Pular para o conteúdo principal

Corrida de Pentecostes - Divinópolis - MG

Estive participando neste último domingo da Corrida de Pentecostes em Divinópolis, cidade localizada a 121 quilômetros da capital mineira e com aproximadamente 200.000 habitantes. Trata-se de uma corrida já tradicional no atletismo mineiro, sendo realizada a 15ª edição neste ano. A distância da prova é a clássica 10 km tão presente em provas nacionais.

A Casa do Corredor montou um pacote de preço amigo, sessenta reais incluindo a inscrição, e decidi encarar uma prova em outra cidade. Partimos em ônibus lotado em uma fresquinha manhã ensolarada, por volta de 6:30 da manhã. Expectativa de duas horas de viagem. Magrão, camarada já conhecido das corridas em acompanhou nessa. A Lígia preferiu tirar uma folga das competições, focando em seu treinamento para a Meia Maratona do Rio, dentro de quinze dias.

Após bastante agito no latão, chegamos em Divinópolis cerca de uma hora antes da largada, que estava prevista para as 9:30. Por lá o friozinho e o vento eram mais intensos, o que me fez optar por correr com camiseta de mangas longas e aguardar a largada em um ponto que recebesse a luz do sol.

A largada foi pontual, em leve descida até a primeira curva, que já anunciava um percurso acidentado e sinuoso, com muitas subidas e descidas. Havia também alguns trechos com calçamento de pedras, muito bom para lesionar os mais incautos, mas também desafiador para quem curte uma dificuldade a mais.

A prova foi bem organizada, com inscrição de valor honesto (20 reais), pontos de água no percurso, trânsito bem controlado, entrega do kit (retirado no dia) sem problemas.

O ponto negativo ficou apenas por conta do atraso na premiação. Não que eu tenha ganhado algo, mas porque muitos dos que estavam no ônibus conseguiram boas colocações e tiveram que esperar até uma hora da tarde para receberem seus prêmios e embarcarmos rumo a Belo Horizonte.

Lá também encontrei outros companheiros de provas e treinos por BH como a Aline, Viviane, Rosendo, Mister Bus e outros mais.

No fim das contas valeu muito a pena. Eu que não gosto das provas-modinha tipo Adidas, encontrei em uma prova simples e de percurso desafiador uma boa motivação para baixar meu tempo nos 10 Km. Levei 48:02, perfazendo a melhor marca mundial pessoal deste ano(parafraseando o Bruno do Correndo na Chuva). Isso em um percurso exigente, com quase 100 metros de desnivel vertical acumulado.

Fiquei bem satisfeito com o resultado. Não apenas com o tempo de conclusão, mas também com o clima de amizade e companheirismo do mundo do atletismo, bem diferente do que rolava no montanhismo paranaense, onde o que prevalece muitas vezes é a inveja, o destempero e a vaidade.

14 dias para a Maratona do Rio, minha primeira 42k. O lance aqora é baixar a carga, se alimentar corretamente e focar na prova.

Resultados no site da prova.

Um grande abraço e ótima semana a todos.

Magrão, Aline e Volpão.

Comentários

  1. Então teve bão demais lá em Divinópolis! Queria muito ter ido, mas na próxima estarei com vocês! Parabéns a todos e um grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. è, teve bom messss, agora a proxima sera em Contagem e voce fora de Minas ... vai la campeão boa prova!!

    Keep Running Forever !!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Specialized Hardrock Sport Anos 90

Oi! Com esta bike consegui, de certa forma, realizar um sonho de adolescência: pedalar uma mountain bike com quadro de cromo-molibdênio e geometria clássica dos anos 90. A bem da verdade, lá por 1996 eu pedalei por alguns meses com uma Scott Yecora e mais recentemente, em 2014 uma Trek Antelope 800. Mas ambas tinham apenas os três tubos principais em cromoly. Esta Specialized Hardrock Sport eu consegui na Jamur Bikes, sendo trazida recentemente dos Estados Unidos pelo próprio Paulo Jamur (proprietário da loja e meu boss), que se encantou pela bike e seu estado de conservação. Quando ele colocou a bike à venda na loja, não me fiz de rogado. Era a chance de ter uma bike em cromoly e praticamente original dos anos 90. Na verdade comprei esta bike como alternativa para transporte urbano, uma vez que a Format 5222 (da qual pretendo fazer uma apresentação em post futuro) que "gravelizei" eu pretendia deixar somente para atividades esportivas. Mas gostei

Só o CUme Interessa - Piada Escrota

Bah, nem é piada. Acho que isso se chama cacofonia, que é quando alguma coisa dita de um jeito dá a entender que é outra coisa. Entendeu? Ah, eu também não, hehe. Enfim, não é o que importa. To escrevendo essa parada, porque li um post no blog que os colegas Bonga e Tonto montaram para divulgar sua expedição no Ama Dablam, uma das mais belas e cobiçadas montanhas do Himalaia. Este cume não é dos mais elevados nem dos mais tecnicamente exigente. Mas o Ama Dablam é lindo! Quem não gostaria de pisar em um cume assim? Lindo, majestoso, imenso... Confira abaixo: Pois é... com seus quase sete mil metros trata-se de uma cobiçada montanha, objeto de desejo de muitos. Porém, o que rola desde princípio dos anos noventa são os turistas de montanha. Nada contra eles, pelo contrário. Servem para impulsionar uma atividade ecologicamente correta, movimentar economia, transferir renda e trazer qualidade de vida para quem pratica e/ou depende dela. Porém, tudo em exagero tem um porém - to meio engraç

Guia de Trilhas - Morro do Anhangava (parte I)

INTRODUÇÃO Saudações. É com prazer que publico aqui um mini-guia para corrida de montanha no morro do Anhangava, originalmente publicado no antigo site  TrailRunning BRASIL . MORRO DO ANHANGAVA Localização O Morro do Anhangava e seus 1.420 metros de altitude, está localizado nas proximidades da localidade de Borda do Campo, distrito do município de Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, a aproximadamente 35 quilômetros da capital paranaense. O local é considerado um campo-escola de montanhismo, pois conta com trilhas para caminhada e corrida, bem como vias de escalada em rocha de todas as dificuldades. Chegando lá de carro: Deixe Curitiba pela BR-116 sentido São Paulo, seguindo até o trevo de Quatro Barras, cuja sede municipal pode ser visualizada à direita. Saindo desta rodovia, você chega ao centro da cidade. Siga as placas que indicam Borda do Campo e Morro do Anhangava à direita, onde você acaba tomando a PR 506. Em poucos quilômetros, pl