Pular para o conteúdo principal

Indomit Costa Esmeralda 2014 - Sonhos

Olá,
buenas.

Nunca fui uma pessoa de grande ansiedade. Como muitos nesta vida esportiva, já passei por grandes eventos: primeira competição, primeira maratona, uma corrida importante, estreia de equipamento e/ou patrocínio...

Chegou a hora de voltar a alinhar em uma largada de corrida em trilha. Sem ansiedade, apenas sorriso nos lábios aguardando o dia.

No final de 2013, 29 de novembro, em um treino bobo e leve, rompi o ligamento cruzado anterior. Além das dores absurdas, rolou também uma extensa pesquisa sobre o que uma lesão como essa significaria para a prática das minhas paixões esportivas. Aliado a um "cansaço" mental e um saco bem cheio de muita coisa ruim, achei que seria mesmo a hora de não mais competir em trail running, corridas de montanha ou mesmo na rua. Correr em trilha nem era mais um sonho. Estaria satisfeito apenas se pudesse voltar a andar sem dores e sem mancar... Meu joelho velho pedira arrego e não estava interessado em encarar o moroso processo de conseguir a reconstrução do dito ligamento através de cirurgia e procedimentos pagos pelo SUS (sim, não tenho plano de saúde, não acho certo pagar duas vezes por um serviço).

O tempo foi passando e fui recuperando a mobilidade lentamente. Três meses depois ainda mancava e comecei a fazer reforço muscular em academia. Recebi, então, convite para correr a INDOMIT Costa Esmeralda, dia 17 de maio. 

Desde 2009 sempre estive ao lado da organização, quando eram os responsáveis pela K42 Bombinhas. Fiz ótimos amigos. Devo muito do apaixonado que sou hoje por trail running à confiança dos amigos feitos naquela época. De lá para cá, mergulhei fundo neste universo e participei de todas as 5 edições até hoje realizadas.

Assim, impossível recusar-me a fazer parte de desta festa do esporte. 

Vamos lá, para os 21 quilômetros de uma modalidade tida por muitos "com o rei na barriga" como "menor". É legal correr 100, 84, 65 quilômetros? Sim, é muito. E parabenizo todos estes. Mas valorizo muito também quem estará comigo nos 21 e nos 12 quilômetros na INDOMIT Costa Esmeralda. 

Com a configuração de locais de largada  e chegada colocada pela organização, posso entender como uma coisa bem simples: Todos nós chegaremos no mesmo lugar, literal e figurativamente.

Porque cada um sabe da sua história de vida, do quanto batalhou para chegar onde ela quer chegar. Alguns querem chegar nos 100 Km. Chegarão. Outros querem apenas calçar os tênis e correr em belas paisagens, por 12 ou quantos quilômetros quiserem. Hoje, meu sonho é do tamanho dos 21 quilômetros que ligam a Praia de Canto Grande ao centro de Porto Belo.

No início da tarde do sábado 17 de maio, o sonho se realizará.

Abraços, bons treinos!


Comentários

  1. George! Me aguarde na chegada. Só não deixe a organização desmonta-la antes das 22h, senão corro o risco de chegar e não ter mais ninguém por lá. ;-)

    Abração. Nos vemos na sexta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você chega ainda antes de mim, rapa... Hehe.

      Abraço, boa prova, nos vemos lá!

      Excluir
  2. Boa tarde,

    Pelo que tenho lido e acompanhado sobre essa prova, ela é uma prova no formato da PATAGÔNIA RUN, correto? gostei muito do que vi no manual do corredor, acho que essa prova vai pegar no BRASIL..será uma referência...abraços !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eduardo! Obrigado pelo comentário. Isso, Patagonia Run é uma inspiração confessa da organização, hehe. Certamente se tornará a grande ultramaratona trail do Brasil. Nos vemos por lá. Abraços!

