer uma apresentação em post futuro) que "gravelizei" eu pretendia deixar somente para atividades esportivas. Mas gostei

Uma das mudanças em curso para 2020

Oi! Acho que um dos maiores aprendizados e uma das maiores decisões para 2020 foi focar no foco. Engraçado isso né? Focar no foco.  Preciso de foco. Com foco e direcionamento eu consigo ser mais consistente nos propósitos, ao mesmo tempo consigo extrair maior diversão dessa grande aventura que é viver e também sentir-me vivo e produtivo. No esporte, como você deve estar percebendo, o foco está nas corridas em montanha para 2020. E como sempre vai ser mais sobre montanhas que sobre corridas, não se trata de competir em provas de corrida em montanha (apesar de já estar inscrito em uma e ter ideias de correr mais duas outras apenas). É mais sobre estar nas montanhas, correndo. Sozinho, com amigos, não importa. Estar nas montanhas é a ideia. Assim sendo, decidi desfazer-me da minha bike esportiva, aquela que me acompanhou por praticamente dois anos de muito prazer nos pedais e na sua customização. Hora dos caminhos se separarem e direcionar minha veia esportiva àq

Nova Bike Kode Straat - Uma boa opção para montar uma Gravel Bike

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês? Poxa, que bike da hora! Recebemos aqui na Jamur Bikes e já fiquei de olho grande. E adianto, já garanti a minha! Sim, a Kode Riff 70 vai retornar à proposta para a qual foi concebida (MTB 27.5 polegadas) no futuro (poca plata por ora) e vou apenas colocar o guidão drop e trocadores STI na nova Kode Straat. Vejam a imagem abaixo, retirada do site do fabricante, bem como sua geometria: Não parece ser muito apropriada para montar uma Gravel que é quase Gravel? Um top tube mais parecido com as speeds do que com as MTBs, um clearance menor na passagem das rodas, passagem dos cabos interna e outras características me levam a crer que esta bike pode andar muito confortavelmente entre estradões de cascalho (gravel roads) e asfalto, ou mesmo trilhas leves. Bora fazer essa alteração. Abaixo um vídeo mostrando a bike como ela vem de fábrica, original. E aqui a ficha técnica: - Quadro em alumínio 6061. - Garfo: Alumínio.