Pular para o conteúdo principal

7 Milhas Assessocor - Caminho do Vinho - Como Foi

Foi bom, muito bom!

O dia 18 de dezembro amanheceu prometendo sol forte. Comecei cedo a jornada, partindo desde Campina Grande do Sul às cinco da manhã ainda alta madrugada. Uma vez em Curitiba, me dirigi à São José dos Pinhais de busão junto à boemia que retornava de suas vidinhas de exageros e ouvindo pérolas do tipo "meu namorado ficou em casa, azar o dele, fiquei com dois gatinhos esta noite", entre outros diálogos impúblicáveis.

Desembarcado na sede do município fui para o local da prova, a alguns quilômetros de distância, já na zona rural. A prova passaria por trechos de paralelepípedos, terra batida e cascalho solto. Conferindo a altimetria nos dias anteriores me preparei para sofrer em algumas subidas.

Largada dada já sob sol forte às oito da manhã, posicionei-me bem à frente, já que havia em torno de 200 atletas. Aliás, um adendo: como é bom correr provas "pequenas" assim. Multidões de 5.000 pessoas, como as corridinhas da Adidas, não me atraem, definitivamente. 

Esta acabou sendo minha primeira corrida com o manto da Orientista e aproveitei a oportunidade para testar um novo calçado, o Salomon XR Crosmaxx que será tema de um review a ser publicado na próxima semana. 

Os primeiros quilômetros foram percorridos em paralelepípedo, terreno bem chato de correr, com sucessão de subidas e descidas bem leves. O calor começou a apertar e uma descida forte em asfalto apareceu e em seguida uma ladeira para subir um pouco mais íngreme, já na terra. A paisagem rural ajudava a distrair e as marcações de quilômetros em contagem regressiva parece muito bom para trabalhar a parte psicológica. Gostei da sensação de contar quando falta e não quanto já se correu.

No fim das contas foi tudo tão rápido quanto eu esperava: 57min07seg para 11.870 metros. Dos 130 homens que concluíram meti um 28º lugar que me deixou bastante contente, considerando que meus treinos são um fiasco para esse tipo de prova. Não nego que gosto mais de sofrer na montanha por longas horas e, assim, não me animo a correr forte estas distâncias mais curtas. Por isso fiquei satisfeito com o apresentado.

Recomendo a todos esta prova, que deverá se realizar mais uma vez em 2012. Mas vale ficar esperto, visto que as inscrições acabam rapidinho. Trata-se de uma maneira nova e divertida de correr. Sem a pancadaria das provas de montanha e sem a falta de graça que correr no asfalto e no plano causa no corredor um pouco mais rodado.


Meu muito obrigado ao Caio da Assessocor (sugestão: coloquem o terceiro posto de hidratação lá pelo km 8 e não no 10, quase acabando a prova), ao Fábio do Corridas de Montanha, ao Bruno do Orientista, à galera da Equipe Jacaré de Conga pela hospitalidade e gentileza de retirarem meu kit.

Abraços e até breve.


Comentários

  1. Foi um grande prazer ter grandes pessoas como você prestigiando nossa prova, desejo grandes emoções e vibrações positivas em 2012... Caio Assessocor.com.br

    ResponderExcluir
  2. É isso aí. Parabéns pela sua colocação George! Aproveitando para desejar um Feliz Natal a você e toda a sua família. E que seu 2012 seja cheio de desafios, conquistas e muito sucesso! Abraço, Equipe Bombinhas Runners

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Specialized Hardrock Sport Anos 90

Oi! Com esta bike consegui, de certa forma, realizar um sonho de adolescência: pedalar uma mountain bike com quadro de cromo-molibdênio e geometria clássica dos anos 90. A bem da verdade, lá por 1996 eu pedalei por alguns meses com uma Scott Yecora e mais recentemente, em 2014 uma Trek Antelope 800. Mas ambas tinham apenas os três tubos principais em cromoly. Esta Specialized Hardrock Sport eu consegui na Jamur Bikes, sendo trazida recentemente dos Estados Unidos pelo próprio Paulo Jamur (proprietário da loja e meu boss), que se encantou pela bike e seu estado de conservação. Quando ele colocou a bike à venda na loja, não me fiz de rogado. Era a chance de ter uma bike em cromoly e praticamente original dos anos 90. Na verdade comprei esta bike como alternativa para transporte urbano, uma vez que a Format 5222 (da qual pretendo fazer uma apresentação em post futuro) que "gravelizei" eu pretendia deixar somente para atividades esportivas. Mas gostei

Uma das mudanças em curso para 2020

Oi! Acho que um dos maiores aprendizados e uma das maiores decisões para 2020 foi focar no foco. Engraçado isso né? Focar no foco.  Preciso de foco. Com foco e direcionamento eu consigo ser mais consistente nos propósitos, ao mesmo tempo consigo extrair maior diversão dessa grande aventura que é viver e também sentir-me vivo e produtivo. No esporte, como você deve estar percebendo, o foco está nas corridas em montanha para 2020. E como sempre vai ser mais sobre montanhas que sobre corridas, não se trata de competir em provas de corrida em montanha (apesar de já estar inscrito em uma e ter ideias de correr mais duas outras apenas). É mais sobre estar nas montanhas, correndo. Sozinho, com amigos, não importa. Estar nas montanhas é a ideia. Assim sendo, decidi desfazer-me da minha bike esportiva, aquela que me acompanhou por praticamente dois anos de muito prazer nos pedais e na sua customização. Hora dos caminhos se separarem e direcionar minha veia esportiva àq

Nova Bike Kode Straat - Uma boa opção para montar uma Gravel Bike

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês? Poxa, que bike da hora! Recebemos aqui na Jamur Bikes e já fiquei de olho grande. E adianto, já garanti a minha! Sim, a Kode Riff 70 vai retornar à proposta para a qual foi concebida (MTB 27.5 polegadas) no futuro (poca plata por ora) e vou apenas colocar o guidão drop e trocadores STI na nova Kode Straat. Vejam a imagem abaixo, retirada do site do fabricante, bem como sua geometria: Não parece ser muito apropriada para montar uma Gravel que é quase Gravel? Um top tube mais parecido com as speeds do que com as MTBs, um clearance menor na passagem das rodas, passagem dos cabos interna e outras características me levam a crer que esta bike pode andar muito confortavelmente entre estradões de cascalho (gravel roads) e asfalto, ou mesmo trilhas leves. Bora fazer essa alteração. Abaixo um vídeo mostrando a bike como ela vem de fábrica, original. E aqui a ficha técnica: - Quadro em alumínio 6061. - Garfo: Alumínio.