      Excluir
  3. Isso ae Volpão!! Não vou correr, mas vou lá tirar umas fotos, boa prova! Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Diego! Espero te encontrar por lá. Obrigado e grande abraço!

      Excluir
  4. Vai lá e faz a tua prova, a tua corrida, é isso que vale. e no final chega junto com todos no mesmo lugar, cada um na sua corrida. no mesmo estaremos na praia do rosa, fazendo nosso 21k no mountain do. abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Josa Jr.!

      Cada dia as coisas clareiam mais na mente: fazer a própria corrida. Tem coisa melhor que correr para si? Pouco provável... Quero muito fazer essa da Praia do Rosa e infelizmente as datas coincidiram. O Ricardo Beraldi estará lá pela revista. Abração, boa prova!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Specialized Hardrock Sport Anos 90

Oi! Com esta bike consegui, de certa forma, realizar um sonho de adolescência: pedalar uma mountain bike com quadro de cromo-molibdênio e geometria clássica dos anos 90. A bem da verdade, lá por 1996 eu pedalei por alguns meses com uma Scott Yecora e mais recentemente, em 2014 uma Trek Antelope 800. Mas ambas tinham apenas os três tubos principais em cromoly. Esta Specialized Hardrock Sport eu consegui na Jamur Bikes, sendo trazida recentemente dos Estados Unidos pelo próprio Paulo Jamur (proprietário da loja e meu boss), que se encantou pela bike e seu estado de conservação. Quando ele colocou a bike à venda na loja, não me fiz de rogado. Era a chance de ter uma bike em cromoly e praticamente original dos anos 90. Na verdade comprei esta bike como alternativa para transporte urbano, uma vez que a Format 5222 (da qual pretendo fazer uma apresentação em post futuro) que "gravelizei" eu pretendia deixar somente para atividades esportivas. Mas gostei

Só o CUme Interessa - Piada Escrota

Bah, nem é piada. Acho que isso se chama cacofonia, que é quando alguma coisa dita de um jeito dá a entender que é outra coisa. Entendeu? Ah, eu também não, hehe. Enfim, não é o que importa. To escrevendo essa parada, porque li um post no blog que os colegas Bonga e Tonto montaram para divulgar sua expedição no Ama Dablam, uma das mais belas e cobiçadas montanhas do Himalaia. Este cume não é dos mais elevados nem dos mais tecnicamente exigente. Mas o Ama Dablam é lindo! Quem não gostaria de pisar em um cume assim? Lindo, majestoso, imenso... Confira abaixo: Pois é... com seus quase sete mil metros trata-se de uma cobiçada montanha, objeto de desejo de muitos. Porém, o que rola desde princípio dos anos noventa são os turistas de montanha. Nada contra eles, pelo contrário. Servem para impulsionar uma atividade ecologicamente correta, movimentar economia, transferir renda e trazer qualidade de vida para quem pratica e/ou depende dela. Porém, tudo em exagero tem um porém - to meio engraç

Guia de Trilhas - Morro do Anhangava (parte I)

INTRODUÇÃO Saudações. É com prazer que publico aqui um mini-guia para corrida de montanha no morro do Anhangava, originalmente publicado no antigo site  TrailRunning BRASIL . MORRO DO ANHANGAVA Localização O Morro do Anhangava e seus 1.420 metros de altitude, está localizado nas proximidades da localidade de Borda do Campo, distrito do município de Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, a aproximadamente 35 quilômetros da capital paranaense. O local é considerado um campo-escola de montanhismo, pois conta com trilhas para caminhada e corrida, bem como vias de escalada em rocha de todas as dificuldades. Chegando lá de carro: Deixe Curitiba pela BR-116 sentido São Paulo, seguindo até o trevo de Quatro Barras, cuja sede municipal pode ser visualizada à direita. Saindo desta rodovia, você chega ao centro da cidade. Siga as placas que indicam Borda do Campo e Morro do Anhangava à direita, onde você acaba tomando a PR 506. Em poucos quilômetros, pl