Pular para o conteúdo principal

Proibido Correr

Na verdade eu havia pensados em vários títulos para este post.

"Corrida de Aventura em Belo Horizonte"

"São Tantas Emoções"

"Feriado? Fique Em Casa"

E muitos outros. Isso tudo decorrente da tentativa de achar um lado engraçado a respeito da situação que eu enfrentei no treino desta quinta-feira, feriado de Corpus Christi, na capital mineira. E cheguei à conclusão que fica proibido correr em dias como esses, em alguns locais tradicionais para treinos na cidade.

Decidi aproveitar o feriado no meio da semana e dormir um pouquinho mais, não mepreocupar com acordar cedo para treinar, essas coisas. Decidi por treinar à tarde, na já conhecida Pista da Andradas. E foi um pesadelo.

Não vou nem citar o mau cheiro dos cocôs do Ribeirão Arrudas, algo que já comentei anteriormente. Este é, sinceramente, o menor dos incômodos. Iniciei o treino no cruzamento da Avenida do Contorno com a Andradas, próximo à região hospitalar. E as coisas já não começam bem. Mendigos para todos os lados, saquinhos plásticos com cola de sapateiro, cachimbos de crack, cheiro de urina e de pessoas sem banho.

Relevei. Esse tipo de gente já está lá há tanto tempo (sobre)vivendo sabe Deus como. Provavelmente da caridade idiota de algumas pessoas que devem fornecer comida e dinheirinho para a cachaça e a cola. Desta primeira observação ficou apenas a interrogação de onde se encontra o poder público que não retira as pessoas desse local, permitindo que todo o tipo de coisa errada aconteça assim em local tão emblemático.

Segue a corrida, rumo ao leste, com a intenção de chegar a estação da Copasa, quase no limite municipal com Sabará. No caminho mais entreveros: Garotos soltando pipas com linhas cobertas de cerol ("foi aquela vermelha que me cortou"), um filho da p@#$% jogando um sacão enorme de lixo no coitado do Ribeirão Arrudas, motoristas e motoqueiros tirando "finas" enquanto corria junto à calçada (passeio para os mineiros), montes de lixo sendo queimado... Verdadeira cena de terror em um simples treino.

Eu me no Gabão, Mali ou Bangladesh. Não em uma cidade que se vangloria de ser uma das mais progressistas capitais do Brasil. Realmente me chocou a desigualdade que vivemos em nosso país.

E isso foge do tema "corridas". Porém como corredores que somos temos a oportunidade de fazer essas análises e constatações. Existem alguns belíssimos lugares em BH para praticar esporte, tranquilos, calmos, onde todos se respeitam. Porém o que era para ser um local destinado à prática saudável de esportes como a Pista da Andradas estava em situação tal na tarde do feriado que compará-la a um chiqueiro seria uma ofensa ao local onde ficam os porcos.

Uma cópia deste relato foi enviado via email à Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, solicitando principalmente providência com relação aos vagabundos que habitam o início da pista, próximos à Estação de Metrô de Santa Efigênia. Uma real ameaça à segurança e saúde da população, corredores, atletas, caminhantes ou não. Havendo resposta eu publico aqui.

Enquanto isso, segue solta a farra dos vereadores em nossa Câmara Municipal, situada a poucos metros destas cenas de crimes.

Com isso a conclusão: É proibido correr em Belo Horizonte nas tardes de feriados.

Um abraço e bons treinos (de manhã pela preferência ou em locais mais aprazíveis).






Filmar tudo seria uma solução?




Mendigo da Pista da Andradas reclamando à PBH dos corredores que atrapalham o sono deles pela manhã.




Emprego não falta!!!!

Comentários

  1. Antigamente eu até arriscava uns treinos na Andradas. Ficava perto de casa, era plana, espaçosa, coisa e tal.
    Hoje eu passo longe.
    Prefeiro pegar o carro, o ônibus ou a bike e ir correr em outro lugar.
    Uma pena, mas...

    ResponderExcluir
  2. Oi, amigo!

    Nunca treinei na Andradas, já estava até a considerando para treinos mais longos, mas com esse relato fico com muito receio...

    E então, pronto pro Rio?

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Pois é...espero ter sido algo pontual. Apenas um feriado infeliz. No mais, continuarei por lá meus treinos, de boa, apenas evitando o período da tarde.

    Super pronto para o RJ.

    Buenas!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Specialized Hardrock Sport Anos 90

Oi! Com esta bike consegui, de certa forma, realizar um sonho de adolescência: pedalar uma mountain bike com quadro de cromo-molibdênio e geometria clássica dos anos 90. A bem da verdade, lá por 1996 eu pedalei por alguns meses com uma Scott Yecora e mais recentemente, em 2014 uma Trek Antelope 800. Mas ambas tinham apenas os três tubos principais em cromoly. Esta Specialized Hardrock Sport eu consegui na Jamur Bikes, sendo trazida recentemente dos Estados Unidos pelo próprio Paulo Jamur (proprietário da loja e meu boss), que se encantou pela bike e seu estado de conservação. Quando ele colocou a bike à venda na loja, não me fiz de rogado. Era a chance de ter uma bike em cromoly e praticamente original dos anos 90. Na verdade comprei esta bike como alternativa para transporte urbano, uma vez que a Format 5222 (da qual pretendo fazer uma apresentação em post futuro) que "gravelizei" eu pretendia deixar somente para atividades esportivas. Mas gostei

Uma das mudanças em curso para 2020

Oi! Acho que um dos maiores aprendizados e uma das maiores decisões para 2020 foi focar no foco. Engraçado isso né? Focar no foco.  Preciso de foco. Com foco e direcionamento eu consigo ser mais consistente nos propósitos, ao mesmo tempo consigo extrair maior diversão dessa grande aventura que é viver e também sentir-me vivo e produtivo. No esporte, como você deve estar percebendo, o foco está nas corridas em montanha para 2020. E como sempre vai ser mais sobre montanhas que sobre corridas, não se trata de competir em provas de corrida em montanha (apesar de já estar inscrito em uma e ter ideias de correr mais duas outras apenas). É mais sobre estar nas montanhas, correndo. Sozinho, com amigos, não importa. Estar nas montanhas é a ideia. Assim sendo, decidi desfazer-me da minha bike esportiva, aquela que me acompanhou por praticamente dois anos de muito prazer nos pedais e na sua customização. Hora dos caminhos se separarem e direcionar minha veia esportiva àq

Nova Bike Kode Straat - Uma boa opção para montar uma Gravel Bike

Senhoras e senhores, tudo bem com vocês? Poxa, que bike da hora! Recebemos aqui na Jamur Bikes e já fiquei de olho grande. E adianto, já garanti a minha! Sim, a Kode Riff 70 vai retornar à proposta para a qual foi concebida (MTB 27.5 polegadas) no futuro (poca plata por ora) e vou apenas colocar o guidão drop e trocadores STI na nova Kode Straat. Vejam a imagem abaixo, retirada do site do fabricante, bem como sua geometria: Não parece ser muito apropriada para montar uma Gravel que é quase Gravel? Um top tube mais parecido com as speeds do que com as MTBs, um clearance menor na passagem das rodas, passagem dos cabos interna e outras características me levam a crer que esta bike pode andar muito confortavelmente entre estradões de cascalho (gravel roads) e asfalto, ou mesmo trilhas leves. Bora fazer essa alteração. Abaixo um vídeo mostrando a bike como ela vem de fábrica, original. E aqui a ficha técnica: - Quadro em alumínio 6061. - Garfo: Alumínio.